Reviravolta: Padre desaparecido forjou o próprio sequestro e ficou escondido no mato rezando por 2 dias

Uma grande reviravolta foi revelada nesta segunda-feira, dia 26. Um padre que desapareceu por 3 dias e deixou todos preocupados pode ter forjado o próprio sequestro. Mas o que aconteceu?

De acordo com a Polícia Civil, o padre Gilmar da Paróquia do bairro do Roger, em João pessoa, foi indiciado por falsa comunicação de crime. Segundo o delegado Luciano Soares, Gilmar mentiu quando disse que havia sido sequestrado. Na verdade, foi tudo uma ação do religioso pois ele estava sendo extorquido. Os criminosos estariam pedindo R$50 mil ao padre e, diante disso, a saída que ele encontrou foi forjar o próprio sequestro e se livrar do problema. Entretanto, a forma que o religioso tinha escolhido para “se livrar” disso foi impensável.

Então, para não usar o dinheiro da igreja e ainda assim conseguir escapar da extorsão, Gilmar teria tomado uma decisão extrema: tentar tirar a própria vida se afogando no mar. Ele foi até o litoral para realizar tal ato. Chegando lá, Gilmar mandou uma mensagem com um pedido de socorro, como se estivesse sido sequestrado e se atirou ao mar. Contudo, ele foi levado de volta à areia por diversas vezes e sobreviveu. Percebendo seu insucesso como uma “mensagem divina”, o padre resolveu ficar recluso no mato rezando por dois dias e por isso continuou sumido. Depois disso, já debilitado, o padre foi encontrado por policiais numa estrada. Nesse momento, ele abraçou os agentes e chorou. Agora, as autoridades estão investigando o caso. Além disso, as pessoas que estavam extorquindo o padre já foram próximas a ele no passado.

Da Redação do Acontece na Bahia.

Tag(s): .

Categoria(s): Nacional.

Justiça inocenta Padre Robson das acusações e a explicação divide opiniões: “Todos os membros da instituição concordavam com o destino do dinheiro”

O caso do Padre Robson ganhou novas informações. Após ficar conhecido em todo o Brasil por conta das denúncias de supostas lavagens de dinheiro. Agora, a Justiça de Goiás tomou uma decisão que dividiu opiniões.

Depois o padre Robson de Oliveira Pereira foi acusado de lavar dinheiro através da Associção Filhos do Pai Eterno(Afipe), ele ficou famoso em todo o país. A história envolvia grandes fazendas e casas luxuosas em nome da associação. Contudo, nessa semana o padre Robson foi inocentado, unanimemente, pelo Tribunal de Justiça de Goiás. Ao anunciar a decisão, o desembargador Nicomedes Domingos Borges explicou que não existem provas suficientes de que a verba recebida pela Afipe, a partir das doações dos fiéis , sofria algum desvio de finalidade. Além disso, ele também afirmou que os membros da instituição concordavam plenamente com o destino que esse dinheiro recebeu e que isso está de acordo com as regras deste estatuto, pois trata-se de uma instituição privada:

“A Afipe se trata de uma associação civil evangelizador e, para atender às suas necessidades, poderá criar atividades como instrumento captador de recursos financeiros[…]Não há que se falar em qualquer fato típico a ser investigado, pois seus membros anuem e concordam com todos os atos negociais praticados, em especial ante a absoluta concordância com as destinações dos recursos conforme previsão estatutária.”

Da Redação do Acontece na Bahia.

Tag(s): .

Categoria(s): Nacional.