Depois de grupo de jovens humilharem irmãos que vendiam comida nas ruas, pais perdem a guarda das crianças

O casal que mora em Praia Grande, perdeu a guarda de quatro dos cinco filhos, após imagens das crianças circularem na internet. As crianças andavam até 30 km para vender os produtos em Santos, litoral de São Paulo, e ajudar na renda da família. A mãe ainda relembra o momento em que o Conselho Tutelar de Praia Grande tirou os 4 filhos do convívio da família. Ela afirma que não sabia o que estava acontecendo e que a filha ficou apavorada porque estava dormindo e não queria que a levassem de sua casa.


Os irmãos andavam vários quilômetros para vender os doces e as empanadas feitas pela família. O caso viralizou na internet após um episódio de humilhação durante as vendas, quando um grupo de jovens encontrou os irmãos de 14 e 16 anos e jogaram todas as empanadas no chão. A Justiça determinou que quatro dos cinco irmãos, de 4, 8, 14 e 16 anos, fossem encaminhados para um abrigo municipal em novembro, sob responsabilidade do Conselho Tutelar.


A decisão da Justiça foi tomada após pedido feito pelo Conselho Tutelar. Segundo o documento, a perda da guarda foi por conta de trabalho infantil e porque as crianças viviam em condições insalubres. A defesa ainda disse que o casal, que é de origem argentina, desconhecia a legislação brasileira que condena a atividade exercida por crianças e adolescentes.

O Conselho Tutelar emitiu um comunicado afirmando que a família foi notificada em 2019, por conta de trabalho infantil e porque as crianças viviam em condições insalubres, sem itens básicos, e após nova visita a casa, um conselheiro avaliou que a situação não sofreu mudança e decidiu solicitar o afastamento dos menores, que estão agora em um abrigo.

O advogado de defesa da família, João Paulo Sales, diz que há inconsistências nas denúncias enviadas ao Ministério Público pelo Conselho Tutelar. “O Conselho Tutelar diz que a casa não tinha fogão, não tinha geladeira. Nós anexamos no processo vídeos que mostram que a casa tinha tudo isso”, afirma.
“Me parece que nesse caso deram uma aumentada na situação, não sei com qual interesse, mas isso acabou prejudicando não apenas os pais, mas especialmente as crianças”, contou o advogado. Segundo ele, no momento em que houve a operação para buscar os quatro filhos, o Conselho Tutelar ficou sabendo da existência do caçula do casal, de um ano.

“Pediram providências no processo em relação a essa criança, porém o Ministério Público disse que é melhor aguardar a avaliação psicossocial para verificar qual medida seria tomada. A pergunta que fica é: por que não tomaram essa providência com os outros filhos? Existem medidas menos invasivas do que tirá-los da família”, concluiu o advogado.

Da redação do Acontece na Bahia

Tag(s): , , , , , , .

Categoria(s): Destaque, Nacional, Social.

Homem é morto pelo próprio vizinho após cumprimentá-lo na rua em que moravam

Uma notícia tem repercutido nas redes sociais nesta sexta-feira (30). Um crime bárbaro chocou a população de Praia Grande, litoral de São Paulo, pela covardia como aconteceu e pelo fato dos envolvidos serem vizinhos há muito tempo.

Rogério estava sentado em frente a seu comércio quando foi atingido por 5 tiros e veio a óbito três semanas depois. O autor dos disparos foi Adriano, que era vizinho de Rogério e o conhecia desde a infância, apesar de não ter proximidade com ele.

Imagens de câmeras de segurança registraram o crime e por elas é possível ver Rogério sentado em frente ao seu comércio. Adriano passa por Rogério e o cumprimenta. Na sequência, Adriano é visto pelas imagens indo até a sua casa e retornando com uma arma, momento em que encontra Rogério ainda sentado e atira contra ele 5 vezes.

De acordo com a família, há a suspeita de que o crime tenha alguma ligação com o sobrinho de Rogério, que já tinha tido algumas desavenças familiares com a vítima. O sobrinho de Rogério é o melhor amigo de Adriano e tinha histórico de andar com más companhias, além de ter ameaçado a vítima há um ano.

Após o crime e passado o flagrante, Adriano se apresentou na delegacia em companhia de um advogado. Com a morte de Rogério, o crime agora está sendo tratado como homicídio pela polícia e prisão de Adriano deve acontecer a qualquer momento.

Da redação do Acontece na Bahia

Tag(s): , , .

Categoria(s): Destaque, Nacional.