Vereador causa revolta ao abrir caixão lacrado para provar que idoso não foi vítima de Covid-19 em MG

Uma notícia tem sido destaque nas redes sociais nesta terça-feira (27).O vereador William Faria (PT), da cidade de Santa Bárbara do Leste, em Minas Gerais, será investigado por abrir o caixão de um idoso, de 92 anos, para tentar provar que ele não tinha falecido em decorrência da Covid-19.Imagens feitas do momento da ação foram publicadas nas redes sociais do vereador.

O parlamentar havia sido procurado pela família do idoso que não concordava com o diagnóstico apontando como a causa da morte para a Covid-19.Os protocolos de prevenção e disseminação do coronavírus estabelecem que velórios e sepultamentos de pessoas diagnosticadas com a Covid-19 ou com suspeita, sejam realizados com os caixões lacrados além de ser proibido aglomerações nas cerimônias.

José Vieira do Carmo, 92 anos, morreu com Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) e com sintomas de Covid-19, de acordo com o Hospital Irmã Denise (Casu), que fica em Caratinga (MG).O paciente havia dado entrada na noite de sábado (24) em Unidade de Pronto Atendimento (UPA), de Caratinga, e foi transferido para o hospital na sequência. O idoso não conseguiu resistir e faleceu pouco tempo depois.

Segundo informações da família, José Vieira havia feito o teste rápido para verificar a contaminação por Covid-19, porém o resultado deu negativo. Em um segundo teste aplicado, o PCR, o resultado ficou pendente. O caso foi tratado como suspeita de Covid-19 e o corpo do idoso foi encaminhado para uma funerária e levado ao cemitério devidamente lacrado.

Graziela Vieira do Carmo, neta de José Vieira, informou que o avô precisou ser intubado mas não resistiu ao procedimento.”Por ser intubado, ele não aguentou a intubação. Foi feito o teste de Covid rápido e deu negativo. Então, ele foi para o Casu. Chegou no Casu, ele nem ficou tanto tempo. Era para terem colocado no prontuário médico, pois se é suspeita de Covid, a família tem que saber”, comentou Graziela.

O vereador William disse que o documento emitido aponta a causa da morte como sendo por insuficiência respiratória. A família destacou que o idoso sempre apresentou problemas de saúde. Informou ainda que José já havia tomado a primeira dose da vacina contra a Covid-19 e semana que vem iria tomar a segunda dose. O parlamentar foi procurado pela família do idoso que queria realizar o velório e questionou os protocolos de prevenção e disseminação da Covid -19.

No cemitério o vereador abriu o caixão que estava lacrado com a ajuda de um facão. “Nós não podemos enterrar um cidadão com dúvida. Não é simplesmente pegar um cidadão e empacotar ele e falar que é Covid. A gente tem que ter certeza do que está fazendo”, disse o parlamentar.

O vereador será alvo de investigação por crime de infração de medida sanitária. Em um vídeo publicado, o presidente da Câmara Municipal de Santa Bárbara do Leste afirma que a atitude do vereador será investigada.

“A Câmara Municipal esclarece que a conduta do vereador será devidamente investigada por uma Comissão Parlamentar de Inquérito. Tão logo o processo seja concluído, daremos maiores esclarecimentos sobre as medidas adotadas em razão deste lamentável evento”, disse Altair Nunes Ferreira, presidente da Câmara municipal.

Questionado, o parlamentar disse que não concorda com o sepultamento de alguém sem o resultado do exame PCR que apontará a causa da morte.”Nós não podemos enterrar um cidadão com dúvida. Não é simplesmente pegar um cidadão, empacotar e dizer que é Covid”.

Da redação do Acontece na Bahia

Tag(s): , , , , .

Categoria(s): Destaque, Nacional.

Senador pego com dinheiro na cueca volta ao mandato após licença e afirma: “Estou com a consciência tranquila”

Uma história tomou as manchetes nesta sexta-feira (19). Isso porque um senador detido numa situação bastante inusitada retornou ao mandato.

Em pronunciamento nesta quinta-feira (18/2),o Senador Chico Pinheiro (DEM-RR), afirmou estar com a consciência tranquila com relação às acusações contra ele e espera o fim das investigações. Todavia, pesa sobre ele o fato de ter escondido dinheiro entre as nádegas segundo informou operação da Polícia Federal realizada no ano passado. O senador disse estar tranquilo e afirmou:

“Com a consciência tranquila, após o meu afastamento, cabe a mim agora aguardar, com serenidade, que as investigações sejam concluídas e que a Justiça se manifeste ao final de todo esse processo, e, examinando com a isenção o distanciamento que lhe são característicos, manifeste-se e ponha um ponto final nesse triste episódio”, desabafou no Instagram. 

Em desfavor do parlamentar, existe uma operação em andamento contra desvios de aproximadamente R$ 20 milhões que foram transferidos por meio de emendas parlamentares à Secretaria de Saúde de Roraima em função do covid-19.  Então, ele relatou:

“Os fatos objetivos são um só, conforme documentos apresentados: nenhum centavo das emendas foi utilizado, e os valores na minha Declaração de Imposto de Renda descartam as acusações feitas a mim à época”, continuou o Senador. 

Houve uma pressão de colegas parlamentares para que o Senador não reassumisse, entretanto ele já consta como em exercício pelo portal do Senado. Mas não é só isso. 

A licença do Senador termina nesta quinta-feira (18) e implicou, no ano passado, a revogação do pedido de afastamento do parlamentar por 90 dias em determinação judicial expedida pelo ministro Barroso. O próprio magistrado não prorrogou o afastamento do Senador implicando o seu retorno ao mandato sem, contudo, permitir sua participação na comissão que trata de destinação de verba para o combate ao covid-19. 

Da Redação do Acontece na Bahia   

Tag(s): , , .

Categoria(s): Destaque, Nacional, Politica.