Tiroteio dentro de restaurante termina com a morte de um Policial Civil e o seu amigo; causando pânico e correria no local

Uma notícia está sendo destaque nesta semana. Pois um tiroteio em um restaurante deixou duas pessoas mortas em Jaboticaba, no Norte do Rio Grande do Sul, na noite do domingo (16). Os disparos teriam partido de Marcos de Moraes Antunes, de 30 anos. Uma das vítimas é um comissário da Polícia Civil, Fabiano Ribeiro Menezes, de 51 anos. A outra vítima é José Antônio Rocha Monteiro, de 53 anos.

Segundo informações do jornal GZH, Marcos trocou poucas palavras com José Antônio antes de atirar na cabeça dele, que morreu na hora. Ainda não se sabe o motivo do disparo nem a relação entre os dois.

Antes de sair do restaurante, o atirador foi abordado pelo policial e os dois travaram corporal. O homem então atirou no comissário, que disparou de volta. Menezes faleceu a caminho do hospital, e o atirador está sob custódia após atendimento médico.

Imagens de câmeras de segurança, que captaram o momento dos disparos, estão sendo usadas como provas e para identificar testemunhas do crime. Até a manhã desta segunda-feira (17), seis pessoas foram sido ouvidas: o proprietário, um funcionário e quatro clientes.

A Secretaria da Segurança Pública (SSP) lamentou a morte do policial. “A SSP solidariza-se com os familiares, colegas da Polícia Civil e amigos neste momento de profunda tristeza pela perda irreparável de um herói, que levou ao extremo o cumprimento do seu juramento de proteger a sociedade, mesmo que com a própria vida”, diz a nota

Protocolo 2ºAinda segundo o jornal, Moraes tem passagem pela polícia por porte ilegal de arma de fogo, ameaça, vias de fato, lesão corporal culposa em direção de veículo e abandono de material suspeito.

Com informações e textos do portal Forúm

 

Tag(s): , , , .

Categoria(s): Destaque.

Cliente de restaurante agride homem com golpes na cabeça após receber tapa na cabeça

Uma notícia revoltante está sendo destaque nesta terça-feira (11). Um cliente de um restaurante da Zona Zul do Rio de Janeiro, é filmado revidando agressões a um pedestre que lhe bateu com um tapa enquanto estava sentado.

Nas imagens, o homem está sentando em uma mesa conversando, quando é surpreendido com um tapa de um jovem que enfia a mão por dentro da proteção de plástico. Após perceber de onde o tapa vinha, o cliente levante a vai atrás do rapaz. Ao alcança-lo, aplica dois golpes na cabeça do pedestre, que tinha parada em uma das mesas externas e falava algo com outros clientes. De acordo com os garçons, ele estava ali pedindo dinheiro.

O portal G1 entrou em contato com o responsável pelo estabelecimento Braseiro da Gávea e segundo ele, o rapaz que aplicou o golpe seria um morador de rua que já estava machucado de um outro lugar.

“Ele veio com o rosto machucado de outro lugar. Parece que não tinha nada prévio com o cliente. Eu nunca tinha visto esse rapaz, nem o cliente. Ambos eu não conhecia. Isso aconteceu na sexta-feira passada. Ninguém entendeu nada, nem a gente entendeu”, contou um funcionário.

Nas câmaras de segurança é possível ver clientes e pessoas próximas assustadas com as agressões por parte do cliente, tendo inclusive, uma mulher indignada com as agressões, chegando a discutir com o cliente.

Da Redação do Acontece na Bahia

Tag(s): , , .

Categoria(s): Destaque.

Depois de se emocionar vendo família comer resto de comida no lixo, Dono de restaurante oferece comida de grátis para pessoas carentes

Uma notícia está sendo destaque nesta terça-feira (23). O dono de um restaurante no Espirito Santo, Paulo Roberto Moreira Leite, se emocionou ao presenciar uma família comendo restos de comida em uma lata de lixo. Entristecido com a situação, ele tomou uma atitude grandiosa: Abriu as portas do seu restaurante para aqueles que não tivessem condições de pagar por um prato de comida comessem de graça.

O restaurante de Paulo se chama Terceira Aula e fica próximo Universidade de Vila Velha. A sua atitude chamou a atenção e deixou orgulhoso o cozinheiro Wallace Aranha, que ajudou a divulgar o projeto em suas redes sociais. Em um vídeo, Wallace escreveu.

“Dono de restaurante abre para servir pessoas em situação de rua. O dono do restaurante chamado TERCEIRA AULA, perto da UVV. Que estará hj dando comida aos moradores que se encontram na rua ou quem realmente tem fome.
Existe sim razões pra acreditar em um amanhã melhor ❤️”.

A atitude de Paulo está sendo bastante elogiada e apoiada pelos moradores, que contribuem doando alimentos.

Da Redação do Acontece na Bahia

Tag(s): , , .

Categoria(s): Destaque, Nacional.

Ao oferecer doces, menino é humilhado, agredido e expulso de restaurante: “Inchou a orelha dele”

Um caso revoltou a população nesta quarta-feira (23). Um garoto acabou humilhado ao tentar ajudar uma família a ter renda extra. Mas afinal, o que aconteceu?

A história aconteceu na cidade de Campina Grande, na Paraíba, mas está comovendo pessoas de todo o país. De acordo com informações preliminares, tudo começou quando o garoto adentrou num restaurante para oferecer produtos. De origem humilde, o menino vende doces para complementar a renda da casa. Já acostumado com a recusa de algumas pessoas, o garoto não esperava que pudesse passar por algo pior.

Enquanto oferecia os doces dentro do estabelecimento o menino chamou a atenção do dono da loja, que não gostou nada da presença dele. Então, o garoto acabou humilhado, agredido e expulso do restaurante. O autor disso tudo seria o próprio dono do restaurante, um homem de 60 anos. Depois do episódio, o menino ficou com a orelha bastante inchada por conta das agressões que sofreu. Revoltado, um homem acolheu o garoto, registrou o caso no seu celular e desabafou:

“Por que ele não fez isso com um adulto? O menino aqui foi lá vender a balinha dele no restaurante Malibu e o dono simplesmente meteu a mão no pé do ouvido dele, olha só. Isso é o que? Já pensou se fosse um menino branco, filho de madame, estava nessa situação?” Mas não é só isso.

Depois do ocorrido, a história tomou as redes e o restaurante recebeu uma enxurrada de críticas, excluindo as páginas logo em seguida. Além disso, o dono do estabelecimento acabou detido pela polícia. Contudo, ele conseguiu liberdade depois de assinar um TCO (Termo de Circunstanciado de Ocorrência), comum em casos de crimes menores. Agora, a Justiça segue apurando o caso.

Da Redação do Acontece na Bahia.

Tag(s): , .

Categoria(s): Nacional.