Dilma faz duras críticas às atitudes de Bolsonaro e afirma que Auxílio não pode ser objeto de chantagem do presidente

Uma notícia estampou as manchetes dos jornais e chamou a atenção dos internautas nesta manhã de segunda-feira (1). A ex-presidente Dilma Rousseff (PT) causou burburinho após afirmar m artigo publicado em seu site que o “auxílio emergencial não pode ser objeto de chantagem”. Assim, a petista criticou em texto as falas do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) sobre o benefício.

“[Bolsonaro] chantageou os governadores, dizendo que se eles restringissem a circulação de pessoas e adotassem o necessário distanciamento social para evitar o contágio e as mortes deveriam assumir o pagamento do auxílio emergencial”, disse Dilma.

Bolsonaro voltou a atacar as medidas de isolamento adotadas pelos governadores em discurso realizado na cidade de Caucaia (CE): “Daqui para frente, o governador que fechar seu estado, que acabar com o emprego deve bancar o auxílio emergencial. Não pode continuar a fazer política e jogar para o colo do presidente da República essa responsabilidade”.

Assim, a ex-presidente afirmou que a atitude de Bolsonaro fere a cláusula pétrea da constituição federal, como o respeito ao princípio federativo e o dever do estado de prover saúde como direito de todos”. “É uma atitude genocida, pois acrescenta ao desprezo pelas medidas para barrar as doenças e as mortes a chantagem, com o objetivo de impedir que os governadores o façam”, disse.

Por fim, ela termina o texto afirmando ter esperança no Legislativo. “O Congresso, ao votar a PEC Emergencial, deve eliminar a possibilidade de a União utilizar o auxílio emergencial para incentivar o negacionismo quanto à pandemia, chantageando governadores.”.

Da redação Acontece na Bahia.

Tag(s): , , .

Categoria(s): Destaque.

Comente: