Com aval do Papa, Igreja Católica emite comunicado que proíbe bênção a casamento homossexual: “Deus não pode abençoar o pecado”

Uma notícia chamou a atenção dos internautas nesta manhã de segunda-feira (15). Com o aval do Papa Francisco, o Vaticano anunciou hoje que padres e outros ministros da Igreja Católica estão proibidos de abençoar uniões entre pessoas do mesmo sexo. Assim, ocasiões cujo isso ocorro não serão consideradas lícitas.

Nesse contexto, um dos órgãos responsáveis por estabelecer diretrizes para os católicos afirmou em nota que “Deus não pode abençoar o pecado”.

O pronunciamento da igreja foi feito após algumas paróquias espalhadas pelo mundo expressarem o desejo de conceder as bençãos em sinal de boas-vindas aos gays católicos.

Assim, em resposta, a Congregação para a Doutrina da Fé (CDF) afirmou: “motivado por um desejo sincero de acolher e acompanhar os homossexuais” e ajudá-los a crescer na fé. O órgão disse que a decisão “não se destina a ser uma forma de injusta discriminação, mas sim um lembrete da verdade do rito litúrgico”.

“Por esse motivo, não é lícito dar bênção a relacionamentos, ou a parcerias estáveis, que envolvam atividade sexual fora do casamento (ou seja, fora da união indissolúvel de um homem e uma mulher, aberta em si mesma à transmissão da vida), como é o caso das uniões entre pessoas do mesmo sexo “, afirma a nota.

Em contrapartida, o Papa Francisco fez um pronunciamento no ano passado defendendo os casais homoafetivos e abrindo uma possível ponte para a inclusão de pessoas homoafetivas na igreja católica.

“Pessoas homossexuais têm o direito de estar em uma família. Elas são filhas de Deus e têm direito a uma família. Ninguém deveria ser descartado [dela] ou ser transformado em miserável por conta disso”, disse o papa em outubro.

Entretanto, apesar de ser a autoridade máxima da igreja, o Papa Francisco não tem poder de mudar dogmas da instituição sozinho apesar de ter um posicionamento mais liberal em relação aos homossexuais.

Tag(s): , , .

Categoria(s): Destaque.