Após pedido de Bolsonaro, Mourão dispara: “A gente não tem que ser mendigo nisso aí. O Brasil não está pedindo esmola”

Recentemente, o atual presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido) entrou com um pedido de ajuda para a comunidade internacional. Entretanto, nesta segunda-feira (19), o vice presidente, General Mourão, declarou que o Brasil não está pedindo esmolas.

“A gente não tem que ser mendigo nisso aí, né, vamos colocar a coisa muito clara”, disse o vice presidente.

Segundo informações, o Palácio do Planalto, divulgou a carta em que o presidente reforçava o seu pedido de apoio para o atual presidente dos Estado Unidos, Joe Biden,. Com objetivo de minimizar o danos causados pelo desmatamento e a poluição do ar.

Mas, além do Mourão, quem não gostou nada disso foi, o ministro Ricardo Salles, que desaprovou a iniciativa de Bolsonaro, alegando que, os países tem que colaborar com o Brasil, antes mesmo de trazer algum benefício para os demais países.

“Ao sublinhar a ambição das metas que assumimos, vejo-me na contingência de salientar, uma vez mais, a necessidade de obter o adequado apoio da comunidade internacional, na escala, volume e velocidade compatíveis com a magnitude e a urgência dos desafios a serem enfrentados”, informou Jair, em sua carta, ” além de Inspira-nos a crença de que o Brasil merece ser justamente remunerado pelos serviços ambientais que seus cidadãos têm prestado ao planeta.”

O vice- presidente, General Mourão, prosseguiu fazendo algumas ressalvas, lembrando que o Brasil não é 100% responsável pela poluição mundial.

“Vamos colocar a coisa muito clara: temos as nossas responsabilidades. O Brasil é responsável só por 3% das emissões no mundo. Desses 3%, 40% é o desmatamento, ou seja, 1,2% do que se emite no mundo é responsabilidade do desmatamento nosso aqui. Tem que fazer nossa parte, dentro do Acordo de Paris”disse o general Mourão

“Não queimamos petróleo e carvão com os outros países queimam, ou seja, temos uma matriz energética que é limpa, renovável. Então, a gente tem um lugar certo na mesa de conversa sobre mudança do clima”, acrescentando o vice-presidente.

“Se quiserem trazer recursos, o Fundo Amazônia admite todo e qualquer tipo de doação para ele. Ele já está aberto para isso, não é só os países que foram doadores iniciais. Entes privados, ou outros entes públicos, outros países podem aderir a ele” Conclui Mourão.

 

Da Redação do Acontece na Bahia

Tag(s): , , .

Categoria(s): Destaque, Nacional.