Tom Veiga, o Louro José, morreu três dias após decidir tirar a ex-mulher do testamento

Uma notícia tem sido destaque nas redes sociais nesta terça-feira (6). Tom Veiga, o Louro José, três dias antes de sua morte, convidou um amigo para servir como testemunha de uma alteração que iria fazer no cartório. De acordo com matéria feita pelo jornal Extra, Tom mostrou a intenção de retirar o nome de Cybelle Hermínio da Costa Veiga, ex-mulher, do testamento.  

Por meio de áudios gravados, Tom Veiga solicita o acompanhamento de um amigo para que pudesse estar com ele no cartório e servir de testemunha na alteração do testamento. “Pode ir lá comigo para cancelar essa bosta?”, pede ele em um dos áudios que foram enviados em 29 e 30 de outubro de 2020.Tom Veiga foi achado morto em sua casa no dia 1º de novembro de 2020, no Rio de Janeiro.  

Tom Veiga foi indagado pelo amigo sobre o motivo de não querer ir ao cartório no dia posterior e afirmou que não seria viável pois estaria a fazer o acompanhamento de instalações de câmeras de segurança em sua residência. Informou ainda ao amigo que o testamento e o divórcio da ex estavam na responsabilidade do mesmo advogado. “Fica sossegado. Não pretendo morrer esta semana, não”, comentou Tom, combinando com o interlocutor a resolução do problema assim que retornasse de São Paulo.     

A partilha dos bens estava assim disposta: 50% dos bens seriam para Cybelle e 12,5% para cada um dos quatro filhos de Tom. Os filhos de Tom Veiga entraram com uma ação cível para provar que a ex-mulher de Tom é indigna de receber a parte da herança. A filha mais velha de Tom, Amanda, entrou com ação judicial para fazer parte do testamento, fato que Cybelle não aceitava. A ex-mulher de Tom Veiga se coloca na condição de responsável por cuidar do espólio do artista. 

Da Redação do Acontece na Bahia  

Tag(s): , , .

Categoria(s): Destaque, Nacional.

Comente: