Depois de sofrer 3 abortos, mulher engravida de trigêmeas: ‘Ganhei de volta’

A recepcionista Nivea Maria da Costa, que vive em Manaus, no Amazonas, realizou um grande sonho. Após sofrer 3 abortos seguidos, Nivea engravidou de trigêmeas de forma natural.

De acordo com o site UOL, a recepcionista afirmou que foi presenteada por Deus após tantas perdas. Ela e o marido, Victor Parente, tentavam engravidar há cerca de um ano.

Quando Nivea e Victor se conheceram, logo planejaram construir uma família juntos. A recepcionista já era mãe, porém, o companheiro ainda não havia realizado o sonho de ser pai.

Nivea conseguiu engravidar do marido, e tiveram uma menina chamada Amanda. Em 2019, o casal decidiu ter mais filhos para que a filha não fosse criada sem a presença de outras crianças.

Porém, Nivea passou por três interrupções de gestação. A mulher contou que passou a ter medo de tentar engravidar novamente após tantas perdas.

A recepcionista chegou a pensar em utilizar um método contraceptivo definitivo, já que o sonho de se tornar mãe novamente havia se tornado distante.

Após a decisão, Nivea acabou se descuidado, e semanas após passou a sentir enjoos e escapes no ciclo menstrual. Após realizar exames, a equipe médica constatou que a recepcionista de fato estava grávida, e para a surpresa de Nivea, de trigêmeas. “Ele disse assim: a senhora está grávida de trigêmeas”, contou Nivea.

 

Tag(s): , , , .

Categoria(s): Nacional, Social.

Casal de desempregados constrói casa com 10 mil garrafas de vidro, em Foz do Iguaçu (PR)

criatividade

Dóris Dias e seu marido, Robson Lopes, sempre sonharam em ter sua casa própria, mas não tinham condições de adquirir o imóvel. Foi ai que ela teve uma ideia brilhante, sustentável e segura: construir uma casa inteirinha com garrafas de vidro.

O casal ainda chegou a fazer orçamento dos materiais para construir um imóvel convencional. Só que o valor do investimento era muito alto e como eles estão sem trabalhar, tiveram que adaptar o projeto para algo mais em conta.

Dóris também conta que, logo após o casamento, eles tiveram que se mudar para a casa dos pais dela, pois não tinham renda suficiente para se sustentarem.

Ela já tinha o terreno, que foi um presente de casamento dos pais. E, de garrafa em garrafa, eles conseguiram arrecadar mais de 10 mil unidades para usar na construção da sua casa.

“A maioria dos brasileiros não tem condição de ter a casa própria. É muito difícil conseguir uma casinha. Esse é um sonho meu. Antes eu pensava que de jeito nenhum ia conseguir, mas agora vejo que está cada vez mais perto”, conta Dóris.

Dóris conheceu projetos de casas sustentáveis e começou a considerar construir a casinha dela com esses materiais.

Ela viu que pessoas construíam casas de garrafa PET e também usavam as de vidro. Então Dóris juntou todas as garrafas da festa de casamento dela, em setembro do ano passado, e começou o projeto.

A história da Dóris ganhou Foz do Iguaçu. Quando ela começou a juntar as garrafas e pedir doações para os amigos, uma rede do bem se iniciou para ajudar a educadora a construir a sua casa.

“Procurei as garrafas em bueiros, nas ruas e fiquei impressionada com o tanto que encontrei. As pessoas não pensam em aproveitar nada. No Brasil não se pensa muito na sustentabilidade. Vi casas com garrafas na Bolívia, Tailândia e outros lugares“, afirmou.

Dóris e o marido conseguiram uma quantidade suficiente de garrafas para construir a casa em abril desse ano. Então os dois compraram os poucos materiais que faltavam e iniciaram as obras.

A casa de Dóris e Robson tem cerca de 70 metros quadrados. A sustentação da estrutura foi feita com ferro e nas paredes, eles utilizaram garrafas de 600 ml e cimento.

Dóris e Robson ainda precisam de materiais como como janelas, portas e fios elétricos. Eles também não regularizaram a construção, pois não têm dinheiro para contratar profissionais.

 

Tag(s): , .

Categoria(s): Social.