Mãe faz ‘chá de revelação de DNA’ para mostrar que ex-companheiro é pai de seu filho

Uma notícia tem repercutido nas redes sociais neste domingo (26). Um caso curioso aconteceu em Palestina de Goiás, sudoeste de Goiás, após a estudante de enfermagem Vanda Ferreira Costa, 38 anos, fazer um ‘chá de revelação de DNA’ para mostrar que o ex-companheiro é pai de seu filho. O vídeo gravado por ela viralizou nas redes sociais e mostra que o homem é de fato pai do bebê.

Como o pai do Antônio Mikael pediu o DNA, fizemos. Se der positivo, quando eu estourar o balão azul, vai aparecer a fotinha do papai e da mamãe no período da gestação”, contou Vanda no vídeo.

A mulher contou que fez o vídeo para mostrar que ela estava certa em sua afirmação em relação à paternidade de seu filho. O vídeo foi divulgado nessa quinta-feira (24) e já alcançou mais de 137 mil visualizações.

A gente mora em uma cidade muito pequena. O pessoal ficava comentando que não era filho dele. Ficava falando que era filho de ‘tiquinho de um e tiquinho de outro’. Isso me machucava muito. Por isso gravei, só não esperava que teria tanta repercussão”, disse a estudante.

Luis Antônio contou apenas que pediu um exame de DNA quado a criança nascesse e afirmou que Vanda disse que não iria fazer pois a criança não seria dele. V anda contou que o começo da gravidez foi muito difícil e que houve muitos boatos, o que levou ao fim do relacionamento com Luis Antônio.

Vanda disse que acionou a justiça para que Luis pague a pensão do filho.“Agora com o DNA em mãos, estou aguardando uma nova audiência para realizar os acordos”, contou.

Além da gestação complicada e cheia de comentários, Vanda foi diagnosticada com a Covid-19 no oitavo mês e ficou uma semana na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), além de ter que passar por um parto de emergência.“Foi muito difícil. Era só eu. Meus pais são idosos e não puderam me acompanhar, mas agora está tudo certo. Consegui provar que eu estive certa o tempo todo”, disse.

Vanda ainda contou que após a repercussão do vídeo espera que possa servir de inspiração para outras mulheres.“A gente fica tão ofendida, machuca tanto. Espero que sirva de apoio para outras mães”, comentou.

Da redação do Acontece na Bahia

 

Tag(s): , , , , , .

Categoria(s): Destaque, Nacional.

publicidade

Caso Henry: Perícia deve fazer exame de DNA em manchas encontradas na parede do apartamento onde o caso aconteceu

Uma notícia está sendo destaque nesta sexta-feira (02). Peritos do Instituto Médico Legal (IML) e do Instituto de Criminalística Carlos Éboli (ICCE) constataram, em algumas amostras coletadas na parede da sala do apartamento onde moravam Henry, a mãe e o padrasto, manchas que sugerem ser de sangue.

A mancha foi encontrada em um papel de parede da casa, segundo o jornal O Globo, e fragmentos desse papel foram encaminhados ao Instituto de Perícias e Pesquisa em Genética Forense (IPPGF) para um exame de DNA. Ao todo, foram seis amostras, porém uma descartada, recolhidas na sala e no quarto da criança. As manchas seriam duas da cor avermelhada, uma alaranjada, outra amarronzada e uma última de cor preta.

Isso aconteceu na tarde de ontem durante a reconstituição da cena. Foi usada um boneco com as mesmas características da criança. A presença da mãe e do padrasto foram representados por peritos.

O CASO

O menino Henry morreu no último dia 8, depois de dar entrada em um hospital da Barra da Tijuca, Rio de Janeiro. O menino tinha voltado da casa do pai, com quem tinha passado o final de semana e foi levado para casa da mãe e do padrasto. Durante a madrugada, o pai do menino recebeu a ligação da mãe informando que teria de levar a criança ao hospital porque ele estava com dificuldades para respirar. Mesmo os médicos tentando reanima-lo, Henry faleceu.

De acordo com o laudo de exame de necropsia, a causa da morte foi hemorragia interna e laceração hepática, provocada por ação contundente.

Da Redação do Acontece na Bahia

Tag(s): , , .

Categoria(s): Destaque.

publicidade