Justiça decide conceder regime semiaberto a Lindemberg Alves, condenado pela morte de Eloá

A Justiça concedeu o regime semiaberto a Lindemberg Alves, condenado a 39 anos de prisão pela morte da ex-namorada Eloá Cristina.

Ele cumpre pena na Penitenciária Doutor José Augusto Salgado, a P2 de Tremembé (SP), desde 2008.

A decisão é da juíza Sueli Zeraik de Oliveira Armani, da 1ª Vara das Execuções Criminais (VEC) de Taubaté. A defesa de Lindemberg fez o pedido em setembro de 2020, levando em consideração o tempo de pena cumprido e a remição.

Por trabalhar na unidade, ele teve 313 dias da pena perdoados. No semiaberto os detentos têm direito a cinco saídas temporárias no ano, entre elas Dia dos Pais, Dia das Crianças e Natal.

Decisão da Justiça
No texto, a magistrada ressaltou que o preso “obteve resultado positivo no exame criminológico realizado, pela unanimidade dos avaliadores participantes, que o consideraram apto à usufruir do regime intermediário”.

A decisão é do dia 11 de maio e o comunicado de transferência de regime foi enviado à Secretaria de Administração Penitenciária (SAP) nesta terça-feira (8).

O relatório de avaliação psicológica considerou que Lindemberg tem “agressividade e impulsividade dentro dos padrões normais” e que “arrepende-se profundamente, lamenta perda irreversível à família da vítima”.

Eloá foi feita refém por ele antes de ser morta com dois tiros (leia mais abaixo).

Suzane von Richthofen, condenada pela morte dos pais, e Anna Carolina Jatobá, condenada pela morte da enteada Isabela, também foram submetidas ao exame antes da concessão do benefício.

Relembre o caso
O caso teve início no dia 13 de outubro de 2008. Lindemberg invadiu o apartamento em que Eloá morava com os pais em Santo André. O entregador de pizzas estava armado e queria reatar o romance com Eloá.

Lindemberg manteve Eloá e outros três colegas de escola dela como reféns – Nayara, Iago e Victor Campos. Depois, os dois meninos foram libertados.

Nayara chegou a ser solta por Lindemberg em 14 de outubro de 2008, mas dois dias depois voltou ao cativeiro por orientação da Polícia Militar (PM) para tentar resgatar Eloá. A ação não deu certo e ela acabou sendo feita refém novamente junto com a amiga.

Quatro dias depois, no dia 17 de outubro de 2008, o Grupo de Ações Táticas Especiais (Gate) explodiu uma bomba e invadiu o local. Os policiais fizeram isso depois de escutar um ruído que seria um tiro.

Antes da entrada da PM, o sequestrador ainda conseguiu balear Nayara, que sobreviveu, e deu dois tiros em Eloá, que morreu. Depois se soube que o barulho que os policias escutaram era de uma mesa sendo arrastada.

Condenação

Lindemberg foi condenado a mais de 90 anos de prisão pelo assassinato da ex-namorada, e por mais 11 crimes cometidos durante o sequestro.Ele confessou ter atirado nas reféns, mas alegou que disparou após se assustar com a explosão da bomba pelo Gate. Posteriormente, a Justiça reduziu sua pena para 39 anos.

Com textos e informações do portal Globo

Tag(s): .

Categoria(s): Nacional.

“Para mim foi muito triste. Minha família, meus filhos estão tristes.” afirmou o pai de Eloá sobre a morte da mulher que recebeu o coração da sua filha

Uma triste notícia chamou a atenção dos internautas nesta manhã de quarta-feira (5). Após receberem a notícia da morte da vendedora Maria Augusta da Silva dos Anjos, de 51 anos, que havia recebido o coração da estudante Eloá Cristina da Silva Pimentel, morta a tiros pelo ex-namorado durante sequestro em 2008 em Santo André (SP), os pais da jovem lamentaram nas redes.

“Eu não esperava essa notícia. Eu estava torcendo para Augusta se recuperar. Para mim foi muito triste. Minha família, meus filhos estão tristes. Até porque amanhã [5 de maio] minha filha Eloá faria 28 anos se estivesse viva. Augusta era como uma filha para mim também, pois ela carregava o coração de Eloá”, afirmou Ana Cristina Pimentel ao G1.

A vendedora faleceu na segunda-feira (3) vítima da Covid-19 e suas complicações. Ela ficou internada no hospital Santa Terezinha desde o dia 25 de abril em Paraupebas, no Pará. No dia 27, ela precisou ser intubada.

A sobrinha da vendedora lamentou o falecimento da tia nas redes sociais: “Ligaram do hospital no final da tarde e hoje foi o dia escolhido: Nosso Pai celestial recolheu a Augusta para a vida eterna, para morar ao seu lado, para abraçá-la e dizer ‘Ah filha, que bom que você chegou, vem aqui perto do Papai’. Hoje, chegou ao fim todo seu sofrimento, sem remédios, sem cirurgias, sem agulhas, sem máquinas… apenas a grandiosa face de Deus!”.

Da redação Acontece na Bahia.

Tag(s): , , , .

Categoria(s): Destaque.

Mulher transplantada com o coração de Eloá está internada em UTI por complicações da Covid-19

Uma notícia tem repercutido nas redes sociais nesta terça-feira (4). Augusta Anjos, a mulher que foi transplantada com o coração de Eloá Pimentel, está internada em decorrência de complicações trazidas pela Covid-19. A mulher que recebeu o diagnóstico positivo para a doença há cerca de um mês, segue internada em hospital particular de São Paulo.

Augusta se enquadra no perfil de pessoas que pertencem ao grupo de risco em razão de ter nascido com uma grave doença no coração e por ser transplantada com o coração da jovem Eloá, de 15 anos, que foi atingida por um tiro disparado pelo ex-namorado, Lindemberg Alves, em 2008, no episódio que ficou marcado como o maior sequestro já registrado pela Polícia Militar. O sequestro que aconteceu no interior de São Paulo durou cerca de quatro dias. Mas não é só isso…

De acordo com familiares, Augusta foi encaminhada a princípio para uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA), mas por conta da saturação estar muito baixa a mulher foi levada de imediato à Unidade de Terapia Intensiva (UTI), logo que deu entrada no hospital privado. A família da mulher internada disse que conta com doações para arcar com os custos da internação.

Da redação do Acontece na Bahia

Tag(s): , , , , .

Categoria(s): Destaque, Nacional.