Após tirar foto com caseiro suspeito de matar três pessoas, fazendeira diz que intenção foi provar à polícia que o tinha convencido a se entregar

A iniciativa da fazendeira Cinda Mara de tirar uma foto ao lado do caseiro Wanderson Mota Protácio, de 21 anos, suspeito de matar a mulher grávida, a enteada e um fazendeiro, foi segundo ela, para provar à polícia que tinha o convencido a se entregar. Wanderson foi preso na manhã desse sábado (4), em Gameleira de Goiás. O homem estava foragido após ter cometido o crime no dia 28 de novembro.

“Muitas pessoas passavam informações desencontradas para a polícia. Quando tirei a foto dele tive o discernimento de mandar a foto para o prefeito de Gameleira, que enviou para o policial. Foi Deus que deu o livramento para mim, meu marido e os policiais”, disse a fazendeira.

A mulher falou como convenceu o caseiro a se entregar as autoridades.
“Eu estava dormindo e meu marido havia saído para pegar leite. Ele bateu na janela, apontou a arma para mim, falou que era um assalto e que ia me matar. Eu pedi calma, falei pra ele ficar tranquilo que eu iria ajudá-lo”, disse Cinda Mara.

Cinda conseguiu manter a situação sob controle ao ponto de Wanderson tomar uma café e vestir uma camisa. A partir daí, Cinda chamou o marido e colocou o suspeito no carro e o levou até as autoridades. Cinda tirou uma foto ao lado do suspeito antes dele ser preso.

“Ele pediu bolacha, estava tremendo demais porque estava com muito frio. A gente deu uma blusa para ele vestir, aí ele vestiu a blusa. Sentei na frente dele e pedi para me olhar nos olhos. Ele estava com revólver, estava carregado, cheio de bala”, afirmou.

“Ele pediu bolacha, estava tremendo demais porque estava com muito frio. A gente deu uma blusa para ele vestir, aí ele vestiu a blusa. Sentei na frente dele e pedi para me olhar nos olhos. Ele estava com revólver, estava carregado, cheio de bala”, disse Cinda.

A polícia tomou o depoimento da fazendeira na delegacia de Anápolis, a 55km de Goiânia.

O caseiro Wanderson Mota Protácio estava sendo procurado e se entregou à polícia na manhã deste sábado (4), em Gameleira de Goiás. A Polícia Civil de Goiás emitiu uma nota em que confirmou a prisão de Wanderson Mota e informou os detalhes da operação em uma coletiva de imprensa que foi realizada às 10h deste sábado, na Delegacia Regional em Anápolis.

Os crimes cometido por Wanderson aconteceram em Corumbá de Goiás, no Entorno do DF. Primeiro, o suspeito matou a mulher dele que estava grávida, Ranieri Aranha Figueiró, de 21 anos, e a enteada Geysa Aranha da Silva Rocha, de 2 anos e 9 meses, segundo a investigação da Polícia Civil.

Logo depois, o suspeito furtou um revólver e matou o fazendeiro Roberto Clemente de Matos, de 73 anos, com o objetivo de roubar a caminhonete dele e fugir da cidade. O caseiro Wanderson também tentou estuprar a mulher do fazendeiro, mas não conseguiu, e efetuou um disparo de arma de fogo no ombro dela.

Foi mobilizada uma força-tarefa entre as polícias Civil e Militar e com a ajuda da Rodoviária Federal (PRF), com a supervisão da Secretaria de Segurança Pública de Goiás (SSP-GO), para prender o suspeito após os crimes cometidos por ele.

Da Redação do Acontece na Bahia

Tag(s): , .

Categoria(s): Destaque, Nacional.

“Tive que usar a frieza”: fazendeira conta como convenceu caseiro suspeito de matar mulher, enteada e vizinho a se entregar

A fazendeira que convenceu o caseiro Wanderson Mota Protácio, de 21 anos, suspeito de matar a mulher grávida, a enteada e um fazendeiro, a se entregar à polícia, na manhã desse sábado (4), em Gameleira de Goiás, deu detalhes de como foi a negociação. Após ter cometido o crime no dia 28 de novembro, o suspeito estava foragido e era procurado pelas forças de segurança.

