Enfermeira levava restos de vacina com gelo dentro da bolsa quando acabou descoberta e presas

Uma notícia tem sido destaque nas redes sociais nesta quarta-feira (14).Foi presa no Rio de Janeiro uma técnica de enfermagem que não teve o nome divulgado com sobras de vacina contra a covid-19 dentro de uma bolsa pessoal envolto em gelo. A técnica de enfermagem prestou depoimento à polícia e disse que havia separado restos das doses que ficavam nos frascos de CoronaVac aplicados em pacientes com covid 19. A mulher informou que resolveu levar os restos de vacina para casa com o intuito de vacinar o marido.

De acordo com informações do G1, a técnica de enfermagem havia levado os restos de vacina com o aval da supervisora. A profissional quis salientar que os restos eram sobras de vacinas que haviam sido aplicadas e que não deixou de imunizar nenhuma pessoa da cidade de São Gonçalo, Região Metropolitana do Rio de Janeiro.

A Prefeitura local informou que a imunização de paciente nesta situação não é eficaz e o paciente vacinado não estaria seguro em razão do transporte e armazenamento terem sido impróprios. Segundo informações, a técnica de enfermagem irá responder pelo crime de peculato e a supervisora foi chamada a dar depoimento sobre o caso.

Da redação do Acontece na Bahia

FOTO:REPRODUÇÃO/TV GLOBO

Tag(s): , , , , .

Categoria(s): Destaque, Nacional.

Técnica em enfermagem fica em “UTI improvisada” por falta de vagas e morre à espera de um leito: “Lutou bravamente na linha de frente!”

Uma triste e revoltante história tomou as manchetes nesta manhã de quarta-feira (4).  A técnica de enfermagem Eliandre Boscato, de 43 anos, faleceu devido às complicações da Covid-19 após esperar por uma vaga na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) em um hospital de São Miguel do Oeste (SC). O caso ocorreu na segunda-feira (1º).

De acordo com o site G1, a mulher esperou por um leito desde o dia 24 de fevereiro em São Carlos (SC), onde ela estava internada a priori.

Assim, mesmo com a transferência de unidade de saúde, Eliandre não conseguiu uma vaga na UTI e recebeu o tratamento intensivo de forma improvisada. As informações foram repassadas pelo próprio hospital.

A mulher estava internada desde o dia 20 de fevereiro. Nesse contexto, ela recebeu atendimento inicial no hospital em que trabalhava há mais de 10 anos, a Associação Hospitalar Pe. João Bethier, em São Carlos. No entanto, a unidade não tem leitos de UTI, o que forcou a enfermeira a ser transferida após a piora em seu quadro clínico.

Entretanto, a transferência para São Miguel do Oeste, que ocorreu no dia 27, não foi suficiente, visto que o hospital estava lotado e não haviam leitos de UTI vagos. Assim, a mulher recebeu o tratamento de forma improvisada no Hospital Regional Terezinha Gaio Basso.

Eliandre Boscato lutou bravamente contra a doença, porém, não resistiu. A mulher deixa para trás uma filha.

“E assim o vírus faz mais uma vítima! Quantas vidas você ajudou a salvar! Lutou bravamente na linha de frente! Mas Deus precisou que você voltasse para casa e curasse os que estão chegando lá!”, comentou uma amiga em homenagem nas redes sociais.

Da redação Acontece na Bahia.

Tag(s): , , .

Categoria(s): Destaque.