Depois de saber que seria demitida, apresentadora da Globo manda direta ao vivo e ironiza a situação

Uma história inusitada está em alta nesta quarta-feira (6). Enfrentando um momento difícil, uma apresentador não se segurou e acabou falando o que queria quando estava ao vivo. Mas afinal, o que aconteceu?

A apresentadora Carina Pereira, da Globo do estado de Minas Gerais, protagonizou um caso complicado. Depois de ser uma das líderes da ala esportiva da emissora, trabalhando por 6 anos, Carina recebeu a informação de que estava sendo demitida. Aos 41 anos, ela obteve bons resultados durante esse tempo, mas parecia não esperar o desligamento. Então, sabendo dessa dura realidade, a apresentadora acabou falando demais ao vivo.

Já ciente da demissão, a apresentadora ainda chegou a aparecer num programa dessa semana. Ao responder um colega que apresentava uma atração, Carina disparou: “Que bom que você vai estar aqui essa semana inteira”. Ironizando o fato de ter recebido a demissão e gerando um clima estranho no programa. A alfinetada dela repercutiu na rede e, como sempre, dividiu opiniões.

Da Redação do Acontece na Bahia.

Tag(s): .

Categoria(s): Nacional.

Apenas uma semana depois de receber alta, apresentadora Palmirinha volta a ser internada e família pede orações

Uma notícia preocupou a todos nesta segunda-feira (21). Após receber alta recentemente, uma querida apresentadora precisou ser internada pela terceira vez esse ano. Mas afinal, o que aconteceu?

A querida apresentadora e culinarista Palmirinha precisou ser internada novamente apenas uma semana depois de receber alta. Aos 89 anos, a Vovó Palmirinha acabou internada outras duas vezes esse ano. A primeira internação ocorreu por conta de uma infecção urinária. Já a segunda vez, aconteceu depois que a apresentadora teve uma crise de vômitos relacionada a um problema metabólico e a uma baixa de sódio. Mas não é só isso. Antes da última alta, Palmirinha chegou a ficar 7 dias na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) preocupando a todos.

Alguns dias antes da última alta hospitalar, a neta dela, Adriana Paula Rosa, que também é culinarista, disse que quando a avó deixou a UTI ela já estava até passando batom e arrumando o cabelo:

“Oi a todos os netinhos da Vovó Palmirinha. Como prometido, vim, com muita alegria, dizer que nossa amada vovozinha deixou a UTI hoje. Ela está bem, já pediu para passar perfume, arrumar o cabelo, passar batom. Em poucos dias já estará em casa, se Deus quiser. Agradeço a todos que deixaram uma mensagem de carinho, a todas as orações e pensamentos positivos.” Contudo, agora Palmirinha piorou e precisou retornar ao hospital.

Então, dessa vez  constatou-se que a apresentadora teve novamente infecção urinária e problemas metabólicos. No momento não há previsão de alta para Palmirinha. Além disso, a família pediu por orações.

Da Redação do Acontece na Bahia.

Tag(s): , .

Categoria(s): Nacional.

Emissora pede desculpas após apresentadora contar história falsa sobre racismo

Neste sábado (21) uma história curiosa tomou as redes. A apresentadora Fernanda Maia contou uma história falsa durante o SBT Esporte enquanto comentava sobre questões raciais no futebol. Então, depois disso é claro que a internet não deixaria passar.

Durante o programa de esportes, Fernanda começou a falar e parece ter se empolgado um pouco nos seus comentários. Ela disse que os negros eram “proibidos de jogar futebol no Brasil”, o que gerou uma aparente estranheza nos colegas que estavam ao vivo com ela. Essa informação soa bem estranho até mesmo para quem não acompanha muito o futebol, visto que, historicamente falando, o futebol brasileiro é marcado por grandes atletas negros. Ela disse:

“Era proibido ter negros jogando futebol, que era um esporte um pouco elitizado. Havia uma segregação racial tão triste, mas que acontecia. Inclusive, os jogadores do Fluminense colocavam pó de arroz no rosto para esconder a cor da pele porque os negros era proibidos de jogar futebol.” As declarações não pegaram nada bem e ela foi corrigida pelo Fluminense:

“Na realidade, a história do pó de arroz partiu de uma provocação da torcida americana ao Carlos Alberto, que tinha o conhecido hábito de usar talco desde o seu ex-clube (o América-RJ). Chateados com o fato do jogador ter saído, os americanos o perseguira e a torcida do tricolor transformou a ofensa em um dos maiores símbolos do nosso futebol. Por ignorância, gerou rótulos racistas e homofóbicos de torcidas adversárias, que distorceram por completo a história. Não à toa, com orgulho, o Tricolor afirma que ‘nós somos a história’. Estamos contra qualquer tipo de preconceito. Afinal, somos o Time de Todos.” Além disso, a emissora ainda precisou se desculpar depois da gafe:

“No SBT Esporte Rio de hoje erramos ao falar da origem do apelido pó de arroz do Fluminense. Pedimos sinceras desculpas ao clube e seus torcedores.”

Da Redação do Acontece na Bahia.

Tag(s): .

Categoria(s): Nacional.