“Todo mundo sabe quem é quem nessa história”, diz Sergio Moro em resposta às acusações feitas por Bolsonaro

O candidato à Presidência da República e ex-juiz Sergio Moro (Podemos-PR), resolveu se posicionar em relação às acusações feitas pelo presidente Jair Bolsonaro, na noite de quinta-feira (2), em sua live semanal exibida nas redes sociais. Moro reforçou a acusação de que o presidente teria comemorado a saída do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva da prisão e defendeu a volta da execução em segunda instância no Judiciário.

‘‘Não quero entrar em briguinhas, ofender, mas todo mundo sabe quem é quem nessa história e quem defende as coisas certas”, afirmou Moro, à Rádio Jornal do Comércio do Recife, em entrevista exibida na manhã dessa sexta-feira (3). Em relação a ter sido chamado de mentiroso e sem caráter por Bolsonaro, Sergio Moro disse que não vai fazer acusações pessoais. Segundo Moro, uma campanha focada em xingamentos e não em programas políticos é “menosprezar a inteligência da população brasileira”.

Ao lado contrário ao adotado por Bolsonaro, o ex-juiz disse que não pretende focar em brigas pessoais em detrimento à discussão sobre o país. “Não vamos agredir as pessoas, não vamos ofender as pessoas, por mais que a gente discorde delas.”
O ex-juiz reforçou as acusações de que Bolsonaro teria comemorado a soltura de Lula. Segundo Moro, um ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), entrou em contato com ele, a mando de Jair Bolsonaro, para que não houvesse esforços para o retorno da execução em segunda instância. Moro não citou nomes, mas disse que o ministro não negaria este fato, a menos que pretendesse mentir para proteger o presidente.

Sergio Moro cobrou que se questione Jair Bolsonaro sobre este episódio. “Pergunte hoje ao presidente se ele defende a aprovação da emenda constitucional que restabelece a execução em segunda instância e se o governo dele vai trabalhar para aprovar. Ou se ele vai de novo se omitir e comemorar quando criminosos são colocados na rua”, comentou Moro, que julga “absolutamente necessária” a aprovação de execução em segunda instância no Judiciário.

Moro admitiu ter procurado o ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Joaquim Barbosa, para a construção de uma chapa para a Presidência da República em 2022. O ex-ministro disse que eles estão conversando, mas o ex-juiz disse que “ainda é muito cedo para essas questões de posições, de eventual candidatura”. Para Sergio Moro, Barbosa é um “grande quadro brasileiro”. Moro revelou que esteve com o jurista para ouvir suas idéias em relação ao país.

“Temos que trazer para esse projeto, seja para participar ativamente, ou seja para colaborar para o projeto, os melhores quadros do País”, disse durante a entrevista. “Ele é uma grande figura da história brasileira, mas estamos ainda conversando”.

“Acho que o ministro Joaquim Barbosa tem condições de ser o que ele quiser para o País, porque ele é um quadro de absoluta qualidade”, afirmou, tecendo elogios a Barbosa.

Quando foi questionado sobre sua opinião em um possível confronto entre o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o presidente Jair Bolsonaro no pleito do ano que vem, Sergio Moro disse que o “eleitor vai ter outras alternativas”. “Não acredito que o futuro do Brasil seja tão trágico”, comentou.

‘‘O brasileiro não pode ser forçado a escolher entre um governo no qual houve os dois maiores casos de corrupção da história e que acabou em corrupção e o governo atual da “rachadinha” e de nova recessão”, contou.

Da redação do Acontece na Bahia

Tag(s): , , , , .

Categoria(s): Destaque, Nacional, Politica.