Mesmo após esforços da família, menino acaba não resistindo após receber descarga elétrica em casa

Uma família teve que lidar com uma perda bastante precoce nesta quinta-feira (15). Mesmo com os esforços para salvar o menino, ele acabou partindo.

Na noite da última quinta-feira, um menino de 3 anos identificado como Juanderson Slam Reis Lima acabou partindo na cidade de Santa Bárbara. De acordo com informações preliminares, o menino teria sido socorrido às pressas e levado ao Hospital Municipal de Santa Bárbara. Contudo, apesar da mobilização, a equipe médica constatou que ele já chegou ao local sem vida. Mas não termina aí.

Até o momento a principal hipótese é de que o menino teria mexido numa tomada e acabou recebendo uma descarga elétrica. Entretanto, essas são apenas informações preliminares. O caso foi registrado na 1ª delegacia de Serrinha e será investigado pelas autoridades.

Da Redação do Acontece na Bahia.

Tag(s): .

Categoria(s): Nacional.

Itiúba: ‘Nunca mais dormi’, desabafa mãe de menino que já completou três meses desaparecido

Uma notícia tem sido destaque nas redes sociais nesta terça-feira (29). Lilia Lima, 39 anos, mãe do pequeno Davi Lima Silva, de 11 anos, diz que continua sem respostas, mesmo já tendo passado três meses do desaparecimento do filho, que aconteceu na zona rural de Itiúba, no norte da Bahia. De acordo com Lilia, Davi desapareceu após ter saído da casa de uma tia e ter seguido em direção à casa da avó, no povoado de Varzinha.

Lilia conta que mora em Salvador e foi a Itiúba com o objetivo de visitar a família.“A gente mora em Salvador, sempre morou em Salvador, e só ia para lá para passar Natal, Ano Novo, Páscoa… com a família”, comentou Lilia. A fotógrafa conta que não tem conseguido dormir a noite e não tem se alimentado direito.

Até agora eu me pergunto todos os dias, todas as noites… Eu nunca mais dormi, nunca mais me alimentei, meu filho dormia abraçado comigo. Ele só dormia comigo”, contou Lilia Lima.“É tudo muito estranho, é tudo muito estranho… Até agora eu não consigo explicar. É muito triste”.

Lilia Lima contou que desde o desaparecimento de Davi ela tem ido toda semana a Secretaria de Segurança Pública da Bahia (SSP-BA), em busca de respostas e sempre escuta que o caso está sendo mantido em sigilo. “Falam que é sigilo e não podem falar até o momento, porque pode atrapalhar o andamento da investigação”, disse a mãe de Davi.

É só isso que eles passam para a gente. Toda semana eu vou na Secretaria Pública de Segurança, e a delegada passa essa informação para mim. A entidade daqui (Salvador) cobra a de lá (Itiúba), e eles falam a mesma coisa: que não pode falar, que estão trabalhando, buscando uma forma, e pediram mais um prazo de 30 dias para continuar as investigações”.

Lilia conta que o fato de não saber o que aconteceu faz a angústia só aumentar.“Eu não consigo entender esse sigilo, esse prazo que eles vão dando, porque era 30, depois 60, já foi 90 e mês que vem completa 120 dias. É uma angústia que não termina, muito difícil”, lamentou.

Eu nunca deixei meu filho nem no condomínio onde a gente mora. Meu filho não brincava, só porque eu não deixava. Nem eu, nem o pai. Nem com todas as câmeras do condomínio que a gente mora, o único lugar que eu deixava ele era com minha irmã e com minha mãe”, contou Lilia, afirmando que os pais sempre observavam a rotina de Davi.

Lilia explica que no dia do desaparecimento, Davi estava sendo cuidado por uma tia, em razão dela estar fotografando uma gestante.“Nunca deixei ele sozinho. No dia que ele desapareceu, ele estava com minha irmã. Eu deixei ele com ela, para fotografar, e em menos de duas horas ela simplesmente me disse que ele tinha desaparecido, que correu e desapareceu”, disse.

A mãe de Davi conta que o filho não conhecia muitas pessoas no local em razão de não morar ali.“Davi só brincava com um amiguinho e dois primos, porque a gente não morava no interior, a gente foi para lá para passear, então ele não tinha amizade lá”, contou.“Ele não tinha amiguinhos, não tinha costume de ir para casa de ninguém, porque ele não tinha amizades em Itiúba”. Mas não é só isso…

A tia conta que no dia do desaparecimento, Davi estava agitado e usava uma camisa de cor cinza e um short estampado.“O trajeto da casa de minha irmã para a casa de minha mãe ele sabia. Tantas vezes eu já mandei ele ir, ficava olhando e via ele chegar. Ainda falava que Davi estava indo”, contou a mãe de Davi.

De acordo com a família uma pessoa teria ouvido gritos de socorro em uma região de mata, na localidade de Laje da Cruz, em Itiúba. Porém como essa pessoa não sabia do desaparecimento, não averiguou.

