Remédio usado para dormir por Joice Hasselmann é ligado a casos de apagão de memória e acidentes, diz bula

Uma notícia tem sido destaque nas redes sociais nesta segunda-feira (2). Os efeitos colaterais do remédio usado pela deputada federal Joice Hasselmann (PSL-SP) para conseguir dormir, podem ser crises de sonambulismo e apagões de memória, dentre outros. O aviso para os efeitos colaterais do medicamento zolpidem, usado para induzir o sono, está na bula da própria substância. Estas informações são do jornal Folha de S. Paulo.

As propriedades farmacológicas do zolpidem, que podem causar sonolência, diminuição dos níveis de consciência —levando a quedas e, consequentemente, a lesões severas—, sonambulismo ou outros comportamentos incomuns (como dormir na direção e durante a refeição), acompanhado de amnésia”, diz a bula.

A deputada federal Joice Hasselmann acordou em seu apartamento funcional no dia 18 de julho com cortes e hematomas pelo corpo, e não sabe explicar como aconteceram. A parlamentar disse em entrevista, que faz uso do Stilnox, medicamento à base de zolpidem. De acordo com a entrevista, o remédio é considerado seguro por médicos quando usado de acordo com a prescrição, na dose certa e tempo adequado.“A pessoa pode fazer e vivenciar coisas, que não ficam retidas na memória”, contou ao jornal o psiquiatra Mauro Aranha.

De acordo com o psiquiatra, se a pessoa que fez uso do remédio acordar durante as quatro primeiras horas em que o medicamento circula na corrente sanguínea, ela pode não lembrar do que fez.“Mas, se despertar quando a substância não está mais circulando no corpo, provavelmente já estará consciente dos próprios atos”, disse o médico.

A deputada disse recentemente que a última lembrança que tem é de estar na cama assistindo a um episódio de série, no domingo (18). Depois deste fato ela ficou por quase 7 horas com perda de memória até despertar em uma poça de sangue. A parlamentar afirma que foi vítima de um ataque.

Da redação do Acontece na Bahia

Tag(s): , , .

Categoria(s): Destaque, Nacional.

Muito arrependida, influenciadora desabafa após passar por procedimento: “Minha cara caiu”

Uma notícia tem sido destaque nas redes sociais nesta quarta-feira (21).A preocupação com a beleza é muito comum entre as pessoas famosas e também àquelas que se expõem com certa frequência. O problema é que todo procedimento cirúrgico traz consigo risco e a possibilidade de efeito colateral. A influenciadora Jéssica Frozza postou nos stories o resultado de suas bochechas um ano depois de realizar uma bichectomia para emagrecer o rosto.

O procedimento retira as glândulas de Bichat que são armazenadas na bochecha. É um tipo de gordura que não é eliminada com atividade física ou dieta e por isso muitas pessoas recorrem ao procedimento cirúrgico. A influenciadora contou que após um ano do procedimento estético os efeitos colaterais começaram a aparecer.

“No primeiro ano você acha massa”, comentou Jéssica.  “Só que depois do primeiro ano, juro por Deus, meu rosto ganhou uma flacidez gigantesca. Caiu a minha cara. Hoje tenho que ficar fazendo procedimento para estimular o colágeno na bola de Bichat. Fiquei caveirística. Por que ninguém me avisou?”

De acordo com informações da Dra Ana Paula Quinteiro Moro, especialista em procedimentos da face e crânio, a bichectomia pode causar infecções, assimetria facial e esqueletização da face, apesar de ser um procedimento simples.”A gordura localizada na bochecha tem a função de sustentar a pele facial e, por isso, sua ausência pode resultar em flacidez na região com o passar dos anos”, comentou.

 

Da Redação do Acontece na Bahia

Tag(s): , , , , .

Categoria(s): Destaque, Nacional.