Vereador suspeito de matar motociclistas recebe liberdade provisória, mas perde habilitação

Na última segunda-feira (24), o vereador Pedro Marconi de Souza Barros, de Brejo da Madre de Deus, recebeu liberdade provisória, após ficar preso durante 24 h.

Nesse contexto, ele foi detido após atropelar um grupo de 30 motoqueiros  na PE-96, em Água Preta, Zona da Mata de Pernambuco. Três pessoas morreram na hora e outras cinco, feridas, foram hospitalizadas.

De acordo com o Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE), não foi estipulado fiança, mas determinou que ele se apresentasse mensalmente às autoridades para informas e justificar suas atividades, e que não saia da sua residência por mais de 7 dias. Além de perder a carteira de habilitação.

“Ele não conseguiu dar uma explicação no interrogatório. Disse que estava voltando para casa, depois de deixar algumas pessoas em um hospital, estava normal e, de repente, sofreu um apagão. Imediatamente fiz o teste do bafômetro, que deu negativo”, disse a delegada Juliana Bernat, responsável pelo caso.

“Também foi coletada urina, para saber se ele consumiu alguma substância que possa ter alterado a capacidade psicomotora. Estou aguardando o resultado. Ele falou que tomava dois remédios, mas, a princípio, essas medicações que ele contou não alteram a capacidade de pensar”, completou.
“Eu, como um dos organizadores, fiquei presente no local, ajudando as autoridades. O momento em si foi de muito estresse, de trauma, de cabeça quente de todos os envolvidos. Não estou dizendo que ele foi quem causou ou é o único culpado, mas perdoo e peço perdão por qualquer palavra que tenha sido dita no momento. Somos seres humanos. Ninguém está preparado para passar por isso, ver os nossos melhores amigos mortos na nossa frente”, emocionou-se, diz Samuel Calado, uma das vítimas do acidente.
Por fim, uma das vítimas está internada e outras duas serão sepultadas nesta terça-feira em Maceió, Alagoas.

Categoria(s): Nacional.

Comente: