Após Rússia complicar exportações, Lula dispara: “Fábricas de fertilizantes foram fechadas por Temer e Bolsonaro”, diz o ex-presidente

A declaração feita pela ministra da Agricultura, Tereza Cristina, que disse que o Brasil errou ao deixar de produzir fertilizantes no passado, foi motivo de resposta nessa sexta-feira (4) dada pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Segundo postagem feita por Lula nas redes sociais, a decisão de fechar as fábricas de fertilizantes foi tomada no governo do ex-presidente Michel Temer (MDB) e na atual gestão, de Jair Bolsonaro (PL).

A fala da ministra ocorreu na última quarta-feira (2) durante uma entrevista coletiva para falar sobre os efeitos do conflito entre Rússia e Ucrânia. O impacto da guerra na economia do Brasil e a dependência do país em relação ao fertilizante importado da Rússia foram temas abordados na conversa.

Para a ministra, importar fertilizante era mais barato do que produzir, o que resultou na paralisação da produção. Segundo ela, houve um erro em ter uma paralisação da produção nacional de fertilizantes usados na agricultura.

O abastecimento de fertilizante para o Brasil está comprometido em razão do conflito no Leste Europeu, e pelo fato do país não ser autossuficiente. O momento de incerteza tem impacto direto no preço dos alimentos. O Brasil hoje importa 85% dos fertilizantes que utiliza, e a Rússia responde por 23% dessas importações.

Durante o bate-papo, a ministra destacou que a autossuficiência de insumo é uma questão de segurança alimentar, além de ser questão de segurança nacional.

Por que tomamos lá no passado a decisão equivocada de não produzir fertilizantes?”, questionou. “No passado, a decisão era de importar pois era mais barato. Mas o Brasil precisa tratar desse assunto como segurança nacional e segurança alimentar”.

Em recente participação em transmissão ao vivo com o presidente Bolsonaro, Tereza Cristina  descartou a possibilidade da importação de fertilizantes da Rússia durante a guerra na Ucrânia, em razão do elevado preço do produto. Segundo ela, a decisão tem impacto direto na alta dos preços dos alimentos. O presidente Bolsonaro afirmou que lançará, ainda neste mês, um programa nacional para estimular a produção brasileira de fertilizantes.

O Ministério do Comércio e da Indústria da Rússia recomendou nessa sexta-feira (4), que os produtores de fertilizantes do país suspendam temporariamente as exportações do produto. A medida visa reagir às sanções impostas pelos Estados Unidos e por países da Europa devido à invasão da Ucrânia, deflagrada no dia 24 de fevereiro.

Com uma produção de mais de 50 milhões de toneladas de fertilizantes por ano, 13% do total global, a Rússia exporta o produto para países da Ásia e para o Brasil.

Da redação do Acontece na Bahia

Tag(s): , , .

Categoria(s): Destaque, Nacional.