Tenente morto em Salvador tinha dado entrevista 24h antes, demonstrando preocupação com fuzis nas favelas: “Armamento pesado”

O tenente da Rondesp, Mateus Crec, morto na noite de ontem (12) após a guarnição ser surpreendida por bandidos, tinha dado uma entrevista 24h antes. Nessa entrevista, ele exaltava o sucesso de uma ocorrência, na qual tinha pega o chefe do tráfico na Roça da Sabrinha.

“Eles correram, mas conseguimos alcançar um indivíduo, apontado como chefe daquela localidade. Além das drogas, encontramos também com ele uns sacos para embalar entorpecentes e dois celulares”, falou o tenente.

Também foram encontradas 373 pedras de crack. Na tarde daquele sábado, o PM tinha afirmado para a Secretaria da Segurança Pública, que estava fazendo rondas na região com a guarnição, quando encontraram quatro suspeitos que fugiram quando perceberam os policiais.

Em suas redes sociais, o policial se orgulhava de pertencer à guarnição. “Essa [foto] marca a coroação de um ciclo na Rondesp. A coroação de todo um trabalho de um pelotão fod* […] Quando cheguei falei que iria apresentar um fuzil e ontem foi esse dia. Apresentar o primeiro fuzil na Rondesp foi uma realização pessoal”, começou.

“Menos um fuzil na área, menos um perigo para nossos policiais. Um fuzil de Assalto M4 556 com luneta de precisão. Armamento pesado nas favelas da cidade. Só gostaria que houvesse mais prestígio às ações policiais que combatem o crime organizado”, finalizou.

Mateus Grec foi atingido no tórax após a guarnição ser surpreendida por cerca de 20 a 30 bandidos. Em uma troca de tiros, o tenente foi morto.

 

Da Redação do Acontece na Bahia

Tag(s): , , .

Categoria(s): Destaque.

Comente: