STF discute nesta quinta-feira a ação de suposta suspeição do ex-ministro Sergio Moro em processos da Lava Jato

Uma notícia tem sido destaque nas redes sociais nesta quinta-feira (22).O Supremo Tribunal Federal (STF), retoma o julgamento de ação contra o ex-ministro Sergio Moro em que é acusado de suposta suspeição nos processos da operação Lava Jato.

A corte discutirá além da ação envolvendo Moro, para onde irão os processos da Lava Jato contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que tramitavam na Justiça Federal de Curitiba.

O ministro Edson Fachin já havia se posicionado defendendo que os processos envolvendo Lula fossem transferidos para a justiça de Brasília. Em opinião contrária, o também ministro Alexandre de Mores diz que o processo deve ir para São Paulo, local onde estão os imóveis citados no processo como supostamente recebidos em propina.

O processo envolvendo o ex-juiz Sergio Moro, será analisado por um colegiado de 11 ministros dentre os quais 7 foram nomeados pelo ex-presidente Lula quando ainda era o chefe do executivo federal.

Da redação do Acontece na Bahia

Tag(s): , , , .

Categoria(s): Destaque, Nacional.

Lava Jato: ministro Gilmar Mendes diz que a força tarefa prendeu Lula, apoiou a eleição de Bolsonaro e fez parte do governo;

O ministro  Gilmar Mendes do Supremo Tribunal Federal, em entrevista a  BBC News Brasil, nesta segunda-feira (15), afirmou que a Lava Jato “apoiou a eleição de Bolsonaro”, “’tentou interferir no resultado eleitoral e agiu para perturbar o país”  durante o mandato do ex-presidente Michel Temer.

O magistrado afirmou ainda que o ex-juiz Sergio Moro não teve atitudes condizentes com o que se espera  da relação entre juiz e Ministério Público na investigação  criminal. As falas de Gilmar Mendes  surgem às vésperas do ministro liberar para julgamento à ação em que o ex-presidente Lula pede a anulação da sua condenação no caso do Tríplex do Guarujá. O recurso interpelado pela defesa de Lula teve o julgamento interrompido por um pedido de vista do próprio  Gilmar Mendes no final de 2018, mas segundo o ministro neste semestre o caso será liberado para votação .

A defesa de Lula coloca em xeque a imparcialidade do então juiz Sérgio Moro pelo fato do juiz ter aceitado ser ministro da Justiça do governo Bolsonaro tempos depois. As condenações do juiz Sérgio Moro  foram  confirmadas pelo Tribunal Regional Federal(TRF) da 4º região e pelo Superior Tribunal de Justiça(STJ) no caso do Tríplex do Guarujá. Questionado sobre as repercussões de uma possível anulação de sentença condenatória em um efeito cascata  sobre as outras condenações, o ministro afirmou que cada caso é um caso.

O ministro falou, ainda na entrevista, sobre indícios de “vícios” nos acordos de delação premiada, falou sobre a pandemia. Apesar das críticas, ele afirmou que não seria bom para o Brasil um processo de impeachment contra o presidente Bolsonaro  no momento atual em que estamos.

Da redação do Acontece na Bahia

Tag(s): , , .

Categoria(s): Destaque, Nacional, Social.

Lava-jato: Conversas de Moro com promotores são divulgadas por determinação judicial

Nesta segunda-feira (1), uma situação chamou a atenção. Em cumprimento a determinação judicial  feita pelo  ministro Ricardo Lewandowski,o  STF retirou o sigilo de conversas envolvendo Procuradores e o ex-juiz Sérgio Moro que atuaram diretamente na lava-jato. O documento tem ao todo 50 páginas e foi divulgado  na íntegra pela coluna de Mônica Bergamo no jornal Folha de São Paulo.

Nas mensagens trocadas e de domínio público atualmente está a orientação do  ex-juiz Sérgio Moro a procuradores sobre  como apresentar a denúncia contra Lula no caso do triplex  do Guarujá.

Por  determinação do próprio magistrado  a defesa do petista  pôde ter acesso ao documento.Segundo o ministro poderiam  ter acesso também aos documentos apreendidos na Operação Spoofing que investigava o ataque a  celulares  de autoridades da República, entre  elas o próprio  Moro.

Da redação do Acontece na Bahia

Foto Gil Ferreira/Agência Brasil

 

Tag(s): , , , .

Categoria(s): Nacional, Politica.