Senhor do Bonfim: Estudante de 18 é usada como “escudo” por alvo de assassinos e acaba morta em tiroteio

Uma triste notícia tomou os jornais baianos nesta manhã de quarta-feira (14). Uma estudante de 18 anos, identificada como Maria Vilma de Castro Silva foi vítima de um crime bárbaro, no último domingo (11), que chocou a população. A moça foi utilizada como escudo humano por suspeitos de assassinatos durante uma troca de tiro.

De acordo com o site BNews, a moça estava em uma loja de peças de motos quando foi abordada pelos suspeitos, que estavam em uma motocicleta. Os suspeitos pararam em frente ao estabelecimento e perguntaram sobre um homem chamado Adriano.

Nesse contexto, ao identificarem o alvo, a dupla de bandidos sacou as armas e Adriano utilizou a jovem como defesa contra os tiros. Ele a agarrou e, mesmo a estudante sendo inocente, os tiros não cessaram.

O homem identificado como Adriano, que era o alvo dos assassinos, não foi atingido e conseguiu fugir.

No entanto, Maria Vilma foi atingida por diversos disparos em seu corpo, inclusive na cabeça, e faleceu no local.

A polícia ainda investiga o caso e o trio responsável pela morte da estudante ainda não teve paradeiro identificado.

Da redação Acontece na Bahia.

Tag(s): , , .

Categoria(s): Destaque.

Aos 20 anos, estudante de direito morre após realizar “brincadeira sem graça” com amigo

Uma história assustou o povo nesta terça-feira (7). Trata-se da morte de um jovem estudante de direito, que ainda tinha toda a vida pela frente, e partiu em consequência de uma brincadeira de mal gosto.

O caso ocorreu na cidade de Janaúba, no norte de Minas Gerais, mas já chegou a repercutir até fora do Brasil, sendo veiculado em inúmeros jornais estrangeiros. O jovem estudante de direito Cades Emanuel Pimenta Santos Norte, de 20 anos de idade, morreu depois de participar de uma brincadeira de muito mal gosto e perigosa. Trata-se da “roleta russa”

De acordo com as autoridades, Cades Emanuel estava com um amigo quando perdeu a vida. Ele teria chamado esse amigo, que conhecera há 6 anos, para ir a casa dele para beberem juntos e ouvirem música. Contudo, chegando lá o amigo teria se deparado com Cades portando uma arma de fogo para que eles realizassem uma “roleta-russa” .

Nessa roleta, a arma é recarregada com apenas uma bala, deixando os outros espaços vazios. Então, a pessoa vai girar tambor da arma, mirar contra a própria cabeça e acionar o gatilho. Se o tambor parar justamente no espaço carregado, a pessoa recebe o disparo e acaba tirando a própria vida. Amplamente proibida, “a graça” da brincadeira seria justamente a adrenalina do risco. Mas não termina aí.

Segundo esse amigo, foi justamente o que aconteceu no local. Ele teria participado por 2 vezes e, por sorte, não foi atingido. Então, quando repassou a arma para Cades, o estudante de direito acabou tendo “o azar” de acionar o gatilho justamente no compartimento carregado, realizando o que as autoridades chamam de “autoextermínio”. Suspeita-se que ambos teriam bebido pouco antes do episódio. Agora, a Polícia Civil instaurou um inquérito para apurar os fatos e descobrir o que realmente ocorreu naquela noite.

Da Redação do Acontece na Bahia.

Tag(s): , .

Categoria(s): Nacional.

Filho de porteiro, baiano de Xique-Xique fica entre os 28 estudantes brasileiros que alcançaram nota mil no Enem

Uma notícia chamou a atenção dos internautas baianos nesta manhã de quarta-feira (7). Helder dos Santos Lima, de 19 anos, estudante baiano de Xique-Xique, foi um dos 28 alunos do país que atingiram a nota máxima no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020.

Filho de uma professora e um porteiro, ele afirma que seus pais, apesar de não terem muito dinheiro, sempre o incentivaram estudar: “Venho de uma família simples em que poucos tiveram acesso ao estudo, mas, mesmo assim, sempre fui estimulado a estudar para garantir o melhor no meu futuro. Estou muito feliz e grato, principalmente aos meus pais, Juliana e Nilton, que sempre me deram incentivo para eu atingir esta conquista”, afirmou.

Helder começou, em 2018, uma rotina rígida de estudos. O jovem estudava em casa durante os três turnos e intercalava com treinos em casa, no colégio, e no cursinho do UPT, programa do Governo do Estado da Bahia que funciona como um tipo de curso preparatório para vestibulares.

No ano de 2018, Helder realizou sua primeira nota do Enem, alcançando 680 pontos na redação. Desde então, em apenas dois anos ele conseguiu subir mais de 300 pontos na redação, alcançando o ápice na prova do ano passado. Assim, o jovem estudante serve para milhares de estudante como exemplo de dedicação e superação.

Da redação Acontece na Bahia.

Tag(s): , , .

Categoria(s): Destaque.

Feira de Santana: jovem tira 980 pontos na redação do Enem estudando sem energia elétrica, ele usava lanterna à noite sonhando ser médico

Uma notícia tem chamado a atenção dos internautas nesta terça-feira (6). O jovem Matheus de Araújo Moreira Silva, 25 anos, precisou de muita persistência e foco para buscar a tão sonhada vaga em um curso de medicina. O estudante tirou 980 pontos na redação da prova do Enem que foi aplicada em 2021.Vale ressaltar que a nota máxima na redação do Enem é 1000 pontos. No somatório geral, Matheus obteve 708 pontos. 

