Médica vai a hospital e flagra mulher que usava seu nome para clinicar sem diploma

Uma notícia tem sido destaque nas redes sociais nesta segunda-feira (19). A polícia prendeu na Baixada Fluminense uma mulher que se passava por médica, em Nova Iguaçu. Segundo a polícia, a falsa médica trabalhava na  Unidade de Terapia Intensiva do hospital Prontonil, e clinicava usando o nome de uma médica credenciada.

A falsa profissional foi flagrada pela médica verdadeira que não quis gravar entrevista. A médica confirmou o caso e disse que Bruna Carla de Oliveira Sozin, a falsa profissional, usava seu número no Conselho Regional de Medicina (CRM), nos atendimentos que realizava. Mas não é só isso…

Os funcionários do hospital confirmaram que a falsa médica, que foi presa em flagrante, era responsável por duas unidades de terapia intensiva. As investigações estão sendo conduzidas pela delegacia de Nova Iguaçu, que procura saber a quantidade de pessoas que foram atendidas pela falsa médica.

Desde o início do ano, vários casos de exercício ilegal da medicina foram revelados no Rio de Janeiro. Um falso médico identificado como Itamberg Saldanha, foi preso em maio ao dá plantão na UPA de Realengo, Zona Oeste, clinicando com a identidade e carimbo de um médico credenciado.

Da redação do Acontece na Bahia

Foto: Reprodução/TV Globo

Tag(s): , , , .

Categoria(s): Destaque, Nacional.

Falsa médica é desmascarada e presa por policiais; a mulher chegava a atender 130 pacientes por plantão

Uma notícia chocou os internautas nesta manhã de quinta-feira (8). Uma mulher, identificada como Bianca Castelo Lopes foi presa por policiais da 58ª DP (Posse) na última segunda-feira (5). A mulher foi presa em um posto de saúde em Imbariê, Duque de Caxias, na Baixada Fluminense após se passar como médica.

De acordo com os policiais, a mulher é farmacêutica e estudante de Medicina e exercia de forma ilegal a medicina.

Além do posto, ela atuou da mesma forma no Hospital Moarcyr do Carmo, também em Caxias.

Os policiais pegaram a mulher em flagrante usando um carimbo de uma médica, que não teve o nome divulgado. Assim, antes de ser presa, Bianca prestou atendimento a diversas pessoas e passou medicamentos para pessoas com sintomas clássicos da Covid-19. A mulher admitiu o crime à polícia e afirmou que atendia cerca de 130 pessoas por plantão.

A mulher foi presa e responderá por crimes de falsidade ideológica, exercício ilegal da medicina e expor a vida ou a saúde de outrem a perigo direto e iminente.

Da redação Acontece na Bahia.

Tag(s): , .

Categoria(s): Destaque.