Search
Close this search box.

Reviravolta no caso Jéssica: polícia conclui que jovem vítima de fake news forjou prints com Whidersson Nunes

Um caso que gerou grande comoção nacional e foi recentemente noticiado volta a ser destaque nesta quarta-feira (6) com uma reviravolta trazida pelas autoridades. A Polícia Civil de Minas Gerais encerrou as investigações sobre a morte da jovem Jéssica Canedo, ocorrida em dezembro do ano passado, após a propagação de fake news alegando que ela mantinha um relacionamento amoroso com o humorista Whindersson Nunes.

As autoridades concluíram que os prints falsos das supostas conversas entre Jéssica e o humorista foram fabricados pela própria jovem. De acordo com informações do portal Leo Dias, ela teria criado as imagens e as compartilhado com páginas de fofoca por meio de perfis falsos.

“A investigação apurou e concluiu que todas as notícias veiculadas e todas as informações divulgadas pelas páginas de notícias foram criadas e originadas pela própria jovem. Ela fez toda a montagem e a disseminou para as páginas de notícias esse suposto relacionamento dela com o humorista [Whindersson]”, informou a polícia.

Foi confirmado pela polícia que a jovem estava enfrentando um quadro de depressão e que foi alvo de ataques nas redes sociais após a divulgação dos prints falsos. As investigações revelaram que as mensagens foram criadas pela própria jovem. O humorista Whindersson também foi ouvido pela polícia e afirmou não conhecer Jéssica.

Ademais, a jovem também recebeu uma mensagem que incitava o suicídio. “A autora da mensagem, uma jovem de 18 anos, da cidade de Rio das Ostras/RJ, foi identificada e indiciada pelo crime de instigação ao suicídio”, diz o comunicado divulgado pela polícia ao Portal Leo Dias.

Foto: Reprodução

Da redação do Acontece na Bahia