Fundador do Grupo Gay da Bahia faz declaração polêmica sobre a ex-presidente Dilma Rousself e desabafa “extremamente homofóbica”

Durante uma entrevista para o programa BNews Agora, na Piatã FM, o antropólogo, Luiz Mott, que é fundador do Grupo Gay da Bahia (GGB), fez uma declaração polêmica que deixou todos bastante surpresos. Em sua fala, ele acusou a ex-presidente Dilma Rousself (PT) de ter sido “extremamente homofóbica” quando ainda estava em seu exercendo o seu mandato.

“Eu fui um dos primeiros membros do Partidos dos Trabalhadores aqui na Bahia, mas me desencantei há muito tempo, já no segundo mandato de Lula. Quando veio Dilma, foi terrível para a comunidade LGBTQIA+. O que estão querendo fazer em São Paulo, ela já fez em seu governo, quando disse que não aceitava propaganda de teor homoafetivo”,

A situação teria ocorrido em 2011, quando a presidente Dilma, teria vetado a distribuição nas instituições de ensino, o kit Escola Sem Homofobia. De acordo com ele, ela não teria ficado muito satisfeita com o tipo de conteúdo em que assistiu em um dos vídeos propostos pelo grupo. “Não aceito propaganda de opção sexual”, disse a presidente, em 2011.

Ainda durante a entrevista, Mott comentou que um projeto de lei 504, que iria ser votado na quarta-feira (28), pela Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp), entretanto, foi retirado da pauta. Pois a PL pediu a proibição da divulgação de publicidade com pessoas  LGBTQIA +, ou até mesmo com famílias homoafetivas no estado de São Paulo.

Ao concluir a entrevista, o fundador da ong, pediu um apoio financeiro para a Vaquinha Online, que vai servir para fazer uma reforma e manutenção da sede do GGB. “Nossa utilidade pública vai além da distribuição de preservativos. Lá é um local de encontro, de denúncia, de auxílio e de orientação” disse o antropólogo.

Da Redação do Acontece na Bahia

Tag(s): , , .

Categoria(s): Destaque, Nacional.