Três irmãos morrem em Vila Real após quarto da casa em que viviam pegar fogo. Pai tentou salvá-los

Uma notícia extremamente triste aconteceu na madrugada desta quarta-feira (17), em Vila Real, Poá. Os irmãos Gabriel Reis de Faria e Vieira, de 9 anos; Fernanda Verônica Reis de Faria e Vieira, de 14 anos, e Lorenzo Reis de Faria e Vieira, de 2 anos, morreram após o quarto da casa onde viviam pegar fogo e o pai não conseguir salvá-los. As três crianças eram adotadas.

Segundo informações dadas pelos bombeiros, o pai Ricardo Reis de Farias e Vieira, dormia no quarto ao lado ao das crianças e tentou arrombar a porta quando percebeu o incêndio, mas não conseguiu. Desesperado, correu até a delegacia próxima a sua casa.

O delegado Eliardo Amoroso explica:

“Ele veio pedir socorro na delegacia, porque as crianças estavam trancadas lá e ele não conseguia arrombar a porta. O policial civil foi até a casa e arrombou a porta. Em razão das chamas, não conseguiu avançar até o quarto, ingressar no quarto”

Logo em seguida os bombeiros foram acionados e oito veículos da corporação foram até a casa. O capitão Edson Vieira explica:
“Quando nossa primeira viatura chegou, o fogo já havia tomado toda a casa. A gente se limitou a tentar baixar a temperatura para iniciar a operação. São três cômodos. Eles iniciaram a exploração pelo cômodo dos fundos, pelo quarto dos fundos. Em seguida, adentraram o quarto do meio, onde foram encontrados os três corpos”

“O cômodo menos atingido foi o da frente, que é a sala. Os dois quartos [foram] completamente tomados. A casa foi 90% tomada pelas chamas, pela fuligem. Tinha grades nas janelas e talvez isso tenha dificultado a saída das crianças. Só a perícia vai dizer, posteriormente”

O outro pai das crianças, Leandro José de Faria e Vieira chegou no local na manhã de hoje e ficou em estado de choque.

A causa do incêndio ainda é desconhecida e de acordo com o delegado, uma segunda perícia será realizada:
“O trabalho pericial está sendo feito. A gente ainda está na pendência de conseguir confirmar alguns detalhes. Nesse momento a gente trabalha com todas as possibilidades. Não descarta nada”.

“Algumas pessoas já foram ouvidas. No momento, a polícia já tem informações que estão sendo checadas com testemunhas e câmeras de monitoramento que possam ter captado imagens”

As três crianças tinham sido adotas pelo casal Ricardo e Leandro. O menino de 9 anos e a adolescente foram adotados em 2014 e o bebê foi adotada em 2019. O casal está separado e a cada semana um dos dois ficava com as crianças. Segundo a tia dos irmãos, os pais eram muito atenciosos e carinhosos:

“Eles dois amavam as crianças. As crianças eram tudo pra eles. A gente não sabe o que aconteceu”

“Sempre foram exemplo de família. As crianças, educação ímpar. Sempre bem tratadas, criadas. Essas informações que a gente tem, não só de hoje. Os relatos são os melhores possíveis”

Em 2019, toda a família chegou a dar uma entrevista à TV Diário para conversar sobre adoção por casais homoafetivos. Nessa entrevista, inclusive, a adolescente Fernanda chegou a falar que não existe família certa ou errada, mas que somente o amor importava.

Da Redação do Acontece na Bahia

Tag(s): , .

Categoria(s): Destaque.

Comente: