Aos 13 anos, estudante do Ceará é aprovado em 1º lugar no curso de direito em universidade do Rio

O adolescente Caio Temponi, de 13 anos, conseguiu a proeza de ser aprovado em primeiro lugar em direito na Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ). Ainda tão novo na idade, o jovem que já tem muito conhecimento, soube da conquista nessa terça-feira (22), com o resultado do Sistema de Seleção Unificada (Sisu).

Apesar de viverem no ceará, Caio e a família são naturais de Três Rios (RJ). Além da recente aprovação na universidade, o estudante é medalhista de ouro em olimpíada de matemática e dono de um canal no YouTube em que ajuda outros estudantes. O jovem também já alcançou aprovação no vestibular da Universidade Estadual do Ceará (Uece) em 2021, para o curso de administração.

A mãe de Caio, Laurismara Temponi, disse que em 2020, o filho também passou em primeiro lugar no exame da Escola Preparatória de Cadetes do Ar (Epcar), em Barbacena (MG). Na época, o rapaz conseguiu acertar todas as questões, se tornando o estudante mais novo a passar no concurso da Epcar.

Caio tem uma permissão para fazer um teste para adiantar os estudos e concluir o ensino médio para cursar a faculdade, entretanto, a mãe diz que a família acha melhor não pular etapas. Segundo ela, o filho vai tentar novamente entrar no ensino superior no ano que vem, quando ele vai concluir o 3º ano do ensino médio.

“No momento não é isso que a gente quer, que ele pule etapas. Esse também é um pensamento dele, mesmo sendo o curso que ele tanto desejou. Mas vamos deixar ele curtir os amigos, a adolescência dele, participar e vivenciar a escola. A vontade é grande sim, que ele vá, mas no momento o pensamento é que ele continue estudando o ensino médio e faça Enem no final do ano novamente. E decidir o que vamos fazer em caso de uma nova aprovação”, afirmou.

Laurismara explica que Caio não teve uma preparação exclusiva para o Enem, em razão de está em uma turma de estudos do Instituto Tecnológico da Aeronáutica (ITA). O jovem usou esses conhecimentos para realizar o exame.

“A turma do ITA da qual ele participa é muito focada nas ciências exatas. Lá não tem sociologia, biologia, história, geografia, só tem exatas como a matemática, que ele não fechou (acertou toda a prova) só por causa de uma única questão. As outras matérias ele se deu bem pelo conhecimento dele mesmo. A nota da redação também ajudou bastante, já que ele tirou 940”, afirmou.

Caio alia a rotina de estudos com disciplina ao prazer de brincar. “Ele vai ao colégio à tarde e retorna à noite. Pela manhã ele vê aulas de olímpiadas de física e matemática. Essas aulas das olimpíadas não acontecem todos os dias. Fora isso ainda estuda inglês pela manhã e revê conteúdos também, Meu marido estuda com ele pela manhã, o acompanha e isso ajuda muito”, disse Laurismara. A mãe revela que desde os cinco anos o filho fala em ser juiz federal. Foi sugerido pelos pais que Caio cursasse medicina, contudo, o gosto pelo direito falou mais alto.

“Não tem ninguém na família que seja da área do direito, não tem advogado, nem juiz. Não sei se foi na época da operação lava jato que ele acompanhava na TV e acabou se interessando pela profissão. Se é o que ele quer, a gente vai respeitar. É a escolha dele”, concluiu.

Eu quero ser juiz federal. Eu não decidi ainda o estado em que vou fazer a prova. Talvez na Universidade de São Paulo (USP) ou por aqui mesmo em Fortaleza. Mas, o que eu quero mesmo é fazer direito”, afirmou Caio ao portal G1.

Da redação do Acontece na Bahia

Tag(s): , , , .

Categoria(s): Destaque, Nacional.