‘Está ocorrendo a pior corrupção de todos os tempos’, diz deputado Luis Miranda em live

Uma notícia tem sido destaque nas redes sociais neste sábado (26). Uma declaração do deputado federal Luis Miranda (DEM-DF), gerou certa polêmica ao afirmar que existe corrupção no governo e que este problema tem se alastrado.

“Está ocorrendo a pior corrupção de todos os tempos, simplesmente estão fingindo que não existe. Em vez de termos corrupção isolada, há um alastramento, os corruptos estão nadando de braçada”, afirmou o deputado em Live do site “O Antagonista”. Mas não é só isso…

De acordo com o parlamentar tiveram outros casos de corrupção no ministério da Saúde, os quais serão investigados pela Polícia Federal (PF) e terão as irregularidades trazidas à tona, segundo o deputado.

“Foi o presidente Bolsonaro que citou o nome do Ricardo Barros, não eu”, contou, confirmando a sua versão em depoimento à CPI de que foi o presidente Bolsonaro que citou o nome de Ricardo Baros (PP-PR), quando soube das supostas irregularidades envolvendo a aquisição da vacina indiana Covaxin. O parlamentar informou que desde a última quarta-feira não esteve com o presidente Bolsonaro.

Da redação o Acontece na Bahia

Tag(s): , , , , .

Categoria(s): Destaque, Nacional.

CPI: Eduardo Pazuello passa mal, durante intervalo, e é socorrido por Otto Alencar; Aziz suspende depoimento

Durante o intervalo do seu depoimento à CPI da Covid, o ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello passou mal, nesta quarta-feira (19). O senador Otto Alencar (PSD-BA), que é médico, o socorreu e afirmou que o ex-titular da Saúde sofreu uma “Síndrome Vasovagal”, que é uma perda transitória da consciência.

Por causa disso, aliado ao extenso número de senadores inscritos para a oitiva, o presidente da CPI, senador Omar Aziz (PSD-AM), suspendeu a sessão, que será retomada nesta quinta-feira (20/5), a partir das 9h.

Segundo Alencar, Pazuello sentiu-se mal no “cafezinho”, que é uma antessala da comissão onde ocorre a CPI. “Ele estava bem pálido, quase desmaia. Procurei colocar ele na posição correta, elevando os membros inferiores. Logo depois, ficou corado, está muito bem. O ex-ministro ficou muito tempo em pé, emocionado. É uma síndrome muito comum”, explicou o senador.

Ainda de acordo com o senador baiano, Pazuello poderia ter retomado seu depoimento, porque já estaria recuperado. Porém, Aziz optou por cancelar a sessão, remarcando-a para esta quinta.

O adiamento do depoimento dará mais tempo para os integrantes da CPI. Ainda há 22 senadores inscritos para a oitiva do ex-ministro. A sessão teve que entrar em intervalo devido à ordem do dia no Senado.

Desta forma, a oitiva da secretária de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde do Ministério da Saúde, Mayra Pinheiro, conhecida como “Capitã Cloroquina”, deve ficar para a próxima terça-feira (25/5).

Leia também o portal do nosso editor www.romulofontoura.com.br

Da redação do Acontece na Bahia

Tag(s): , , .

Categoria(s): Destaque, Nacional, Politica.

CPI: Pazuello causa revolta em senadores ao afirmar que faltou oxigênio em Manaus apenas 3 dias

O depoimento do Ex-ministro, Eduardo Pazuello, à CPI da Covid tem causado uma grande movimentação na política brasileira, nesta quarta-feira (19). Um dos assuntos, a falta de oxigênio em Manaus, acarretou revolta entre os senadores na comissão.

O ex-ministro da Saúde afirmou à CPI da Covid, nesta quarta-feira (19) que o estoque de oxigênio hospitalar em Manaus ficou negativo durante três dias em janeiro. Fala essa, que gerou revolta dos senadores na comissão. Eduardo Braga (MDB-AM) afirmou que o ex-ministro estava mentindo e que a carência do insumo durou mais.

“Quando a gente observa os mapas, a gente vê que a White Martins [empresa fornecedora de oxigênio] começa a consumir seus estoques já no fim de dezembro. Então ela tem um consumo, uma demanda, e começa a entrar no negativo, e esse estoque vai se encerrar no dia 13 [de janeiro], quando acontece uma queda de 20% na demanda e no consumo do estado. No dia 15, já voltou a ser positivo o estoque de Manaus”, afirmou Pazuello.

Neste momento, Braga interrompeu para dizer que a informação passada pelo ministro estava errada.

“Informação errada, mentirosa. Não faltou oxigênio no Amazonas apenas 3 dias. Faltou oxigênio na cidade de Manaus por mais de 20 dias. É só ver o número de mortos. É só ver o desespero”, interveio o senador.

Pazuello respondeu: “Não são os dados que estão comigo”.

Eduardo Braga relembrou, ainda, que as mortes por falta de oxigênio em Manaus ocorreram por várias

“Não, ministro, desculpe. Nós tivemos pico de mortes por oxigênio em Manaus no dia 30 de janeiro. Antes, ficamos dependendo da ajuda do [ator] Paulo Gustavo, do [cantor] Gustavo Lima. Vamos parar de ficar dizendo que foram 3 dias de falta de oxigênio”, disse o senador.

Braga também criticou o fato de o governo não ter enviado, no auge da crise, um avião para buscar oxigênio doado pela Venezuela.

“Eu só quero complementar que do dia 10 ao 20 de janeiro, quando chegou o avião da Venezuela, passaram-se dez dias morrendo em média duzentas pessoas por dia no Amazonas. Foram 2.000 amazonenses que morreram. Nós poderíamos ter colocado aquele oxigênio. E quero dizer o seguinte: faltou dinheiro do governo do estado para fazer isso? Não. Faltou vontade política do governo federal em fazer isso? E por que não fez? Por que não deu as informações ao ministro Ernesto Araújo para que o avião dos Estados Unidos pudesse ter ido à Venezuela buscar o oxigênio e levar para o Amazonas para salvar vidas?”, concluiu Braga.

Leia também o portal do nosso editor www.romulofontoura.com.br

Da redação do Acontece na Bahia

Tag(s): , , .

Categoria(s): Destaque, Nacional, Politica.

Pazuello irá à CPI vestido com o fardamento do exército

Uma notícia tem sido destaque nas redes sociais nesta quarta-feira (19). O ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello, dispensou a ajuda de governistas que tinham a intensão de treiná-lo para se sair bem em suas respostas diante da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI). Pazuello deixou claro a aliados sua intensão de querer se apresentar na CPI usando a túnica verde oliva, o fardamento do exército.

De acordo com informações, o ex-ministro recebeu diversos conselhos no sentido de não usar o fardamento do exército porque o ato poderia soar como uma provocação aos olhos dos senadores. No entanto Pazuello tem se posicionado no sentido de não apresentar comportamento acuado durante os questionamentos feitos na CPI. Mas não é só isso…

O ex-ministro respondeu a um aliado e disse que existe uma regra de como um militar deve se vestir em eventos oficiais e segundo ele o fardamento faria lembrar aos senadores que ele é um general do exército e não um ministro qualquer.“É uma forma de o Pazuello lembrar a todos que é general do Exército e que o Renan é o Renan”, comentou um aliado de Pazuello.

Da Redação do Acontece na Bahia

Tag(s): , , , , .

Categoria(s): Destaque, Nacional.