Segundo a polícia, investigações feitas apontam que a criança foi levada por um automóvel. Uma busca com um cão farejador deu resultado negativo para cadáver no local onde possivelmente o menino poderia ser encontrado. De acordo com a polícia já foram ouvidas testemunhas e suspeitos e a investigação ainda está em andamento, em sigilo.

 

Da redação do Acontece na Bahia

Tag(s): , , .

Categoria(s): Destaque, Regional.

Menino de 6 anos cai de brinquedo do Beto Carreiro World e está internado em estado grave

Uma notícia tem sido destaque nas redes sociais nesta segunda-feira (21). O menino de 6 anos que sofreu um acidente quando fazia um passeio no Parque Beto Carreiro World, em Penha, continua em estado grave. A criança sofreu um traumatismo craniano nesse sábado (19) quando escorregou de uma atração do parque e caiu de uma altura de cerca de 4 metros. O objetivo do menino era subir na mão da estátua do Gorila para posar para uma foto mas não conseguiu registrar o momento e acabava ali o que era pra ser um passeio inesquecível em família.

O passeio ao parque de diversões foi um desejo da criança realizado pela família, que é de Curitiba (PR), como forma de presente de aniversário. O estado de saúde do menino, no entanto, é grave, e ele segue internado em Unidade de Terapia Intensiva (UTI), no hospital Pequeno Anjo, em Itajaí. Segundo informações do hospital, o menino foi operado na noite de sábado e foi necessário o uso de um dreno para amenizar a pressão interna do crânio da criança.

De acordo com informações, o menino continua em estado grave, mas estável, e faz uso de aparelhos para poder respirar. A direção do Parque Beto Carreiro World divulgou uma nota em que afirma está prestando todo o suporte à família e diz que o caso foi uma fatalidade.

Nosso pequeno visitante caiu ao subir para a foto no Gorila, durante seu passeio, porém foi imediatamente assistido pelo time do Beto Carrero e encaminhado para o Pronto Atendimento mais próximo, ficando sob os cuidados médicos. Seguimos em contato com a família. Em breve tudo ficará bem”, esclarece a nota.

Da redação do Acontece na Bahia

 

Tag(s): , .

Categoria(s): Destaque, Nacional.

Menino de 13 anos que pintava quadro para custear tratamento médico na BA morre por complicações da Covid-19

Uma notícia está comovendo o povo nesta quarta-feira (19). Isso porque um jovem menino que lutava pela vida acabou não resistindo.

Morreu em decorrência da Covid-19, Daniel Neves, de 13 anos, natural de Guanambi, no sudoeste da Bahia. Diagnosticado com rins policísticos e fibrose hepática quando tinha oito meses de vida, ele pintava quadros para custear o tratamento médico referente aos problemas nos rins. A informação foi divulgada nesta quarta-feira (19), por meio de uma rede social de Daniel.

Conforme escrito na publicação, Daniel morreu na tarde de terça-feira (18), após passar 13 dias internado, por causa da doença. Ainda segundo a publicação, ele estava com a saúde frágil. Não há informações sobre qual unidade ele estava internado e sobre o enterro.

Na rede social de Daniel, uma mensagem foi postada, lamentando a morte do adolescente.

Garoto de 13 anos que pintava quadro para custear tratamento médico na BA morre vítima da Covid-19 — Foto: Reprodução/Redes Sociais

Por ter rins policísticos e fibrose hepática, Daniel deixou Guanambi e mudou-se para a capital baiana. Em novembro de 2017, o G1 mostrou a história de Daniel. Em dezembro do mesmo ano, ele realizou uma exposição, em Salvador, com quadros que pintava, com objetivo de arrecadar fundos para cobrir os gastos de uma cirurgia de transplante de rins.

Segundo a mãe do garoto, Cleide Vieira Neves, em 2017, ele realizou acompanhamento médico no Roberto Santos e no Hospital das Clínicas, ambos na capital baiana. Em 2015, os rins dele pararam de funcionar e ele teve que fazer hemodiálise.

Daniel começou a pintar os quadros quando estava internado, depois que uma prima comprou telas de pintura. Além dos quadros, uma campanha de arrecadação online foi feita, para ajudar o garoto. Um livro contando a história dele estava em pré-venda, e o dinheiro seria usado também no tratamento.

Nossa Senhora do Rim, personagem criada por Daniel. Foto de 2017 — Foto: Cleide Neves/Arquivo pessoal

Segundo a mãe de Daniel, ele adorava pintar animais. Foto de 2017 — Foto: Cleide Neves/Arquivo pessoal

Garoto de 13 anos que pintava quadro para custear tratamento médico na BA morre vítima da Covid-19 — Foto: Reprodução/Redes Sociais

Com informações e textos do portal Globo

Tag(s): , , , .

Categoria(s): Destaque.