Prefeito Bruno Covas decide se licenciar do cargo e o vice Ricardo Nunes assumirá a prefeitura

Uma notícia tem circulado nas redes sociais neste domingo (2). O prefeito de São Paulo Bruno Covas (PSDB), decidiu se licenciar do cargo em razão do tratamento que tem feito por conta de um câncer no sistema digestivo com metástase óssea e de acordo com informações o vice dele, Ricardo Nunes (MDB), assumirá o cargo.

Bruno Covas já vinha recebendo tratamento a base de quimioterapia e imunoterapia em razão do câncer, mas houve uma piora no estado de saúde dele no início deste ano. A equipe médica que é responsável pelos cuidados do prefeito diz que o estado de saúde dele é delicado. Mas não é só isso…

Covas foi diagnosticado com câncer em 2019 com a informação sendo divulgada pelo Hospital Sírio Libanês, em São Paulo. O prefeito Bruno Covas foi internado no último dia 15 para exames de controle e os médicos identificaram novos pontos do câncer nos ossos e no fígado.

Na ocasião Bruno Covas se manifestou por meio das redes sociais e agradeceu o carinho e orações das pessoas.“Abaixar a cabeça?! De jeito nenhum. Vou seguir lutando. Ainda tenho muito trabalho a fazer. Obrigado a todos pelo carinho de sempre. Rezas, orações, pensamentos positivos que recebo de todos os cantos me fazem mais forte nessa batalha”, escreveu.

Da redação do Acontece na Bahia

Tag(s): , , , , , .

Categoria(s): Destaque, Nacional.

Deputada Flordelis almeja reeleição e diz não acreditar em cassação: “Quem me colocou na política foi Deus”

Uma notícia está sendo destaque neste domingo (04). A deputada Flordelis, acusada de ser a mandante do assassinado do marido, almeja a reeleição. Em entrevista à Folha de São Paulo, Flordelis diz que “Quem me colocou na política foi Deus, e eu não vou desistir por que hoje eu tô passando por um período difícil”.

A deputada, que foi a candidata mais votada pelos fluminenses em 2018, está nas mãos de seus pares na bancada evangélica no Conselho de Ética da Câmara, que decidirá a expulsão ou não da Casa. O Congresso ainda não se manifestou acerca do afastamento da parlamentar. “Não acredito nesta cassação, sinceramente não acredito. Acredito muito que Deus vai trabalhar em Brasília”, disse Flordelis.

Apontada como a principal mandante do assassinato de Anderson do Carmo, Flordelis responderá por crimes de homicídio triplamente qualificado (por motivo torpe, meio cruel e impossibilidade de defesa da vítima), associação criminosa, falsidade ideológica e uso de documento falso e por tentativa de homicídio( nas tentativas de envenenamento).

O inquérito definiu a morte de pastor Anderson por questões financeiros e poder na família, pois era ele quem controlava o dinheiro do ministério da deputada. Na época do crime, Flordelis chegou a dizer que o pastor teria morrido em um assalto.

Da Redação do Acontece na Bahia

Tag(s): , , .

Categoria(s): Destaque, Nacional.