Senador que foi descoberto com dinheiro “entre as nádegas” é afastado e Delegado explica como descobriu: “Ele pediu para ir no banheiro”

Nesta quinta-feira, dia 15, o Supremo Tribunal Federal afastou o senador Chico Rodrigues (DEM-RR) por 3 meses. Na noite do último dia 14, uma notícia envolvendo Chico tomou as manchetes de todo o país. Mas o que aconteceu?

Durante uma operação da Polícia Federal, Chico foi pego numa situação, digamos, inusitada. Informações preliminares dão conta de que o senador estava com um considerável volume de dinheiro “entre as nádegas”. Então, tudo começou quando os agentes estavam fazendo buscas e o senador pediu para ir ao banheiro. Contudo, nessa hora um detalhe chamou a atenção do Delegado e foi aí que eles descobriram o dinheiro:

“Efetuamos a busca no cofre situado no quarto do Sr. Pedro Rodrigues, filho do Senador, no qual não foram encontrados valores ou documentos relacionados aos fatos sob investigação. Contudo, nesse momento, o Senador Chico Rodrigues indagou ao Delegado Wedson se poderia ir ao banheiro. O Delegado Wedson respondeu que sim, mas informou que o acompanharia. Nesta hora, o Delegado Wedson percebeu que havia um grande volume, em formato retangular, na parte traseira das vestes do Senador Chico Rodrigues, que utilizava um short azul (tipo pijama) e uma camisa amarela. Considerando o volume e seu formato, o Delegado Wedson suspeitou estar o Senador escondendo valores ou mesmo algum aparelho celular. Ao fazer a busca pessoal no Senador Chico Rodrigues, num primeiro momento, foi encontrado no interior de sua cueca, próximo às suas nádegas, maços de dinheiro que totalizaram a quantia de R$ 15.000,00, conforme descrito no item 3 do Termo de Apreensão em anexo.”

Da Redação do Acontece na Bahia.

Tag(s): , .

Categoria(s): Destaque, Nacional.

Eleitor poderá justificar pelo celular o motivo de não votar

As lojas de aplicativo de celular (app) colocam à disposição nesta quarta-feira (30) uma nova versão do e-Título com mais funcionalidades. O recurso eletrônico possibilitará a justificativa de ausência nas votações de 15 de novembro (1º turno) e 29 de novembro (2º turno), até 60 dias após cada pleito, por meio dos celulares e tablets.

Até as eleições, o e-Título estará atualizado para que as justificativas possam ser apresentadas a partir do dia da votação por quem não compareceu – por estar fora do domicílio eleitoral ou impedido de ir à zona eleitoral.

O e-Título, desenvolvido pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), também permite ao cidadão gerar certidões de quitação eleitoral e de nada consta de crimes eleitorais, além de fazer a autenticação de documentos da Justiça Eleitoral.

O acesso ao aplicativo é gratuito e funciona em sistemas operacionais Android e iOs . Conforme nota da Justiça Eleitoral, para baixar o aplicativo, basta procurá-lo na loja de aplicativos do seu dispositivo móvel ou acessar o hotsite do título de eleitor no Portal do TSE.

Nas eleições de 2018, 29,9 milhões de pessoas no primeiro turno e 31,3 milhões de pessoas no segundo turno deixaram de votar. Quem até hoje não justificou deve emitir o boleto para quitação de multas nos sites do TSE ou dos tribunais regionais eleitorais. A justificativa é obrigatória.

O pagamento deve ser feito pela Guia de Recolhimento da União (GRU) no Banco do Brasil. Depois de fazer o pagamento, o cidadão deve aguardar a identificação do recolhimento da multa pela Justiça Eleitoral e o registro na inscrição pela zona eleitoral. Essas informações estarão disponíveis pelo e-Título.

As soluções e os procedimentos acessíveis pelo documento também podem ser acionados pelo site ou pessoalmente nas seções eleitorais. O TSE orienta que em caso de urgência para a regularização da situação eleitoral, o cidadão deve entrar em contato com a zona eleitoral onde está inscrito para orientações sobre a baixa da multa no sistema.

Conforme a Justiça Eleitoral, o cidadão que não votar por três pleitos, nem justificar ausência, nem pagar as multas devidas terá o título cancelado.

Tag(s): .

Categoria(s): Nacional, Politica.

Moro chama “cônjuge” de “conge”!

Um erro crasso, em que chama “cônjuge” de “conge”, cometido e repetido pelo ministro da Justiça, Sérgio Moro, viralizou em vídeo nas redes sociais.

Em audiência pública da Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) do Senado na quarta-feira (27), Moro por duas vezes pronunciou a palavra de forma errada ao explicar um dos pontos de seu pacote “anticrime” aos senadores. Assista.

Na comissão, Moro voltou a defender o endurecimento das punições a crimes de corrupção e a crimes contra a vida, foco do pacote anticrime apresentado por ele ao Congresso em fevereiro. O ministro afirmou que está aberto ao diálogo e a aperfeiçoamentos sugeridos pelos parlamentares.

Fonte: Revista Fórum

Tag(s): .

Categoria(s): Regional.

Desembargador manda libertar Temer, Moreira Franco e mais 6

Ordem judicial para libertar Temer e Moreira Franco foi dada na tarde desta segunda-feira. O desembargador Antonio Ivan Athié, do TRF-2 (Tribunal Regional Federal) da 2ª Região, determinou na tarde desta segunda-feira (25) a soltura do ex-presidente Michel Temer, do ex-ministro Moreira Franco e de mais seis investigados que estavam detidos desde quinta-feira (21) por decisão do juiz Marcelo Bretas. As informações são do portal BBC Brasil.

Ordem judicial para libertar Temer e Moreira Franco foi dada na tarde desta segunda-feira.

O desembargador Antonio Ivan Athié, do TRF-2 (Tribunal Regional Federal) da 2ª Região, determinou na tarde desta segunda-feira (25) a soltura do ex-presidente Michel Temer, do ex-ministro Moreira Franco e de mais seis investigados que estavam detidos desde quinta-feira (21) por decisão do juiz Marcelo Bretas.

As informações são do portal BBC Brasil.

Tag(s): .

Categoria(s): Nacional, Politica.