Empresário troca tiros com invasor em sua fazenda na região onde o suspeito de ter tirado a vida de três pessoas está sendo procurado

O barulho de tiros disparados durante a madrugada dessa quarta-feira (1º), causou pânico aos moradores da região da fazenda Curralinho das Lajes, na zona rural de Abadiânia, no Entorno do Distrito Federal. Envolvido no tiroteio estava o empresário Caio César Marques Coelho, de 32 anos, que teria, segundo ele, trocado tiros com um homem estranho em sua chácara.

Curiosamente, o município de Abadiânia é o suposto local onde o criminoso Wanderson Mota Protácio, de 21 anos, está foragido. Wanderson é suspeito de ser o responsável por  três mortes bárbaras que aconteceram em Corumbá de Goiás, no último domingo (28/11). As vítimas são a sua companheira grávida de 4 meses e sua enteada de 2 anos de idade. Também foi assassinado um vizinho de 73 anos.

O empresário disse que chegou de caminhonete em sua chácara por volta de uma hora da manhã. No local chovia muito e não havia energia elétrica. Caio estava sozinho. No momento em que estacionou a sua caminhonete e desceu do veículo disse que ouviu barulho de vidro se quebrando.

Achei estranho. Liguei a lanterna do celular, saquei minha arma de defesa pessoal e fui verificar o que era”, disse Caio.
Quando Caio focou a lanterna em direção a uma das extremidades do alpendre que cerca a casa da chácara, percebeu a presença de um homem armado. O homem suspeito era de porte mediano, tinha uma camiseta clara e era magro, informou o empresário. Ao ser percebido, o suspeito teria dado dois tiros na direção do empresário.

“Eu dei doze disparos que era o que eu tinha no carregador na hora. Descarreguei minha arma”, disse o empresário, que estava armado com uma pistola 9mm.

Na chácara é possível ver várias marcas de tiros. Um deles acertou a caminhonete de Caio acima do pneu. Os disparos feitos pelo empresário atingiram a mureta da casa e também perfuraram móveis de madeira.

“Quando acabou a munição, eu larguei minha pistola no chão e vazei. Ele sumiu. Eu corri para um lado e ele correu para o outro. Graças a Deus eu não estava com meus filhos e minha esposa”, disse Caio.

Após a troca de tiros, o empresário disse que correu a pé na direção da estrada e tentou entrar em contato com a polícia, porém estava sem sinal de celular. Desesperado, Caio conseguiu enviar uma mensagem de áudio para o número de WhatsApp de um amigo pedindo ajuda.

Descarreguei minha pistola aqui cara. Só que não sei se acertei. Acabou a munição. Estou tentando falar com o 190 aqui é não estou conseguindo. Me ajuda aqui. Você está na cidade, perto da polícia. Manda vir aqui na minha chácara, estou sozinho aqui”, disse o empresário na mensagem de áudio.

Foram deslocadas para o local, ainda na madrugada, viaturas da Polícia Militar e equipes de policiais para realizar buscas na chácara e na mata ao redor. A polícia encontrou uma garrafa quebrada e um armário com panelas revirado.

No local havia algumas pegadas de lama no chão. Policiais Civis estiveram no local e a Polícia Científica foi acionada para recolher impressões digitais e material para exame de DNA.


Caio afirma com certeza que o homem com quem trocou tiros era o bandido Wanderson. O barulho dos disparos acordou o caseiro da chácara, que assustado deixou o imóvel. Caio, por sua vez, trancou a chácara e decidiu voltar para sua casa em Anápolis.

Wanderson Protácio praticou os crimes, pelos quais é suspeito, no fim da tarde de domingo (28/11). A Polícia Civil informou que ele é suspeito de ter matado a facadas a própria esposa, Raniere Aranha Figueiró, de 19 anos, e a filha dela, Geysa Aranha da Silva Rocha, de 2 anos.

Logo em seguida, Wanderson invadiu a casa de um vizinho, roubou o revólver dele e matou a tiros o produtor rural Roberto Clemente de Matos, de 73 anos. Segundo informações, o suspeito teria cometido o crime para roubar uma caminhonete. Nesta ação, Wanderson teria tentado estuprar a esposa da vítima, de 45 anos, porém não conseguiu e atirou na mulher. A vítima conseguiu resistir ao ferimento.

O suspeito abandonou a caminhonete roubada em uma rodovia da região. A polícia conseguiu prender um receptador de Alexânia para quem Wanderson Mota vendeu o celular que pertencia a sua esposa.


Em 2019, na cidade de Goianápolis (GO),Wanderson esfaqueou várias vezes uma jovem de 18 anos no dia do aniversário dela. A agressão só parou porque a faca usada pelo criminoso quebrou. Por este crime de tentativa de feminicídio, o jovem chegou a ser preso, mas foi solto em seguida.

Da redação do Acontece na Bahia

Tag(s): , , , , , , .

Categoria(s): Destaque, Nacional.

