Bolsonaro é flagrado dançando funk no Guarujá e apoiadores ironizam suposta preocupação com o encontro Lula/Alckmin

De folga no Guarujá, no litoral paulista, o presidente Jair Bolsonaro (PL) foi flagrado dançando um funk com teor machista em uma lancha, ao lado de simpatizantes. O vídeo em que o presidente aparece dançando foi compartilhado nessa segunda-feira (20), pelo senador Flávio Bolsonaro (PL-RJ) e pelo tenente Mosart Aragão, assessor especial do presidente da República. Flávio e Aragão ironizaram uma suposta preocupação de Jair Bolsonaro com o encontro entre o ex-presidente Lula (PT) e o ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin (sem partido).

Na filmagem, Bolsonaro dança uma paródia da música “Baile de Favela”, que foi intitulada “Proibidão do Bolsonaro”, de autoria do MC Reaça, que faleceu em 2019 após ficar conhecido nacionalmente durante a campanha presidencial de 2018. A letra da música compara as mulheres de esquerda a cadelas e exalta o presidente Bolsonaro.

“Dou pra CUT pão com mortadela e para as feministas, ração na tigela. As minas de direita são as top mais bela, enquanto as de esquerda têm mais pelo que cadela”, diz trecho do funk. Hospedado no local desde o dia 17 de dezembro, o chefe do Executivo deve retornar a Brasília para as festas de fim de ano no próximo dia 23 de dezembro.

Flávio e Aragão fizeram postagens nas redes sociais em tom de ironia.”Bolsonaro preocupado com o ‘Jantar da Democracia’ de Lula/Alckmin”. O ex-ministro Sergio Moro, pré-candidato à presidência pelo Podemos, também atacou o jantar entre os dois políticos, que chamou de “comemorativo da impunidade da grande corrupção”.

O ex-presidente Lula e o ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin se encontraram publicamente pela primeira vez nesse domingo (19), em um jantar organizado pelo grupo de advogados Prerrogativas, na Zona Sul de São Paulo.
Alckmin mostrou indícios de uma possível aliança ao dizer que “é hora da união”. Já o ex-presidente Lula, discursou por cerca de 40 minutos, e disse que é necessário a união de antigos adversários para melhorar a situação do Brasil.

As declarações feitas pelos dois políticos mostram uma real possibilidade de aliança entre eles para a formação de chapa para a corrida presidencial em 2022. Geraldo Alckmin disse não ter “diferenças intransponíveis” em relação a Lula e o petista afirmou que não há nada que aconteceu entre eles que não possa ser “reconciliado”.

Da redação do Acontece na Bahia

Tag(s): , , , , .

Categoria(s): Destaque, Nacional, Politica.