Matheus, que é morador do bairro Viveiros, Feira de Santana, afirma que sempre estudou em escola pública e diz que o seu objetivo é conquistar o diploma de medicina. “Minha Jornada nos estudos começou em 2015. Eu estudava para fazer cursinho, estudava na biblioteca para medicina, porém com os entraves da vida acabei entrando em 2015 em enfermagem. Estudei dois anos e abandonei para tentar medicina, que era o meu sonho”, contou. 

Tendo como objetivo o sonho de ser médico, o jovem decidiu abandonar o curso de enfermagem que havia começado e apesar de poucos recursos começou a se preparar para a prova do Enem. Os bizus de prova Matheus aprendia respondendo milhares de questões de provas anteriores. 

“Estudava através de vídeo aulas no YouTube e algumas plataformas de estudo. Minha rotina de estudo era de domingo a domingo, sempre estudava, mesmo que fosse um pouco. De segunda a sexta, eu estudava das 6h às 17h e final de semana até às 14h. Estudava as questões do Enem”, comentou. 

O jovem estudante precisou se adaptar aos estudos já que em casa não conseguia se concentrar e diante do momento de pandemia as bibliotecas fecharam as portas. “Fiquei me perguntando onde iria estudar. Aí uma colega recebeu uma casa aqui no Viveiros, uma casa que não tem energia. Foi muito complicado me adaptar. Em casa tenho cinco irmãos, um que é especial, não tinha como estudar em casa. Acabei indo para essa casinha, que não tinha energia, apenas água. Peguei uma mesa e uma cadeira, assinei um pacote de internet e ficava lá estudando até 17 horas, porque escurecia e tinha que voltar para casa, mas de vez em quando eu ligava a lanterna e ficava até às 19h”, destacou Matheus. 

Com a chegada da aprovação, Matheus trouxe à lembrança os momentos de dificuldades e agradeceu a Deus o resultado alcançado diante da nota na prova do Enem. “Eu pretendo cursar medicina e irei conseguir. No segundo semestre do ano, abrem as vagas para a estadual. Eu já analisei e vamos ver o que vai dar. Senti bastante dificuldade, porque sempre trabalhei para pagar os cursinhos, fazia cursinho público como o UPT [Universidade Para Todos]. Foi um longo período de estudo, de abdicação, de esforço e quando você vê seu esforço materializado em uma nota, que é o Enem, é muito gratificante. O estudo dá retorno”, concluiu. 

O jovem ainda falou que sempre compartilhou de boa vontade conhecimento com pessoas que passaram pelas mesmas dificuldades que ele sem aulas particulares e acesso à internet. 

 “Uma das coisas que eu faço há dois anos e tem me ajudado bastante é dar reforço às pessoas aqui no bairro, a um preço bem simples. Tinha pessoas que não tinham condições financeiras e eu ministrava o conteúdo e ensinava assim mesmo, pois ensinando, eu estava reforçando o estudo e ajudando o colega que precisava. Eu dava reforço, mas devido ao covid-19 ficou muito complicado se adaptar, porque muitos não tinham internet boa e também não conseguiram fazer a migração do presencial para o EAD, então foi muito complicado. Fiz até um Instagram @negrescored, que é uma forma de divulgar. Eu fiz também um grupo de estudo no WhatsApp com as meninas aqui do bairro, porque eu vi que não tinham um poder aquisitivo de poder pagar um tutor de redação, e todas conseguiram tirar acima de 900, mas de um modo geral é dedicação, esforço e persistência e o maior de tudo Fé. Ter Fé que em algum momento tudo vai acontecer”, comentou Matheus. 

Matheus ainda compartilha dicas que segundo ele são imprescindíveis para a retenção dos conteúdos estudados. “As dicas que posso dar para o Enem são, se preparar, se organizar, fazer planejamentos, fazer muitas questões, porque o segredo está em fazer questões, ter uma rotina de estudo de 3 a 4 horas por dia, porque o Enem não é quantidade de estudo, é qualidade, é você fazer muita questão, assistir a videoaula, fazer resumo, revisar, mas sempre estar fazendo questões. As dicas são essas: estudar todo dia um pouquinho e acreditar nos seus sonhos, porque se você não acreditar no seu sonho, ninguém vai acreditar por você. Entregar na mão de Deus e fazer a sua parte, porque em algum momento você vai colher seus frutos. Além disso, tem a questão da disciplina, organização, ter metas semanais e fazer pequenos blocos de estudo de 30 a 50 minutos”, afirmou. 

O estudante lembra que os estudos é uma maneira de transformação de vida. “O estudo para mim é algo que eu vejo como a única forma que tenho para crescer na vida. Tem até uma frase que eu utilizo para minha: ‘a educação modifica vidas, assim como Jesus modifica o seu interior’. E para os jovens a dica, é que devem pôr na cabeça que ‘um sonho sem ação é apenas um pensamento’”, ressaltou. 

Da redação do Acontece na Bahia 

Tag(s): , , .

Categoria(s): Destaque, Regional.