Depois de dar à luz a sua filha, cantora Simone é diagnosticada com problema no útero: “Se não parar, aí vou ter que fazer um procedimento mais sério”

Depois de dar à luz a sua filha, cantora Simone é diagnosticada com problema no útero: "Se não parar, aí vou ter que fazer um procedimento mais sério"

Uma notícia divulgada nesta sexta-feira (7), tem deixado vários internautas e fãs da música sertaneja preocupados. Pois, logo depois que a cantora Simone Mendes, da dupla sertaneja Simone e Simaria, deu à luz a pequena Zaya, ela declarou que está com um problema grave no útero. A cantora contou que está com um sangramento muito intenso, e pior, ele está ocorrendo desde o nascimento de sua filha.

“Comecei a ficar preocupada. Chegando ao Brasil [ela deu à luz em Miami], procurei meu médico e, a princípio, foi passada uma medicação para que o sangramento parasse. Assim foi feito. E não resolveu”, disse a cantora em seu canal do YouTube.

A artista contou que passou por diversos exames e que seu médico informou que foi descoberto uma adenomiose, ou seja, quando  as células do revestimento do útero se fixam nas fibras musculares da parede uterina, causando uma forte menstruação permanente e dolorosa.

“Meu médico colocou um anticoncepcional Mirena [DIU], para que esse sangramento pare. Se não parar, aí vou ter que fazer um procedimento mais sério”, afirmou.

De acordo com o portal MSN, a irmã de Simaria, tentou acalmar os fãs com uma mensagem.“Mas, graças a Deus,  não é nada de mais. Dá para resolver”.declarou.

Leia também o portal do nosso editor www.romulofontoura.com.br

Da Redação do Acontece na Bahia.

Tag(s): , , .

Categoria(s): Artistas, Destaque, Nacional.

Em caso extremamente raro, bebê rompe o útero da mãe e fica com as pernas na cavidade abdominal

Uma notícia está sendo destaque nesta quarta-feira (28). Em um caso raro, um bebê de 25 semanas ( um pouco mais de 6 meses) perfurou o útero da mãe durante a gestação, fazendo com que as suas pernas ficassem na cavidade abdominal. O caso foi um exemplo de casos raros em um estudo do The New England Journal of Medicine e aconteceu na França.

Os médicos perceberam uma anomalia durante os exames de rotina da mãe, que tem 33 anos. O documento publicado revela, que mesmo perfurando o útero, a mãe não sentiu nenhum sintoma ou algo estranho.

Ainda segundo os estudos, apenas 0,5% de todos os casos de gravidez no mundo apresentam essa anormalidade, sendo casos “extremamente raros” e que apresentam grande risco de vida tanto para bebês quanto para a mãe.

Como essa é a sexta gravidez da mulher, suspeita-se que tenha existido um enfraquecimento da parede uterina. O parto foi de emergência, com o bebê nascendo com 1,4kg e não teve complicações.

 

 

Da Redação do Acontece na Bahia

Tag(s): , , , , .

Categoria(s): Destaque.