Segundo investigações, esposa de promotor pode ter sido morta em ritual macabro

Uma notícia chocante está sendo destaque nesta terça-feira (18). O caso Lorenza de Pinho ganhou mais informações. Segundo fontes ligadas à investigação do caso, Lorenza pode ter sido assassinada em ritual macabro. O principal suspeito é o promotor André Luiz de Pinho, marido da vítima,  que foi denunciado pelo Ministério Público, e de acordo com o órgão, tem-se provas suficientes para acreditar que ele atuou sozinho no crime.

O mais intrigante de todo o caso é a falta de sangue no corpo da mulher. Os investigadores buscam entender como isso foi possível. O legista responsável conseguiu extrair apenas 25ml para fazer exames toxicológicos e a dosagem de álcool.

“Uma mulher normal, de um peso normal, (tem) uma média de cinco, cinco litros e meio de sangue no corpo”, disse o legista Marcelo Mares Castro.

Além disso, na agenda do promotor foram encontrados dois contatos de cursos de um técnica chamada tanatopraxia, na qual conserva cadáveres, trocando o sangue por substancia sintéticas, porém, ele nega os cursos.

Por conta disso, o Ministério Público investiga, agora, a possibilidade do casal frequentar locais destinado a práticas de atividades de cunho religioso. De acordo com as informações passadas de uma fonte ligada à investigação para o jornal “O Tempo”, existe a suspeita do uso do sangue em um ritual.
“Uma das linhas [de apuração] é o uso [do sangue] em um ritual”
“Existe a desconfiança, por parte da equipe que apura o crime, que André tirou o sangue de Lorenza para realizar um ritual macabro”, revelou a fonte.

Da Redação do Acontece na Bahia

Tag(s): , , , , .

Categoria(s): Destaque.

publicidade

Ministério Público afirma que corpo de Lorenza chegou ao IML com muito pouco sangue e caso intriga os investigadores

Uma notícia tem sido destaque nas redes sociais nesta segunda-feira (17). O promotor André Luís Garcia de Pinho é denunciado pelo Ministério Público (MP) pelo homicídio da mulher dele, Lorenza Maria Silva de Pinho. Contra o promotor há também uma acusação do pai de Lorenza de que André afastava a mulher de amigos e parentes. A denúncia feita pelo MP contra o promotor que está preso em Minas Gerais, foi divulgada pelo Fantástico. Segundo a denúncia, o promotor conseguiu dopar e matar Lorenza. Entretanto o fato do corpo da Lorenza ter chegado ao IML praticamente sem sangue tem intrigado os agentes.

De acordo com as investigações, a morte da mulher foi premeditada pelo marido e houve a tentativa de cremar o corpo para desaparecer com as possíveis provas. Imagens de câmeras de segurança mostram o promotor saindo do prédio com sacolas de compras no dia 1º de abril. Entre as compras foi possível perceber duas garrafas de bebidas e este fato chamou a atenção dos agentes em razão do casal não ter o hábito de consumir bebidas alcoólicas, de acordo com informações de testemunhas.

Às 6h17 do dia seguinte, o promotor aparece no prédio falando ao telefone. Nesse momento ele liga para um hospital particular e solicita uma ambulância. O médico Tadeu Gonçalves Cardoso, que de acordo com as investigações conhecia Lorenza de outros atendimentos, chega ao apartamento, às 6h35. Após uma hora o médico e uma enfermeira saem do apartamento. A investigação diz que neste momento Lorenza já está morta. A causa da morte de Lorenza é apontada na declaração de óbito como  ‘pneumonite’, um engasgo, por alimento ou vômito. E ‘autointoxicação por exposição intencional a outras drogas’. Mas não é só isso…

A investigação da causa da morte de Lorenza foi dificultada em razão do corpo ter chegado ao IML com muito pouco sangue. Este fato tem intrigado o trabalho de investigadores uma vez que o corpo não apresentava cortes ou perfurações. A investigação também descartou algum tipo de manipulação durante o período de tempo em que o corpo esteve na funerária.

Da redação do Acontece na Bahia

Tag(s): , , , , , , .

Categoria(s): Destaque, Nacional.

publicidade

Suspeito de matar esposa de 41 anos, promotor é preso pela polícia por suspeita de feminicídio em Minas Gerais

Uma triste notícia chamou a atenção dos internautas nesta manhã de segunda-feira (5). O promotor de Justiça André Luis Garcia de Pinho, de 51 anos, foi detido na manhã de ontem, domingo (4), em sua residência, no Bairro Buritis, na Região Oeste de Belo Horizonte-MG. O homem foi preso após pedido da Polícia Civil afim de investigar a morte da mulher dele, que ocorreu na mesma residência na sexta-feira (2).

Lorenza Maria Silva de Pinho, de 41 anos, morreu engasgada, segundo o promotor. André foi que reportou a morte à policia ainda na sexta-feira. No depoimento, ele alegou que a mulher, com que ele tem cinco filhos, teria morrido após se engasgar com comida.

No entanto, a polícia ainda investiga o caso e analisa qual foi a real causa da morte. O corpo da mulher foi levado para o Instituto Médico-Legal (IML), onde foi feito o exame de necrópsia. Entretanto, o resultado do exame ainda não foi divulgado.

Na manhã deste domingo, os policiais cercaram a rua do prédio onde o promotor reside e o levaram preso para delegacia. Os filhos do casal estão sob cuidado dos parentes da mãe.

Da redação Acontece na Bahia.

Tag(s): , , .

Categoria(s): Destaque.

publicidade