Mulher é atendida com cólicas e descobre que na verdade estava grávida: “Pensei que tinha feito xixi nas calças, mas era a bolsa que tinha estourado”

Um caso clínico tomou as manchetes deste sábado (31). Isso porque uma mulher foi até o hospital com dores e cólicas abdominais e voltou para casa com um filho.

Aos 43 anos, Simne Maria da Conceição não imaginava que fosse viver uma experiência tão inusitada. Ela foi socorrida com fortes dores numa upa em Recife , capital do Pernambuco. Então, não demorou muito para que ela descobrisse que estava em trabalho de parto.

Ela estava convicta que não estaria grávida por dois motivos. Primeiro, ela havia parado de menstruar e achou que estava entrando na menopausa. Para ter certeza de que não estava grávida, ela também realizou dois testes de gravidez e ambos deram negativo. Além disso, Simone não teria apresentado outros sintomas durante a gestação, nem as tão famosas cólicas que começam no fim da gravidez. Ela contou como se sente:

“Eu pensei que era cólica menstrual. Tomei um remédio, mas não passou. Em um momento, eu estava vomitando de dor, aí fui para a UPA. Lá, pensei que tinha feito xixi nas calças, mas era a bolsa que tinha estourado. Fizeram exame de toque e viram que o bebê já estava vindo.” Mas não termina aí.

Simone trabalha como diarista e tem outros 4 filhos, dois deles são gêmeos de 15 anos e ainda moram com ela. Sem renda fixa no momento, Simone afirmou que ainda não sabe muito bem o que fazer, pois a chegada do bebê foi uma grande surpresa:

“Eu fiquei sem chão, como estou até agora. Ainda estou voltando para a Terra. Os meus outros quatro filhos estão felizes, muito empolgados, querendo que o irmão saia do hospital para que eles conheçam. Ainda estamos internados porque um exame de rim do bebê deu alterado, e os médicos estão investigando[…]Ele não tem enxoval, não tem nada, porque já estava tudo muito complicado pela pandemia, e ele veio de surpresa, não tive como preparar nada.”

Da redação do Acontece na Bahia

Tag(s): .

Categoria(s): Destaque.

Procurador fere a própria mãe por engano após tentar atirar em cunhado no Distrito Federal

Uma notícia tem circulado nas redes sociais nesta terça-feira (27). O servidor público federal, Henrique Celso Gonçalves Marini e Souza, foi preso em flagrante após ter ferido a própria mãe, no Lago Sul, Distrito Federal. O incidente aconteceu no último final de semana quando o servidor discutiu com o cunhado e tentou acertá-lo com disparo de arma de fogo, mas acabou ferindo a própria mãe, que foi atingida no braço e foi encaminhada para o Hospital de Base, onde recebeu atendimento.

O caso aconteceu em um imóvel que fica localizado na QI 28, onde os policiais encontraram nove armas de fogo, uma espingarda de pressão e centenas de munições de calibres variados. Segundo informações, o armamento foi apreendido e o imóvel passou por perícia. As investigações estão na responsabilidade da 1ª Delegacia de Polícia (Asa Sul).

Os advogados de Henrique alegaram que o armamento apreendido eram do pai do servidor que era militar e já faleceu. A defesa ainda disse que dentre as pessoas que moram na residência ninguém tem porte de arma. De acordo com os advogados, houve um ‘desentendimento’ e o servidor agiu em ‘legítima defesa’. Segundo informações, o cunhado do procurador sabia onde as armas estavam e conseguiu sair às pressas. O servidor conseguiu realizar o disparo e atingiu a própria mãe ,”sem querer”, disse a defesa.

De acordo com a Polícia Militar, houve uma chamada para o 190 de alguém da casa informando que uma senhora foi ferida pelo próprio filho, e que este filho mantinha outras pessoas reféns. Um agente que estava na ocorrência contou que o servidor resistiu a abordagem policial e que a rendição só aconteceu após 1h30 de negociação. A corporação informou ainda que foi encontrada uma garrafa de whisky no quarto, e que Henrique além de estar sob efeito de álcool pode ter tido um surto psicótico. Houve uma audiência de custódia nesse domingo (25) e a justiça manteve a prisão preventiva de Henrique.

Da redação do Acontece na Bahia

 

 

 

 

 

Tag(s): , , , , , , .

Categoria(s): Destaque, Nacional.

Duas vizinhas do menino Luiz Fernando são encontradas sem vida e suspeita-se que elas teriam envolvimento no caso

Um caso complicado voltou à tona nesta quarta-feira (21). Trata-se dos desdobramentos do caso do menino que foi encontrado sem vida pela mãe na casa da vizinha.

Duas mulheres foram encontradas mortas na última terça-feira (20).Cássia Gonçalves de 61 anos e a filha dela, Uelma Gonçalves da Cruz, de 38, foram encontradas mortas na cidade de Simões Filho.

As autoridades suspeitam de que elas tenham algum envolvimento com a morte do pequeno Luiz Fernando, de 3 anos. Isso porque essas duas mulheres seriam vizinhas da mãe de Luiz, Fernando, no bairro da Valéria, em Salvador. Mas afinal, o que ocorreu com Luiz?

Luiz estava brincando com amigos e com um filho da vizinha na noite do último domingo. Contudo, ele desapareceu pouco depois que a mãe dele entrou para ir ao banheiro. Então, horas depois, ainda na madrugada, Luiz foi encontrado pela mãe dentro da casa da vizinha. Ele estava sem vida dentro de um saco, embaixo de uma cama Leia Mais.

Da Redação do Acontece na Bahia

 

Tag(s): , , .

Categoria(s): Artistas, Destaque, Nacional.

Mãe encontra filho sem vida dentro de saco escondido debaixo da cama da vizinha após deixar ele brincando com o filho dela

Um caso revoltou o povo nesta terça-feira (20). Um menino, de apenas 3 anos, foi encontrado sem vida pela mãe.

O episódio ocorreu no bairro da Valéria, em Salvador, capital baiana. Luiz Fernando Góes Nogueira já estava sem vida quando a mãe o encontrou dentro de um saco na casa da vizinha. De acordo com o portal Bnews, Daniela Góes afirmou que o filho de 3 anos estava brincando com a irmã, de 4 anos, e com o filho da vizinha na noite da última segunda-feira. Então, em certo momento ela entrou para ir ao banheiro e quando voltou não encontrou mais o filho.

Em conversa com a mídia local, Daniela afirmou: “Quando não o vi mais, fui na casa dela e ela disse que ele não estava lá, indicando que poderia estar em outra casa. Nunca imaginaria, pois tratava meu filho bem, o filho dela tem sete, o meu três e sempre brincavam juntos.” Então, horas depois do sumiço, no início da madrugada de hoje, Daniela encontrou o filho sem vida na casa da vizinha. O menino estava dentro de um saco de linhagem escondido embaixo de uma cama. A mãe falou como se sentiu nessa hora:

“Eu só quis pegar meu filho com a ajuda de um outro vizinho e levar para a UPA logo, ela não disse nada com nada na hora.”

Ao ser levada para a  Unidade de Pronto Atendimento (UPA)  de Valéria, a criança foi recebida pela equipe médica. Contudo, eles constataram que ela já estava sem sinais vitais, com hematomas pelo corpo, marcas de enforcamento e pancada na cabeça. A polícia foi até a casa da vizinha suspeita, mas nem ela e nem o filho estavam mais no local. Uma perícia foi realizada e as autoridades seguem investigando o caso e buscando pela mulher.

Da Redação do Acontece na Bahia.

 

Tag(s): , , .

Categoria(s): Nacional.