Empresário humilha motoboy que esperava pedido em seu restaurante: “Pago R$140 mil de aluguel pra você sentar aqui?”

Um caso gerou discussões nesta segunda-feira (19). Durante uma discussão, o dono de um restaurante se exaltou e está sendo acusado de humilhar um motoboy.

Um motoboy e um sócio de um grande restaurante acabaram discutindo no último sábado (17). Então o empresário se exaltou durante o episódio, mas não esperava que estivesse sendo filmado e fosse causar revolta com o que disse. De acordo com o portal Globo, o motoboy estava aguardando por um pedido no ParkShopping, em Brasília, e se sentou para carregar o celular numa tomada.

O entregador estava do lado de fora do restaurante, num local considerado um ponto de apoio para entregadores, com tomadas e banheiros. Contudo, mesma assim o empresário se exaltou e ameaçou excluir o entregador do aplicativo de entregas. No momento da discussão, o empresário disse em alto tom:

“Na minha loja você não faz mais não, viu, ô? Não minha loja você não pisa aqui mais não. Se eu pedir pra alguém te ver aqui, eu vou te excluir do aplicativo já. Só isso que vou te falar. Tu não folga, não. Estou nesse shopping há 15 anos. Não vai chegar motoboy e achar que manda não. Pago R$ 140 mil de aluguel para motoboy sentar aqui?”

Além disso, o motoboy teria reclamado com funcionários do local antes da discussão. O motivo disso seria a demora para a entrega do pedido, visto que ele já estaria esperando ali por 30 minutos. Sabendo das reclamações do entregado, o empresário teria ido até o local, gerando a discussão entre os dois.

Em nota, o ParkShopping lamentou o ocorrido e afirmou:

“Respeitamos todos os públicos e prezamos pela boa convivência e relacionamento cordial entre lojistas, colaboradores, prestadores de serviço, clientes e todos que circulam e trabalham no shopping.”

Da Redação do Acontece na Bahia.

Tag(s): , .

Categoria(s): Nacional.

Homem que humilhou entregador humilha funcionário de mercadinho: “Você não tem dinheiro, seu lixo!”

Neste sábado (10), um homem voltou às manchetes pelo que fez. Anteriormente, ele já havia revoltado o povo pela forma como agiu, mas aparentemente isso não o inibiu de errar novamente.

Há alguns meses, um homem ficou conhecido em todo o Brasil por humilhar um motoboy dentro de um condomínio de alto padrão em Valinhos, no interior de São Paulo. Na ocasião ele diminuiu o trabalho do rapaz, proferiu ofensas racistas e humilhou o entregador. Contudo, felizmente o entregador recebeu muito apoio depois da história, ganhou doações, ganhou um novo emprego e mudou de vida. No entanto, o agressor dele voltou causar revolta neste final de semana.

Dessa vez, o homem foi até uma pequena mercearia no distrito de Barão Geraldo, em Campinas, e causou uma grande confusão. Ele humilhou um funcionário do estabelecimento e voltou a proferir ofensas racistas após ficar muito exaltado. Ele disparou:

“É racismo mesmo, seu preto. Você é italiano mesmo? Porque eu sou nórdico […] Seu ladrãozinho de merda. Isso aqui [gesticulou apontando para a própria pele] você tem inveja, seu bosta. Você não tem dinheiro, seu lixo.” Confira o momento:

Identificado como Matheus Abreu Almeida Prado Couto, o agressor seguiu para a nova casa depois da discussão no mercadinho, local onde vive sozinho desde a polêmica do ano passado. Entretanto, alguns motoboys identificaram o local da casa dele, iniciaram um pequeno protesto e até ameaçaram o Matheus. Para acalmar os ânimos, o pai de Matheus foi chamado.

Recorrência e justificativa

Então, em defesa do filho, o pai dele afirmou que Matheus é portador de esquizofrenia e que já passou por diversas internações. O quadro é considerado uma doença mental grave, que distorce a realidade do portador, podendo gerar agressividade, paranoia, alucinações e diversos problemas. No caso do condomínio, o pai apresentou essa mesma versão às autoridades.

Depois de algum tempo, Matheus desceu para conversar com paramédicos do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) e com guardas municipais. Após conversa, ele aceitou ser encaminhado até um hospital. As autoridades seguem acompanhando o caso.

Da Redação do Acontece na Bahia.

Tag(s): .

Categoria(s): Nacional.