Ex-participante do The Voice, cantor Rafael Dias morre aos 37 anos: “Estamos desolados”

Uma triste notícia circulou nas redes sociais nesta manhã de terça-feira (9). O cantor Rafael Dias morreu aos 37 anos logo após ter sido internado na UPA Centro-Sul, em Belo Horizonte nesta manhã de hoje (9).

De acordo com informações do site G1, Rafael foi internado com fortes dores abdominais em uma unidade de saúde. A equipe de saúde tentou fazer os exames nele para o diagnóstico, mas o rapaz não resistiu. Segundo os familiares, ele teve uma parada cardiorrespiratória.

“Ele fez uma consulta particular e o médico o orientou a procurar a UPA. Rafael estava com muitas dores e, acompanhado da mãe, ele foi para a unidade de saúde. Foi tudo muito rápido. Os rins pararam de funcionar, teve queda nas plaquetas e uma parada cardiorrespiratória, tudo isso aconteceu em poucas horas”, explicou a prima do cantor, Bárbara Cordeiro dos Santos.

Familiares de Rafael se expressaram e prestaram homenagem à Rafael nas redes sociais. “Descanse em paz, primo”, dizia uma das postagens.

O velório do rapaz será feito hoje (9) no Cemitério Belo Vale, às 15h, e, posteriormente, será cremado.

A prima de Rafael, Bárbara, afirmou que a família do cantor está desolada pela perda: “Estamos desolados, ele era cheio de vida e saúde, cheio de planos, com um coração gigante. É muito doloroso perder alguém assim tão rápido. A vida é um sopro”, afirmou.

Da redação Acontece na Bahia.

Tag(s): , , .

Categoria(s): Destaque.

Mutuípe: Morre médico Divaldo Brandão aos 95 anos; Ele seria o 1º morador da cidade a ser vacinado contra a Covid-19

Uma triste notícia circulou nesta manhã de quarta-feira (20). Morreu o médico Divaldo Brandão, de 95 anos, na cidade de Mutuípe. O homem seria o primeiro cidadão da cidade a ser vacinado contra a Covid-19.

O sepultamento do médico ocorrerá hoje. Ele será velado na Câmara de Vereadores e depois será levado para Salvador para ser sepultado. A família ainda não divulgou a causa da morte.

A história de Divaldo na cidade começou em março de 1952, quando foi levado pelos ex-prefeitos Julival Rebouças e Clélia Rebouças durante o surto de febre tifóide na cidade. Assim, o homem se tornou uma das principais faces da cidade. Ele atendia nas áreas de clínica médica e ginecologia.

O homem tentou disputar a eleição de prefeito na cidade na década de 90, porém, acabou perdendo nas urnas. Apesar disso, o homem se tornou parte da cultura local, sendo fundador a Associação Cultural e sócio-fundador do Sindicato Rural de Mutuípe, e sendo o primeiro presidente da unidade.

Da redação Acontece na Bahia.

Tag(s): , .

Categoria(s): Destaque.