Três pessoas são denunciadas por ter matado a marretadas e incinerado o corpo de dona de casa

Uma história chocante ganhou mais um episódio nesta terça-feira (27).Pois, três pessoas foram denunciadas pelo assassinato de uma mulher de 40 ano. A vítima desapareceu, em fevereiro de 2020, após ter desembarcado no Aeroporto Internacional de Goiânia, voltando de uma viagem à Colômbia. De acordo com as investigações do Ministério Público do Estado de Goiás, a mulher foi brutalmente assassinada a marretadas, e em seguida foi incinerada em fornalha.

Segundo o portal Metrópoles, o motivo do assassinado seria porque o empresário, identificado como Juscelino Pinto Fonseca, teve um relacionamento com a vítima, quando ainda era casado. Além disso, de acordo com as informações da denúncia, a vítima, identificada como, Lilian Oliveira, teria brigado várias vezes com o empresário, por falta de pagamento de pensão alimentícia, para filha deles.

Ainda de acordo com o portal, outras duas pessoas são acusadas de ter praticado o crime. Foram eles, a babá, Cleonice  de Fátima Ferreira, e o amigo do empresário, Ronaldo Rodrigues Ferreira. Ambos foram denunciados por rapto e por homicídio qualificado.

O portal Metrópoles recebeu um comunicado do advogado de defesa do empresário e da babá, Thiago Sifferman.  “a defesa segue na certeza da inocência dos acusados e na expectativa de que possa ser revelado a integralidade do que existe nas investigações” disso o advogado em nota.

Em nota, a advogada de defesa de Ronaldo Rodrigues, Marcela Matias Pereira, informou que em nota que, nas investigações através das filmagens, teria observado um homem, muito diferente da fisionomia de Ronaldo. ”O carro assinalado nas filmagens, igualmente, nunca foi encontrado em posse do denunciado, nem qualquer outro vestígio” disse em um comunicado enviado ao portal.

De acordo com as investigações do Ministério Público de Goiás, as informações são de que o empresário Jucelino, teria supostamente contratado, o seu amigo, Ronaldo para assassinar Lilian Oliveira, como pagamento, o empresário perdoaria a dívida de R$ 20 mil. Ainda de acordo com  a denúncia, a babá  teria arquitetado parte do plano. Cleonice tomava conta da filha de 4 anos da vítima, ela teria gerenciado a volta de Lilian ao Brasil, para que fosse morta. Segundo informações, o objetivo de Cleonice era ficar com a filha da patroa.

 Até o momento, o trio que teria praticado o homicídio, estão em liberdade. Mesmo depois que o empresário, durante o depoimento, teria afirmado ser o mandante do crime.

“Em razão dos desentendimentos do casal acerca dos gastos decorrentes de seu relacionamento extraconjugal e da pensão alimentícia, Jucelino passou a planejar a morte de Lilian, revelando suas pretensões para a denunciada Cleonice, que fora contratada para ser uma espécie de babá da criança, e que informava detalhes da vida pessoal de Lilian para Jucelino” disse a denúncia.

As informações disponibilizadas pelo portal Metrópoles, são de que o destino do caso está na mão do Judiciário goiano, e que eles vão verificar se o trio vão para a júri popular pelo assassinato, ou não.

Da Redação do Acontece na Bahia.

 

Tag(s): , , .

Categoria(s): Destaque, Nacional.

Comente: