Entidades representativas entram na justiça contra o ‘toque de recolher’ e a ‘lei seca’ nos finais de semana na Bahia

Uma notícia tem sido destaque nas redes sociais neste domingo (2). Com o intuito de fazer com que a Bahia volte a ser o destino turístico preferido por milhares de pessoas e de atender outras tantas prejudicadas pela pandemia trazida pela Covid-19, a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes e o Sindicato de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares de Salvador e Litoral Norte impetraram um mandado de segurança coletivo, protocolado no último dia 28 de abril, reivindicando a posição trazida pelo Governo do Estado em que proíbe a venda de bebidas e o toque de recolher. O mandado de segurança coletivo foi protocolado no Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA), e deverá ser analisado pelo Judiciário com celeridade em razão da urgência da pauta.

Segundo informações do presidente-executivo da Abrasel na Bahia, Luiz Henrique do Amaral,“estamos buscando desde março do ano passado o diálogo com o governador Rui Costa para levar nossa contribuição técnica e responsável no enfrentamento da pandemia e não fomos recebidos, nos cabe agora a confiança na justiça para que possamos avançar e transformar essa realidade caótica que está nos sendo imposta”, disse Amaral.

De acordo com Silvio Pessoa, presidente do sindicato, a Bahia precisa voltar a ser um “destino turístico completo”. “Não podemos ter restaurantes que não funcionem à noite, e que não possam vender bebidas alcoólicas nos finais de semana. São quase 1 milhão de pessoas que estão sendo prejudicadas pelas medidas restritivas impostas pelo governo do Estado. Então procuramos a Justiça, para que ela interceda a nosso favor’’, concluiu.

Da redação do Acontece na Bahia

Tag(s): , , , , , .

Categoria(s): Destaque, Nacional, Regional.