“Eu estava dormindo e meu marido havia saído para pegar leite. Ele bateu na janela, apontou a arma para mim, falou que era um assalto e que ia me matar. Eu pedi calma, falei pra ele ficar tranquilo que eu iria ajudá-lo”, contou a fazendeira Cinda Mara.

Cinda contou que teve que ficar calma durante a ação. “Eu agi com a maior naturalidade que você possam imaginar. Eu tive que ser bem fria, tive que usar a frieza”, contou.

A fazendeira Cinda conseguiu controlar a situação a ponto de Wanderson ter tomado um café e ter colocado uma camisa. Cinda conseguiu chamar o marido e após colocar o suspeito no carro o levou até os policiais. A fazendeira manteve a calma a tal ponto que conseguiu tirar uma foto com Wanderson antes de sua prisão.

“Ele pediu bolacha, estava tremendo demais porque estava com muito frio. A gente deu uma blusa para ele vestir, aí ele vestiu a blusa. Sentei na frente dele e pedi para me olhar nos olhos. Ele estava com revólver, estava carregado, cheio de bala”, disse Cinda.

A polícia tomou o depoimento da fazendeira na delegacia de Anápolis, a 55km de Goiânia. O suspeito Wanderson se encontra preso nesse mesmo local.

O caseiro Wanderson Mota Protácio estava sendo procurado e se entregou à polícia na manhã deste sábado (4), em Gameleira de Goiás. A Polícia Civil de Goiás emitiu uma nota em que confirmou a prisão de Wanderson Mota e informou os detalhes da operação em uma coletiva de imprensa que foi realizada às 10h deste sábado, na Delegacia Regional em Anápolis.

Os crimes cometido por Wanderson aconteceram em Corumbá de Goiás, no Entorno do DF. Primeiro, o suspeito matou a mulher dele que estava grávida, Ranieri Aranha Figueiró, de 21 anos, e a enteada Geysa Aranha da Silva Rocha, de 2 anos e 9 meses, segundo a investigação da Polícia Civil.

Logo depois, o suspeito furtou um revólver e matou o fazendeiro Roberto Clemente de Matos, de 73 anos, com o objetivo de roubar a caminhonete dele e fugir da cidade. O caseiro Wanderson também tentou estuprar a mulher do fazendeiro, mas não conseguiu, e efetuou um disparo de arma de fogo no ombro dela.

Foi mobilizada uma força-tarefa entre as polícias Civil e Militar e com a ajuda da Rodoviária Federal (PRF), com a supervisão da Secretaria de Segurança Pública de Goiás (SSP-GO), para prender o suspeito após os crimes cometidos por ele.

Da redação do Acontece na Bahia

Tag(s): , .

Categoria(s): Destaque, Nacional.

Fazendeira sai durante a noite para olhar plantação e acaba comida por cobra píton

Uma notícia assustadora chamou a atenção dos internautas nesta manhã de quarta-feira (21). Uma mulher tida como desaparecida foi encontrada dias dentro de uma cobra píton. O caso aconteceu na Indonésia, na ilha de muna, e a mulher foi identificada como Wa Tiba, de 54 anos.

A fazendeira decidiu, na noite da última quinta-feira (15) ir até sua plantação de milho afim de vistoriar o local, uma vez que javalis estavam invadindo a propriedade.

Porém, a mulher não voltou e sua família preocupada foi em sua busca na manhã seguinte. No entanto, eles encontraram apenas um par de chinelos, uma lanterna e um facão.

A região tem penhascos e cavernas ao seu redor, local propício para cobras píton, típicas da região.

Assim, mais de 100 pessoas se voluntariam para realizar as buscas. Pouco tempo depois, eles encontraram uma cobra píton com a barriga extremamente inchada. Nesse contexto, os moradores mataram a cobra e, ao abri-la, encontraram o corpo de Wa Tiba com a mesma roupa que tinha saído de casa na noite anterior.

As informações foram apuradas pelo Metro World News.

Da redação Acontece na Bahia.

Tag(s): , , .

Categoria(s): Destaque.