Search
Close this search box.

Homem tem órgão sexual amputado pela ex-companheira e reata com ela

Um caso de repercussão nacional voltou à tona hoje, dia (8), de uma forma surpreendente. O protagonista da história é o frentista Gilberto Nogueira de Oliveira, de 39 anos, que teve o pênis amputado pela companheira Daiane dos Santos Farias, de 34. Daiane, que é cozinheira, disse que sua motivação foi ter sido traída por Gilberto, que se relacionou com a sobrinha da mulher, de 15 anos.

Daiane confessou toda a trama e foi presa. Revelou que por vingança ela prendeu o órgão genital do parceiro em um elástico e usou uma navalha para cortá-lo. Já Gilberto passou por uma série de cirurgias e ainda não está totalmente recuperado.

No entanto, houve uma reviravolta na história. À época do crime, no fim de 2023, Gilberto dizia que não perdoaria Daiane. Porém, segundo informações do colunista Ulisses Campbell, o casal reatou o relacionamento e tem se falado.

Na coluna True Crime, o jornalista revelou troca de cartas entre o casal. Conforme os registros, a primeira mensagem foi enviada por Gilberto, no dia 15 de março, que queria saber como Daiane estava.

O frentista achava que jamais receberia resposta. Porém, para sua surpresa, duas semanas depois, ele recebeu uma carta escrita de dentro da Penitenciária Feminina de Mogi Guaçu, onde a cozinheira aguarda julgamento.

Ao responder Gilberto, Daiane contou sentir “vergonha” de ter decepado o companheiro e relatou as condições deploráveis do cárcere.

“Estou usando duas calcinhas há dois meses. Não consegui um trabalho aqui na cadeia. Ainda bem, porque teria de tirar a roupa todos os dias para passar de uma ala para outra. A revista íntima é obrigatória. E não queria que as funcionárias do presídio soubessem que só tenho duas calcinhas”, revelou.

Daiane disse que dorme no chão de uma cela de dois metros quadrados ao lado de outras duas detentas que não tomam banho.

Na carta, afirmou nunca ter recebido visitas e que sente “muitas saudades” dos filhos, da casa, dos cachorros, dos gatos e, principalmente, de Gilberto. Ela pediu perdão e perguntou se ele estaria disposto a reatar o relacionamento.

Na resposta seguinte, Gilberto afirmou que perdoou completamente a mulher e se mostrou disposto a voltar. Na correspondência, ele manifestou o desejo de visitá-la na cadeia assim que for possível e também se propôs a arcar com as despesas de sua defesa, estipulada em R$ 40 mil.

Ao blog True Crime o homem revelou que decidiu voltar para Daiane porque a ama mais do que tudo.

“Se não tivesse tido relações sexuais com a minha sobrinha no dia do aniversário da minha companheira, nada disso teria acontecido. Daiane é uma mulher maravilhosa, amorosa, que me ama. Ela não merecia ser traída dessa forma. Foi exposta para todo o país. (…) Não me importo com o que os outros pensam. O que realmente importa é o que sinto por ela”, disse o homem.

Órgão sexual não foi reimplantado

O crime aconteceu quando Gilberto e Daiana se preparavam para casar. Os dois mobiliaram uma casa de sírio em Atibaia, no interior paulista. Ela tem dois filhos de outro relacionamento; ele, um. Antes do Natal, Daiane descobriu que seu companheiro estava tendo um caso com sua sobrinha de 15 anos.

Foto: Reprodução

Da redação do Acontece na Bahia