Search
Close this search box.

Morre a influenciadora Dai Cruz aos 31 anos após perder a luta contra doença rara 

Uma informação tem repercutido nas redes sociais e deixado milhares de pessoas tristes. A morte prematura da influenciadora digital baiana Dai Cruz, de 31 anos, após lutar arduamente contra a epidermólise bolhosa, doença de pele genética, marca o esforço e o desejo de viver mesmo em meio a muitas limitações. Generosidade, solidariedade, simpatia, eram características de Dai Cruz que marcaram sua permanência entre nós e certamente são qualidades pelas quais ela queria ser lembrada. A influenciadora carismática deixa uma legião de fãs que ela acumulou ao longo do tempo nas redes sociais. A informação de sua morte foi confirmada no sábado (24) pela equipe dela, por meio das redes sociais. Dai morava em Jequié, no sudoeste da Bahia. 

Dai Cruz possuía mais de 2 milhões de seguidores nas redes sociais e compartilhava com os seguidores a rotina de cuidado com a doença. Nas postagens, ela falava sobre como as outras pessoas olhavam para as lesões, além das dificuldades diárias, como secar a pele com uma toalha grossa. 

“Chegou um dos dias mais difíceis e tristes no nosso jardim, um daqueles dias em que passa um filme na nossa cabeça. O dia em que a nossa voz embarga na garganta, e lágrimas sem fim escorrem por nossa face. Mesmo em lágrimas, temos certeza que o céu tá em festa, e deixa eu contar para vocês como foi a chegada dela no céu”, disse o comunicado. 

Por causa das lesões causadas pela epidermólise bolhosa, a influenciadora digital nunca frequentou a escola, apesar da doença não ser contagiosa. A enfermidade é hereditária, rara e não tem cura. Dai também enfrentava um câncer desde 2022. 

“Foram 31 anos de sofrimento que a EB [epidermólise bolhosa] impôs a ela, mas com todo o sofrimento ela conseguiu deixar bravamente um legado lindo, ensinou a muitos o verdadeiro sentido da vida, do amor, da força e principalmente da fé”, escreveu a equipe de Dai Cruz. 

Apesar de não ter frequentado aulas em escolas, Dai aprendeu a ler e escrever na casa onde morava em Jequié. 

“A gente vai levando um dia de cada vez, quando vejo que estou cansada ou irritada com as lesões, paro e respiro. Depois, quando me sinto bem, vou voltando aos poucos, porque motivar é muito bom”, disse a influenciadora em entrevista à TV Bahia em 2022.  

Foto: Redes Sociais 

Fonte: G1