Família perde três irmãos em um intervalo de 8 dias: “Teriam se recusado a tomar”

Uma notícia triste tem circulado nas redes sociais nesta quinta-feira (23). Três irmãos morreram vítimas de Covid-19 em um intervalo de 8 dias após se negarem a tomar a vacina. Os irmãos Valdir e Denilde Carboni Pedro, de 49 e 52 anos, morreram no último dia 13 e Deneci Carboni Pedro, de 51 anos, morreu nessa terça-feira 21, após ter ficado 21 dias em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI). A família enlutada é natural de São João do Sul, Santa Catarina.

As vítimas residiam próximo em uma comunidade rural chamada Vila de Santa Catarina e de acordo com informações do portal Uol, não tomaram a vacina por temerem complicações.”Elas [Deneci e Denilde] não quiseram a vacina por falta de informação, falta de divulgação dos motivos para tomar. Como tinham diabetes, elas tinham medo de tomar e complicar a saúde delas”, comentou Altair Carboni Pedro, de 55 anos, irmão do trio.

Segundo Altair, Valdir não se imunizou porque precisava trabalhar: “Ele, inclusive, foi o primeiro a falecer”. Os irmãos que foram vítimas da Covid-19 infectaram pelo menos 12 pessoas da família antes de vierem a óbito. Precisaram de atendimento hospitalar no final de agosto e de transferência para UTIs em um hospital da cidade de Sombrio, também em Santa Catarina.

O primeiro a falecer foi Valdir, às 5 horas da manhã de 13 de setembro. Ainda nos preparativos para o sepultamento de Valdir, Denise veio a óbito às 14h30. O pai e a mãe das vítimas, de 86 e 81 anos, não desenvolveram para casos graves da doença por terem sido imunizados anteriormente.

“Nos três velórios, na hora do sepultamento, eu fiz um apelo a quem talvez não tivesse vacinado por qualquer motiv, porque a gente também não pode julgar as pessoas”, disse Altair, que já tomou as duas doses da vacina.

“Diante da situação que a gente viveu e estamos vivendo, nunca sabemos porque não vão vacinar, talvez falta de informação e incentivo”, lamenta.

Altair contou ainda que após seu pedido no velório uma família inteira de primos e outros familiares se empenharam em se imunizar. O seu objetivo é fazer com que o maior número de pessoas se conscientize na importância de tomar a vacina. “A gente perdeu três irmãos em um espaço de oito dias, e cada um deles tinha filhos jovens. […] Procure se vacinar, procure se proteger. Muitas pessoas estão ignorando esse tipo de coisa, fazendo muito ‘ajuntamento’, festas. Coisa que leva o vírus a se propagar”, ressalta.

A Secretaria Municipal de Saúde em São João do Sul tem se empenhado para imunizar o maior número de pessoas.”Nós buscamos, disponibilizamos a vacina nos finais de semana. Mas é uma escolha muito pessoal.” Segundo informações, na cidade que tem apenas 7.332 habitantes, 1.018 pessoas foram infectadas pela Covid-19 e 18 mortes foram registradas.

Da redação do Acontece na Bahia

Tag(s): , , , .

Categoria(s): Destaque, Nacional.

Comente: