Pesquisa Datafolha informa que Impeachment de Bolsonaro é apoiado por 49% dos brasileiros

Uma notícia está sendo destaque nesta semana. Isso porque, segundo a pesquisa Datafolha, 49% da população brasileira apoia o impeachment do presidente da república Jair Bolsonaro (Sem partido). Ainda de acordo com a pesquisa, 46% das pessoas entrevistadas não querem o afastamento do chefe do legislativo.

Segundo o Datafolha, é possível perceber que aqueles que não são a favor do afastamento do presidente são representantes de alguns segmentos ou de algumas regiões específicas. Exemplo disso é que 52% daqueles que reprovam o Impeachment, são homens que moram no sul do país. Esse número sobe para 60% quando são entrevistadas pessoas que dizem não ter medo do novo coronavírus, 57% entre os evangélicos e 56% são aqueles que são assalariados registrados.

Entretanto, já aqueles que apoiam o impeachment do presidente, são jovens entre 16 a 24 anos, representando (57%), o resultado para os moradores do Nordeste também foi de 57%, aqueles estão procurando por emprego representam (62%), outros entrevistado que informaram ter muito medo do coronavírus (60%). Esse numero apoio ao afastamento do Bolsonaro do poder aumenta, quando os entrevistados são os eleitores do ex-presidente Lula, o número dispara para (74%).

As informações são da pesquisa do Instituto Datafolha, que entrevistou 2.071 pessoas pessoalmente em todas regiões do Brasil, entre os dias 11 e 12 de maio. A margem de erro é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos, com nível de confiança de 95%.

Leia também o portal do nosso editor www.romulofontoura.com.br

Da Redação do Acontece na Bahia.

Tag(s): , , .

Categoria(s): Destaque, Nacional, Politica.

Witzel sofre impeachment e não é mais governador do Rio de Janeiro; A decisão foi unanime

Uma notícia está sendo destaque nesta sexta-feira (30). O governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC),sofreu impeachment na tarde de hoje. O Tribunal Especial Misto (TEM), que foi formado para julgar processo de impeachment do governador, que já estava afastado, obteve votos suficientes para afastá-lo definitivamente do cargo.

O tribunal é formado por desembargadores do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ) e parlamentares da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj). Ao total, foram 10 votos, todos a favor do impeachment, mas somente 7 votos eram precisos para que a decisão fosse definitiva.

Agora, ele ficará inelegível por 5 anos e terá o cargo assumido definitivamente pelo seu vice – que já estava atuando nesse período de afastamento- Claúdio Castro. Cláudio também assume o Palácio Guanabara.

Witzel é investigado por crime de responsabilidade e corrupção na condução da pandemia, segundo uma acusação de que ele havia uma caixinha de propina paga por Organizações Sociais (OSs). Para a CNN, Witzel elegou ter sido “injustiçado”.

 

 

Da Redação do Acontece na Bahia

Tag(s): , , .

Categoria(s): Destaque.

Em entrevista, João Amoêdo comenta sobre eleições de 2022, se coloca como terceira via e defende impeachment de Bolsonaro: “Gestão desastrosa”

Uma notícia chamou a atenção dos internautas nesta manhã de quarta-feira (28). Em entrevista ao site Metrópoles, o atual candidato à presidência nas eleições de 2022, João Amoêdo (Novo), afirmou que ainda acredita em uma possível vitória contra o ex-presidente Lula (PT) e o atual presidente Jair Bolsonaro (sem partido) nas eleições de 2022. “Temos que ter [um caminho]. Eu não me conformo, não entreguei os pontos”

“Eu não acredito que em um país com mais de 210 milhões de pessoas a gente fique à mercê de uma pessoa que, apesar do processo ter sido extinto, foi, sim, colocado como criminoso, tem as provas. Quer dizer, ele participou de esquema de corrupção. E de um outro que tem feito uma gestão totalmente desastrosa, brasileiros estão morrendo todos os dias por causa de uma gestão irresponsável. Não dá para imaginar que a gente fique entre essas duas opções e fique tranquilo”, afirma Amoêdo.

O fundador do partido Novo afirma também que não foi surpreendido com a notícia que o apresentador Luciano Huck teria renovado o contrato com a Globo e adiado os planos na política: “Eu já imaginava”.

Amoêdo também comentou sobre a CPI da Covid e um possível processo de impeachment: “Acho que a CPI pode ajudar a dar mais argumentos para o impeachment. Mas, do ponto de vista jurídico, há uma série de crimes cometidos pelo presidente da República que seriam suficientes para abrir o processo.”, afirmou, se colocando a favor do impeachment de Bolsonaro.

“Depois de toda essa gestão desastrosa, com a quantidade de brasileiros que estão morrendo, de desempregados, se isso não é suficiente para a gente abrir um processo [de impeachment], o que seria?”, indagou.

Da redação Acontece na Bahia.

Tag(s): , , , .

Categoria(s): Destaque.