Vacina ‘Sputnik V’ começa ser aplicada nesta semana na população Russa contra a covid-19

De acordo com anuncio do Ministério da Saúde da Rússia no último sábado (15) que produziu o primeiro lote da vacina contra a covid-19 registrada do país, que será comercializada com o nome Sputnik V.

“O primeiro lote da vacina foi produzido pelo Instituto Gamaleya de Epidemiologia e Microbiologia, do Ministério da Saúde”, disse a pasta em comunicado.

“Dentro de alguns dias, entre 10 e 13 de setembro, devemos obter permissão para lançar um lote da vacina para uso civil. A partir deste momento, a população passará a ser vacinada”, disse Logunov no dia 4 à agência de notícias Tass.

Nesse contexto, o diretor do instituto, Alexandr Ginzburg, havia informado que até dezembro deste ano ou janeiro de 2021 o país produzirá 5 milhões de doses mensais da vacina, e que no decorrer de um ano, será capaz de cobrir todas as necessidades de fornecimento.

Além disso, a Organização Mundial da Saúde (OMS) recebeu com cautela a notícia de que a Rússia havia registrado a primeira vacina do mundo contra a covid-19, alegando que esta, assim como as demais, terá que seguir os procedimentos de pré-qualificação e revisão estabelecidos pela agência.

Ademais, A vacina russa não estava entre as seis que a OMS disse na semana passada serem as mais avançadas em desenvolvimento.

A agência baseada em Genebra citou, entre essas seis, três candidatas a vacinas desenvolvidas por laboratórios chineses, duas por empresas americanas (Moderna e Pfizer, neste último caso em conjunto com a alemã BioNTech) e uma britânica desenvolvida pelo grupo anglo-sueco AstraZeneca e a Universidade de Oxford.

Por fim, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse nesta sexta-feira (14) que a Rússia “pulou alguns testes” no desenvolvimento da vacina, e que seu país não fará o mesmo.

Categoria(s): Internacional.

Comente: