Médica eleita prefeita deixa a cerimônia de posse para atender vítimas de acidente

Neste sábado (2) um episódio ganhou grande destaque. Isso porque uma prefeita deixou a cerimônia de posse para atender a uma nobre causa. Mas afinal, o que aconteceu?

Um dos dias mais simbólicos para os políticos de uma cidade aconteceu de maneira diferente. Durante a solenidade de posse, um caminhão se envolveu num acidente num trecho rodovia federal BR-222 que passa pela cidade. Então, a nova prefeita da cidade de Itapajé, no Ceará, a Dra. Gorete, que é médica, deixou a cerimônia de posse para atender as vítimas de um acidente. Contudo, chegando lá ela não teve uma boa surpresa.

Chegando no local, ela constatou que o hospital, que é o único na cidade de 50 mil habitantes, encontrava-se sem médico. Essa situação seria consequência de um problema de escala que teria sido deixado pela gestão anterior. Diante da ausência de profissionais, a médica e prefeita não pensou duas vezes para trabalhar na sua profissão de formação. Mas não é só isso.

A prefeita ficou bastante preocupada com a situação e afirmou que continuaria no hospital até a chegada de outros colegas médicos. Além disso, depois do episódio, começou a circular na cidade a suspeita de que essa ausência de organização na escala dos médicos teria sido propositalmente ocasionada pela gestão anterior.  Agora, a Dra. Gorete está empenhada em resolver esses impasses o quanto antes.

Da Redação do Acontece na Bahia.

Tag(s): , .

Categoria(s): Nacional.

Itabuna: Aos 29 anos, jovem médica pediatra é encontrada sem vida dentro da própria casa

Uma notícia causou comoção nesta sexta-feira (17). Uma jovem médica querida pela população se foi. Mas afinal, o que aconteceu?

A jovem médica Taís Souza Teixeira Barreto, se especializava em pediatria. Ela era residente na Santa Casa de Misericórdia, na cidade de Itabuna. Aos 29 anos, Taís vivia no bairro Jardim, considerado nobre na cidade. De acordo com informações preliminares, a Dra. Taís foi encontrada sem vida dentro da própria casa. Depois de receber uma ligação da família de Taís, o porteiro do prédio foi até o imóvel para ver o que estava acontecendo. Lá, ele encontrou a médica já sem pulso. Mas não é só isso.

De acordo com informações preliminares, ela lutava contra uma depressão. Então, uma das hipóteses é de que a médica tenha tirado a própria vida por enforcamento. Além disso, a Santa Casa de Misericórdia deve emitiu uma nota lamentando o ocorrido:

“O provedor em exercício da Santa Casa de Itabuna, o médico Antônio Augusto Monteiro, decretou luto oficial de três dias. Em nome da instituição, ele solidariza-se com os familiares, amigos e colegas de trabalho da doutora Tais Barreto, que foi encontrada sem vida na residência dela. A médica era uma pessoa cativante, meiga e parceira.”

Da Redação do Acontece na Bahia.

Tag(s): , .

Categoria(s): Nacional.

Querida pelo povo, médica cubana morre aos 51 anos na Bahia

Uma história causou comoção nesta terça-feira (9). Isso porque uma médica bastante querida pela sociedade faleceu durante a madrugada. Mas afinal, o que aconteceu?

A médica Isabel Garcia Vilas Boas, de 51 anos, era cubana e estava no Brasil já há cerca de 7 anos. Ela teria vindo para cá a partir do programa Mais Médicos, atendendo no interior da Bahia. Com o seu carisma, ela foi conquistando o povo e ganhando referência com a população. Mas não é só isso.

Isabel atuou em mais de uma cidade, passando pelo município de Saúde e também chegando a Serrolândia. Nessas cidades, ela se tornou querida para os pacientes que atendeu. Contudo, infelizmente agora ela se foi. De acordo com o portal Calmon Notícias, a médica cubana estava enfrentando alguns problemas de saúde e não resistiu, falecendo na madrugada de hoje .O sepultamento também foi realizado hoje, no cemitério São Miguel Arcanjo, na cidade de Miguel Calmon.

Da Redação do Acontece na Bahia.

Tag(s): .

Categoria(s): Nacional.

Médica que caiu de prédio em Salvador afirma que ex-namorado disse que “acabaria com ela”

A história da jovem médica Sáttia Lorena, que caiu de um prédio em Salvador, repercutiu por todo o Brasil. A suspeita é de que o marido, também médico, havia empurrado ela para fora da sacada do quinto andar. Contudo, ela estava com a memória afetada por conta do episódio e não havia deposto. Mas agora, em depoimentos mais recentes, Sáttia conseguiu trazer o que aconteceu à tona.

Então, ainda em recuperação dos danos da queda Sáttia afirmou que se lembra de Rodolfo Cordeiro dizendo que “acabaria com ela”. De acordo com o depoimento obtido pela TV Bahia, Sáttia já havia sido ameaçada por Rodolfo antes caso terminasse o relacionamento. Além disso, a médica também contou que já sofreu agressões não apenas de cunho psicológico, mas também físico, como socos e puxões de cabelo. Ainda segundo o depoimento, a médica se lembra do que aconteceu no dia em que caiu do prédio.

Segundo ela, o marido disse “eu avisei” enquanto a agredia e a ameaçava. Então, na fatídica hora da queda, Sáttia pediu para que ele não soltasse a mão dela, mas ele o fez mesmo assim. Agora, as autoridades estão unindo essas informações aos laudos técnicos.

Entenda o caso

Aos 27 anos de idade, a jovem médica estava no apartamento com o parceiro no condomínio do Serra Mar, que fica no bairro da Armação, em Salvador. Suspeita-se que ela tenha sido empurrada ou agredida de outra maneira, resultando na sua queda. Pouco depois da confusão, ela foi encontrada caída no chão. As autoridades e o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foram acionados e a médica foi socorrida. Ela foi encaminhada ao Hospital Geral do Estado (HGE), onde tanto ela quanto o marido trabalham. O homem foi autuado em flagrante pelo crime de tentativa de feminicídio, mas acabou liberado pela Justiça.

Da Redação do Acontece na Bahia.

Tag(s): .

Categoria(s): Nacional.

Após criança morrer por falta de ar, Médica é indiciada por homicídio doloso

Elisa dos Anjos Rodrigues, 3 anos,  teve a vida interrompida em 26 de outubro de 2018, após ter sido internada no Hospital Maria Auxiliadora, no Gama.

A menina estava sofrendo com complicações respiratórias durante a noite e não foi atendida por médicos do plantão, mesmo com o incessante apelo dos familiares.. A pediatra que estava de plantão foi indiciada por homicídio doloso.

Na última quinta-feira (1), o caso teve desfecho com a conclusão das investigações conduzidas pela 14ª Delegacia de Polícia (Gama).

“Laudos elaborados pelo Instituto de Medicina Legal da Polícia Civil do Distrito Federal (IML/PCDF) constataram que a falta de atendimento presencial da pediatra e a demora na atuação dos médicos foram determinantes para resultado morte.”, diz um trecho da nota.

O depoimento de uma enfermeira que presenciou a situação foi fundamental para a elucidação do caso. A Polícia Civil do Distrito Federal reuniu provas que apontam para o cometimento de homicídio doloso.

Agora, cabe ao Ministério Público do DF (MPDFT) apresentar ou não a denúncia à Justiça.

Tag(s): , , , , .

Categoria(s): Nacional.