Presidente da Fundação Palmares afirma que processará Martinho da Vila por racismo e danos morais

Uma notícia está sendo destaque nesta quinta-feira (19). O presidente da Fundação Cultural Palmares, o Sérgio Camargo, afirmou que entrará com uma ação judicial contra o cantor Martinho da Vila, por danos morais e crime de racismo. A atitude é por conta de algumas alegações que o cantor fez contra o presidente da fundação.

Na época, Martinho disse que a fundação teria sido “criada para tratar dos assuntos da cultura negra”, mas que agora é comandada por “Camargo, bolsonarista radical”. “Ele é um preto de alma branca, como se diz”. “No duro, ele gostaria de ser branco. Ele acha que ele é branco. Ele se sente branco. E ‘tem que acabar com essas coisas todas de preto'”.

Apesar de entrar com uma ação contra crime de racismo, Sérgio Camargo, que é um militante de direita, já afirmou em outros momentos que no Brasil não existe “racismo real” e que a escravidão foi “benéfica para os descendentes” e que o movimento negro precisa ser “extinto”.

Além disso, Sérgio Camargo diversas vezes atacou personalidades negras, como Martinho da Vila. Ele retirou o cantor do portal da instituição e afirmou em outros momentos que Martinho deveria ser “mandado para o Congo, por ser um vagabundo”. Também atacou a atriz Taís Araújo, a chamando de “rainha do vitimismo” e Gilberto Gil, o chamando de “parasita da raça negra no Brasil”.

Sobre ter seu nome retirado do portal da instituição, Martinho da Vila afirma “Graças a Deus. Não quero ter meu nome ligado àquela organização”.

 

 

Da Redação do Acontece na Bahia

Tag(s): , .

Categoria(s): Artistas.