Após prisão da ‘Majestade do crime’, 161 suspeitos foram identificados e presos pela Polícia Civil no Ceará

Após a prisão de Valeska Pereira Monteiro, conhecida como “Majestade”, uma mega operação foi desencadeada pela Polícia Civil do Ceará nesta sexta-feira (19), com o objetivo de combater uma organização criminosa que atua no Ceará.

Foram expedidos mais de 800 mandados, sendo 358 de prisão e 455 de apreensão. Até o final desta matéria, 161 pessoas haviam sido presas, conforme recente atualização. Na ação, um suspeito entrou em confronto com a polícia e foi baleado no braço. O homem foi atendido no Hospital Instituto Doutor José Frota, na capital Fortaleza.

A polícia prendeu “Majestade” no último mês de agosto, em Gramado, Rio Grande do Sul, quando ela estava de férias. Após a prisão, a investigação policial conseguiu informações e mapeou outras pessoas pertencentes a organização criminosa.

“A investigação foi iniciada através da captura de um alvo de uma liderança de outro estado e a investigação evoluiu. A Draco identificou quem eram as pessoas que exerciam comando dentro desta organização. Nós temos alvos em todo o estado Fortaleza, Região Metropolitana, Interior Norte e Interior Sul e em Pernambuco. Também foram localizados lá”, contou o delegado-geral da Polícia Civil, Sérgio Pereira.

O secretário da Segurança do Ceará, Sandro Caron, informou que a polícia prendeu o “segundo escalão” da organização criminosa na operação policial realizada nesta sexta-feira. “Estamos então prendendo todo o chamado segundo escalão, ou seja, são os gerentes, as pessoas que estavam a rua comandando diretamente as ações criminosas desses grupos”, informou.

A operação policial batizada “Anullare” está sendo realizada em Fortaleza e outras 50 cidades do Ceará, além de Pernambuco. A Polícia Civil do Ceará destacou que a operação é a maior da história da corporação em combate a um único grupo criminoso. A jovem foi presa em 26 de agosto, em cumprimento a mandado de prisão em seu desfavor. Além de antecedentes criminais por roubo, associação criminosa, crime contra a fé pública e tráfico de drogas, a jovem também é suspeita de fazer o controle financeiro e da distribuição de áreas do tráfico de drogas tanto em Fortaleza como na Região Metropolitana.

De acordo com o delegado-geral-adjunto da Polícia Civil do Ceará, Márcio Rodrigo Gutiérrez, Majestade estava sendo monitorada desde o final de 2020. A suspeita era considerada foragida desde abril, quando rompeu a tornozeleira eletrônica. O delegado informou que mesmo fora do Ceará, Majestade continuava comandando o tráfico a distância.

“Identificamos que ela continuava com o seu poder de organização, de deliberação e de decisão. E uma dessas decisões é exatamente essa de distribuição dos territórios para que integrantes do grupo pudessem estabelecer seus comércios de drogas”, contou Gutierrez.

Majestade’ já havia sido presa em 2014 por integrar uma quadrilha que roubava casas e estabelecimentos comerciais em Fortaleza.

Da redação do Acontece na Bahia

Tag(s): , .

Categoria(s): Destaque, Nacional.

publicidade