Mãe de Lázaro diz que não acompanhará o enterro do filho e desabafa sobre as condições que tem

Uma notícia tem repercutido nas redes sociais nesta quarta-feira (30). Eva Maria de Souza, 51 anos e mãe de Lázaro Barbosa, afirmou ao portal Metrópoles que não tem condições psicológicas de acompanhar o enterro do filho. Eva, que mora em Barra do Mendes, cidade localizada a 540 km de Salvador, disse que está muito abalada e sem condições emocionais de viajar para acompanhar o sepultamento do filho.‘‘A dor é cada dia pior’’, desabafou.

De acordo com o Instituto Médico Legal (IML) de Goiânia, GO, o corpo de Lázaro Barbosa já está liberado, porém a retirada é feita exclusivamente por um parente de primeiro grau. Mas não é só isso.

Zilda Maria de Souza, tia de Lázaro, informou que o advogado Wesley Lacerda está cuidando dos trâmites burocráticos. O advogado disse à reportagem que tem auxiliado à família neste momento difícil por caridade.“Optaram por fazer uma cerimônia fechada e somente para familiares. A data e o local não serão divulgados”, disse o advogado.

Lázaro Barbosa morreu após entrar em confronto com as forças de segurança que estavam há 20 dias tentando capturá-lo. Foi mobilizada uma força-tarefa composta por mais de 270 homens que se revezavam naquela região fazendo bloqueios nas estradas e buscas na mata tentando localizar o fugitivo. Nessa segunda-feira (28), Lázaro foi localizado e entrou em confronto com a polícia numa região de Águas Lindas, GO. Após a troca de tiros o fugitivo foi atingido, chegou a receber atendimento, mas veio a óbito momentos depois.

Da redação do Acontece na Bahia

Tag(s): , , , .

Categoria(s): Destaque, Nacional.

Mãe de Henry procurou por cursos de inglês e culinária horas depois de ter ido ao enterro do filho

Uma notícia tem sido destaque nas redes sociais nesta terça-feira (13). A Polícia Civil do Rio de Janeiro descobriu por meio de um programa de empresa israelense, as mensagens apagadas do celular de Monique Medeiros, mãe de Henry Borel, morto em 8 de março deste ano. Informações divulgadas pelo site O Dia, apontam que horas depois de henry Borel ter sido sepultado, Monique Medeiros se mostrou interessada por um curso de inglês. No dia 8 de março, às 19h24, cerca de três horas depois de Henry Borel ter sido sepultado, Monique Medeiros recebeu uma oferta via mensagem por WhatsApp de um curso de inglês: “Olá, boa noite! Ainda dá tempo de voltar a estudar na (nome da instituição). Faça matrícula essa semana (até 12/03) e ganhe desconto de 40% para o curso todo”. Diante da oferta Monique mostra interesse e indaga: ‘’Presencial’’?. A pessoa do outro lado da linha dá mais detalhes. Mas não é só isso…

A matéria jornalística ainda traz a versão de dois coveiros que estavam por ocasião do sepultamento de Henry Borel e falaram sobre a frieza e insensibilidade de Monique Medeiros: “Ela estava toda arrumada, de preto, óculos escuros, salto alto. Muito arrumada e não derramou uma lágrima. Parecia conformada”, afirmou um dos coveiros.

O outro profissional contou que o menino Henry havia sido enterrado em um caixão branco com cinco coroas de flores. Disse ainda que o pai do menino foi quem mais estava abalado na ocasião. “Ele estava vestido com blusa que tinha a foto do menino, calça jeans, tênis. Na hora de colocar o caixão no túmulo, disse: ‘Henry, isso não vai ficar assim’. E completou: “Ali, entendi que a morte da criança não era algo esperado, como que causada por doença”, destacou o outro funcionário.

Em outra mensagem a mãe de Henry Borel se mostrou interessada por aula de culinária. Menos de 24h após o sepultamento de Henry, por meio do Instagram ela enviou mensagens para uma professora de gastronomia. “Lorena, boa tarde. Sou Monique Medeiros, tenho interesse em fazer aula prática com você. Como faço para entrar na lista de espera? Um grande beijo em seu coração.” A professora, responde aos questionamentos com as devidas informações.

Da redação do Acontece na Bahia

Tag(s): , , , , , .

Categoria(s): Destaque, Nacional.