‘Ela amava animais’, diz filho da mulher vítima de ataque de seis cães da raça pitbull

Uma notícia tem sido destaque nas redes sociais neste sábado (24). De acordo com o filho de Marli Donega, de 53 anos, que veio a óbito após ser atacada por seis cães da raça pitbull, a mãe amava animais. Marli ia visitar o namorado em uma chácara localizada em Birigui, no interior de São Paulo, e foi vítima dessa fatalidade. Em entrevista concedida para a RecordTV, o filho disse que Marli amava animais e que ainda não entende o que aconteceu.”Ela sempre criou cachorro grande e pequeno e nunca teve problema”, afirmou.

No momento do ataque o namorado de Marli, que tem 59 anos, estava presente e também foi atacado pelos cães. O homem que ainda tentou livrar Marli da fúria dos cães, ficou gravemente ferido e está internado na Santa Casa da cidade em estado grave, com vários ferimentos expostos pelo corpo.

Segundo informações, Marli e o namorado estavam em uma pizzaria e teriam ido para a chácara. Segundo o filho, os pitbulls já os conheciam e eram dóceis, em especial com o caseiro, que era o responsável pelo cuidado dos cães. O ataque teria começado quando o namorado de Marli foi até o banheiro. Marli foi atacada pelos cães e veio a óbito antes da chegada do socorro.

Da redação do Acontece na Bahia

 

Tag(s): , , , .

Categoria(s): Destaque, Nacional.

Mulher perde a vida após ser atacada por 6 pitbulls enquanto visitava namorado em chácara

Uma notícia tem repercutido nas redes socais nesta sexta-feira (23). Marli Donega, de 53 anos, veio a óbito após ser atacada por seis cães da raça pitbull, em uma chácara que fica localizada em uma área rural de Birigui, São Paulo.

A mulher teria ido visitar o namorado, que é o caseiro da chácara, quando foi atacada por seis cães na noite dessa quarta-feira (21), de acordo com a Polícia Civil. O namorado de Marli ainda tentou dispersar os cães, mas também foi atacado por eles.

Apesar dos vários ferimentos pelo corpo, o namorado de Marli conseguiu fugir para dentro da casa e pedir ajuda da família. O homem ficou desacordado após ter avisado a família.

Marli já estava sem vida quando a equipe de resgate chegou. O caseiro recebeu atendimento ainda no local e foi encaminhado ao Pronto-Socorro Municipal com vários ferimentos pelo corpo. Algumas pessoas que estavam na chácara conseguiram conter os animais. Mas não é só isso…

A filha de Marli registrou o caso como morte suspeita e as causas estão sendo investigadas pela Polícia Civil. A responsável pelo imóvel não quis comentar o caso.

Da Redação do Acontece na Bahia

Tag(s): , , , , , .

Categoria(s): Destaque, Nacional.

‘Fiquei arrasada’, diz mãe de Lázaro Barbosa ao confirmar que chacareiro conhecia o seu filho

Uma notícia tem sido destaque nas redes sociais neste sábado (26). A mãe do serial killer Lázaro Barbosa, 32 anos, disse em entrevista que o filho conhecia o proprietário da chácara preso pela polícia acusado de possibilitar e acobertar à fuga do suspeito. A polícia prendeu nessa quinta-feira (24), Elmi Caetano Evangelista, 74 anos, e o caseiro Alain Reis de Santana, 33 anos, acusados de acobertar o criminoso.

Fiquei arrasada com a prisão do seu Elmi. Ele fez isso [deu cobertura a Lázaro] porque é ser humano. Seu Elmi não tem o coração do Satanás; o coração dele é do Senhor”, contou Eva, que se mudou para a cidade de Barra do Mendes, na Bahia, depois do caso ter tanta repercussão na imprensa. A mãe de Lázaro faz um apelo para que ele se entregue e afirma que isso só não aconteceu ainda porque o filho tem receio de ser morto.

Nas cartas que ele deixou, ele fala que não se entrega porque a polícia só quer matar. Como mãe, falo pra ele se entregar e não fazer mais nada com ninguém. Pense em seus filhos, eles precisam de você e te amam.”

A mãe de Lázaro também acredita que o filho não conseguiria cometer a chacina no Incra 9, em Ceilândia, sozinho.“A polícia tem que parar de pensar assim, porque ele [Lázaro] diz que não fez a chacina sozinho, ficam atrás dele e os outros ficam aprontando”, contou, sem entretanto dizer quem são os demais envolvidos na chacina.

O caseiro Alain disse em seu depoimento à polícia que Lázaro estava na propriedade e fazia as refeições diariamente com a permissão de Elmi. Disse ainda que a mãe do fugitivo havia trabalhado como caseira para Elmi, na ocasião em que Lázaro estava na cadeia. Alain informou que Elmi ajudava financeiramente a família de Lazaro..

Da redação do Acontece na Bahia

Tag(s): , , , , .

Categoria(s): Destaque, Nacional.