É identificada no RJ nova variante do coronavírus; Ainda não é possível avaliar a letalidade

Uma notícia está sendo destaque nesta quinta-feira (06). Isso porque mais uma nova variante foi encontrada, e essa foi identificada no Rio de Janeiro. O comunicado foi divulgado pela Secretaria de Estado de Saúde do Rio de Janeiro (SES) hoje e a cepa recebeu o nome de P.1.2.

Essa variante, segundo os especialistas, é uma mutação da linhagem P.1, encontrada em Manaus – que uma frequência de 91,49%-. A P.1.2, porém, está em 5,85% de um total de 376 amostras. Essa P.1.2 está sendo encontrada, principalmente, na região mais a norte do Rio de Janeiro e em municípios da região metropolitana.

Ainda é cedo para avaliar, porém, a letalidade dessa variante. “A partir deste resultado, o monitoramento segue aprofundando os efeitos que poderão ser apresentados, ou seja, o comportamento epidemiológico da variante. Até o momento, não se pode avaliar se é mais transmissível e/ou letal”, explica a subsecretária de Vigilância em Saúde da SES e coordenadora da pesquisa, Cláudia Mello.

Nas amostras da pesquisa também foram encontradas as variantes  B.1.1.7, identificada inicialmente no Reino Unido, e P2, encontrada no próprio Rio de Janeiro. Entretanto, essas duas estão nas proporções de 2,13% e 0,53%, respectivamente.

A linhagem P.1 é a mais presente no Brasil, enquanto a P.2 permanece nas regiões norte e Baixada Litorânea. A cepa B.1.1.7 foi encontrada em todas as regiões, menos na Baixada Litorânea.

 

Da Redação do Acontece na Bahia

Tag(s): , , , .

Categoria(s): Destaque.

Paulo Guedes causa polêmica ao dizer que “o chinês” criou a covid-19 e que produziu vacinas com eficácias baixas

Uma notícia está sendo destaque nesta terça-feira (27). O ministro Paulo Guedes acabou causando polêmica durante o dia ao fazer uma alegação turbulenta. Durante reunião do Conselho de Saúde Suplementar (Consu), Guedes falou, sem saber que era gravado, que “o chinês” criou a covid-19 e ainda produziu vacinas de eficácia mais baixa do que aquelas desenvolvidas por farmacêuticas dos Estados Unidos, corroborando assim, para as teorias bolsonaristas de a China foi a criadora do vírus por interesse econômico.

“O chinês inventou o vírus e a vacina dele é menos efetiva que a do americano. O americano tem 100 anos de investimento em pesquisa. Os caras falam: qual é o vírus? É esse? Tá bom. Decodifica. Tá aqui a vacina da Pfizer. É melhor que as outras. Então vamos acreditar no setor privado”.

Essa alegação, porém, já havia sido desmentida pela Organização Mundial da Saúde (OMS) que informou que o coronavírus não saiu de laboratório, e sim que era um patógeno de origem animal.

Um trecho reunião foi transmitida em redes sociais do Ministério da Saúde e foi interrompido após os ministros perceberem a gravação e as imagens não estão mais disponíveis.

 

 

Da Redação do Acontece na Bahia

Tag(s): , , .

Categoria(s): Destaque.