Chuvas na Bahia: corrente humana leva ajuda às vítimas após cratera na BA-561 impedir passagem

Uma boa ação foi registrada nessa segunda-feira (27) e viralizou nas redes sociais. Um caminhão cheio de alimentos, água potável e roupas não pôde passar por um trecho da BA-561. O motivo foi simplesmente uma cratera que se formou no meio da via, devido as chuvas, e impedia o acesso de quem saía de Coaraci para Itapitanga, ambas cidades no Sul da Bahia. A população, entretanto, improvisou uma corrente humana que permitiu que alimentos e outros donativos continuassem a viagem. Vale ressaltar que Itapitanga ficou totalmente isolada após as chuvas que caíram nestes dias.

O desafio mobilizou as pessoas que se uniram e transportaram todo o material de mão em mão para outro veículo que aguardava do outro lado da via, para seguir o trajeto até o seu destino. As chuvas que castigam a região têm causado muitos estragos e inclusive perdas humanas. Episódios como esse emocionam, sobretudo, como um vislumbre de como deveria ser o cenário nesse momento: de muita união.

De acordo com o site Climatempo, a previsão climática é que tanto Itapitanga quanto Coaraci registrem 40 milímetros de chuva ainda nesta terça-feira. Já para a próxima quarta-feira (29), a previsão é que as chuvas diminuam, chegando ao máximo de 6 mm em ambos os municípios.

Da redação do Acontece na Bahia

Tag(s): , , , , , , , , , .

Categoria(s): Destaque, Regional, Social.

Chuvas na Bahia: Corpo de Bombeiros monitoram dez barragens nessa que é considerada a maior enxurrada dos últimos 32 anos

As chuvas que têm atingido o sul da Bahia principalmente nestes dias que antecederam o Natal, deixaram a região em estado de alerta.“O mundo está acabando aqui no Sul da Bahia e ninguém vê a gente”. Esse é o desabafo de Lorena Vicente, de 24 anos, que explica bem o que está acontecendo por lá. Segundo moradores, essa é a pior inundação dos últimos 35 anos no estado. Até o momento dezoito pessoas morreram, 72 cidades estão em situação de emergência —37 delas ficaram submersas — e mais de 480 mil pessoas foram afetadas de alguma forma pelas chuvas.

O sul da Bahia é destino turístico muito procurado durante o verão, e está praticamente todo debaixo d’água. Duas barragens se romperam nesse fim de semana. No último sábado, em pleno Natal, o rompimento foi em Vitória da Conquista e, ontem, em Jussiape, na Chapada Diamantina. O nível do Rio Cachoeira subiu mais de 10 metros, e Itabuna e outras cidades vizinhas foram completamente alagadas. Devido as chuvas, a pressão da água sobre a ponte principal de Itabuna aumentou e ela ameaça desabar. Por conta disso, precisou ser interditada. Nesse domingo, a água borbulhava por entre as frestas do concreto da estrutura, deixando moradores com medo.

Itamar Júnior, de 24 anos, morador de Itabuna, disse que nunca viu nada parecido. Segundo ele, até o momento, a memória dos moradores mais antigos era de uma inundação com essa magnitude em 1967: ‘‘É surreal. A ponte da cidade está irreconhecível’’.

Um vídeo circula na internet e mostra um idoso sendo retirado de casa por voluntários num barco, com água pelo pescoço, em meio a pedidos de socorro. A região tem sido afetada pelas chuvas há mais de um mês e a Defesa Civil estadual estimava, à tarde, que havia 286 feridos, 16 mil desabrigados e 19.580 desalojados, além dos mortos.

Estão sendo realizadas vistorias técnicas nos últimos dias para verificar a situação das barragens da região. Segundo o coronel Jadson Almeida, assistente do comando-geral do Corpo de Bombeiros da Bahia, a corporação tem monitorado cerca de dez barragens do estado:

‘‘Em alguns locais, não houve rompimento, mas a água da barragem transbordou. Então, retiramos famílias de suas residências de forma a protegê-las’’, afirmou o comandante. ‘‘A informação que temos é que é uma situação que não ocorre há 32 anos. Eu nunca vi isso na carreira, um volume tão grande de chuva atingindo tantas cidades ao mesmo tempo’’.

As cidades mais afetadas pelas chuvas foram Itabuna, Ilhéus, Itabela, Jucuruçu, Itororó, Itamaraju, Milagres, Mutuípe, Prado, Ubatã, entre outras. O governador Rui Costa informou que as regiões mais críticas eram o Sul e o Sudoeste do estado.

‘‘Estamos mobilizando todas as nossas forças’’, disse Rui Costa, que montou uma base de apoio as vítimas das chuvas em Ilhéus. Rui Costa sobrevoou cidades atingidas pelas fortes chuvas e tem reuniões agendadas com representantes dos governos federal, estadual e municipal. O petista destacou e agradeceu a ajuda dos governadores do Maranhão, do Ceará, Sergipe, e também dos estados de São Paulo e Minas Gerais.

O Conselho Nacional de Corpos de Bombeiros Militares do Brasil (Ligabom) foi convocado pelo governo do estado para auxiliar nas tomadas de decisão. O Ministro da Cidadania, João Roma, sobrevoou a área e por meio de uma rede social disse que era “crucial” prestar socorro e preservar vidas sem considerar as diferenças políticas: “Sabemos que existem posições políticas distintas, mas a população pede socorro e quem pede socorro não quer saber de onde vem ajuda”. As cantoras Preta Gil e Pocah pediram doações para as vítimas das enchentes por meio das redes sociais.

O presidente Jair Bolsonaro chegou a fazer um sobrevoo no Sul da Bahia há alguns dias e prometeu verba para a reconstrução das cidades atingidas. A estimativa é de que as chuvas devam continuar na região nos próximos sete dias.

Da redação do Acontece na Bahia

Foto: REUTERS/Leonardo Benassatto

Tag(s): , , , , .

Categoria(s): Destaque, Regional, Social.